Controle de Natalidade, parte IV: o Implante, o Adesivo e o anel vaginal NuvaRing

Artigo traduzido por Juliana Whately. O original está aqui.
por Stefani Ruper

61ca6a4de28e53ad_nuvaring.largerO implante, o adesivo e o anel vaginal NuvaRing são todos métodos anticoncepcionais hormonais. Um é uma haste fina implantada no braço por um profissional médico, o outro é um adesivo aderido à pele e o último é um anel de plástico flexível inserido na vagina. Cada um deles libera hormônios na corrente sanguínea. A única diferença real entre esses métodos e pílula é o método de administração. Eles são comercializados como métodos anticoncepcionais “sem problemas”, e isso é mais ou menos verdade. Eles exigem menos atenção do que pílulas anticoncepcionais. Querendo ou não isso é algo que você deseja.

Cada um dos métodos varia ligeiramente pela utilização e pelo teor hormonal. Há também algumas preocupações específicas de saúde relacionados a cada método, por isso são dignos de nota.

O Implante

O implante, de acordo com as duas marcas Implanon e Nexplanon, é uma pequena haste inserida sob o braço da mulher.

O implante é feito de plástico cirúrgico que é estéril e macio. Esta haste contraceptiva tem 40 milímetros (1,5 polegadas) de comprimento e 2 mm (0,08 polegadas) de diâmetro. Uma vez inserido, é eficaz durante um período máximo de três anos. É o único destes três métodos que é apenas progesterona.

Uma vez que o implante contraceptivo é inserido, ele começa a liberar pequenas doses da progesterona sintética etonogestrel. O Implanon contém 68 miligramas de etonogestrel e ele é liberado lenta e constantemente ao longo do período de três anos.

Dado que o implante é uma dosagem contínua de uma progestina, ele não inclui um ciclo regular da forma como a maioria dos outros métodos contraceptivos fazem. Para a maioria das mulheres que usam o implante, os seus períodos tornam-se leves, mas imprevisíveis. Para 30% das mulheres, a menstruação pára completamente dentro de um ano de uso. Por esta razão, o implante pode ser uma opção conveniente e relativamente livre de riscos. Eu  falo"relativamente" livre de riscos, pois é livre de estrogênio. Geralmente são pílulas à base de estrogênio – tais como os métodos abaixo – que têm o potencial para efeitos adversos assustadores como trombose e ataques cardíacos.

O Adesivo

O adesivo, na forma de Ortho Evra, foi lançado em 2002. Por causa de sua suprema conveniência e custo relativamente baixo, tornou-se um best-seller em um curto período de dois anos, vendendo cerca de 400 milhões de dólares.

Entretanto, Ortho Evra é uma pílula de combinação estrogênio-progesterona. E verificou-se que o adesivo gerava níveis muito mais elevados de estrogênio no sangue das usuárias do que as empresas farmacêuticas tinham previsto. Isso resultou em um maior risco de coágulos sanguíneos – e logo depois processos judiciais começaram a se acumular. Em 2005, a Ortho Evra, sob um acordo com a FDA, acrescentou um alerta tarja preta em sua embalagem afirmando que usuários do adesivo são expostos a cerca de 60% mais estrogênio do que a usuária típica de pílula, o que resulta em um potencial "aproximadamente duplicado de risco de coágulos sanguíneos graves".

Esse risco continua a ser bastante baixo e há sinais de alerta que podem acontecer que podem salvar as mulheres em situação de risco:

  • Um novo nódulo na mama
  • Uma súbita dor de cabeça intensa
  • Dor dores na perna
  • Aura – vendo brilhante, linhas piscando em ziguezague, geralmente antes de uma dor de cabeça intensa
  • Muita dor no abdômen ou no peito
  • Dores de cabeça que são diferentes, piores ou acontecem com mais frequência do que o habitual
  • Nenhum sangramento depois de ter sangramento mensal
  • Dificuldade para respirar
  • Amarelamento da pele ou olhos

Sabe-se também, naturalmente, que as mulheres com problemas de saúde, mesmo que seja tão comum como diabetes ou pré-diabetes, devem ter cautela com altas doses de estrogênio. Os riscos são baixos, mas os custos são altos.

Usando o Adesivo

O adesivo é outro método contraceptivo que funciona em ciclos. O padrão é de três semanas com, com um adesivo aplicado a cada semana, e depois uma semana de folga. A semana "off" é quando ocorre a menstruação.

O adesivo é aplicado na parte externa do braço da mulher, nádegas, abdômen ou coxa, no primeiro dia do seu ciclo menstrual ou no primeiro domingo seguinte a esse dia, ou para mulheres com amenorréia em qualquer dia aleatório, o que for mais adequado para esta mulher. O dia de aplicação é conhecido pelas empresas a partir daquele dia como o dia de troca do adesivo. Sete dias depois, quando o dia de troca do adesivo vem de novo, a mulher remove o adesivo e aplica outro em um dos locais aprovados no corpo. Este processo é repetido mais duas vezes. E então um período de 7 dias inteiros é retirado para a menstruação, começando todo o ciclo de novo no dia seguinte de troca do adesivo.

O uso contínuo do adesivo foi estudado, mas não é recomendado considerando a relativa dose mais alta de estrogênio contida nele.

Dito isto – enquanto os níveis mais altos de estrogênio estão associados com risco de problemas cardiovasculares, mulheres que sofrem de baixos níveis de estrogênio podem se beneficiar muito com a administração de estrogênio. A quantidade adequada de estrogênio varia de acordo com o indivíduo, por isso vale a pena discutir estas questões com o seu médico se você estiver interessada em quanto estrogênio você deve (ousar) tomar.

O NuvaRing

O NuvaRing é um anel flexível, de plástico, inserido na vagina, um a cada mês. Ele é inserido pela usuária no início do ciclo menstrual e deixado durante três semanas e, em seguida, removido por uma semana enquanto ocorre uma menstruação. Um novo anel é, então, inserido no mês seguinte.

O uso contínuo do NuvaRing – isto é, sem menstruação – foi estudado. Não parece ser preocupante, embora não tenha sido oficialmente aprovada pelos órgãos do governo. Provavelmente é porque os níveis de estrogênio do NuvaRing são baixos o suficiente para tolerar doses consistentes.

O NuvaRing surgiu no mercado após o adesivo contraceptivo e tornou-se imediatamente popular porque oferecia um método de contracepção fácil sem tanto risco de coágulos sanguíneos como o adesivo. As pessoas ainda caíram matando sobre o NuvaRing, alegando que tinha aumentado os efeitos colaterais, mas várias análises estatísticas mostraram que ele tem os mesmos riscos que outras opções de contracepção.

O NuvaRing é também um comprimido de combinação e proporciona 120µg de etonogestrel, uma progesterona sintética, e 15µg de etinilestradiol, um estrogênio sintético, em cada dia de utilização.

Isso é menos estrogênio do que contém o adesivo e outras pílulas combinadas, o que faz com que o NuvaRing seja desejável pelas mulheres que têm predisposições a dominância de estrogênio ou que têm uma história de problemas com sensibilidade mamária, TPM, náuseas ou cólicas. O NuvaRing também tem uma menor incidência de escape de menstruação, apesar da dosagem de estrogênio ser tão baixa.

Muitas mulheres acreditam que o NuvaRing é uma forma mais suave de contracepção do que as outras – que não vai causar distúrbios hormonais – porque ele fica na vagina e, portanto, age localmente, em vez de sistemicamente no corpo. Isto supostamente mitiga os efeitos colaterais. Mas eu ainda tenho que ser capaz de encontrar qualquer evidência de que este seja o caso. Por enquanto, o que eu posso dizer é que a razão para o NuvaRing ter menos efeitos colaterais do que outros métodos é simplesmente porque ele libera uma dose mais baixa de hormônios.

Dito tudo isso, alguns pesquisadores argumentam que a terceira – e a quarta – geração de contraceptivos – incluindo aqueles que contêm desogestrel como o NuvaRing – aumentam o risco de coágulos sanguíneos, sem acrescentar qualquer benefício. Contraceptivos de terceira e quarta geração contêm estrogênios sintéticos, que podem ou não ser mais problemáticos do que as formulações originais e as formas bioidênticas. Nenhuma evidência estatística significativa, tanto quanto eu possa dizer, existe para apoiar estas alegações.

Então esses são métodos alternativos de contracepção hormonal! O implante contém apenas progesterona e reduz a menstruação, o adesivo contém altos níveis de estrogênio e o NuvaRing é uma pílula combinada de última geração com uma dose tão baixa de hormônios quanto possível. Os efeitos colaterais e os riscos de cada um destes métodos é, aproximadamente, o mesmo que pílulas anticoncepcionais orais – exceto, talvez, no caso do adesivo e também no caso do estrogênio de última geração.

No próximo são DIU, esponjas e preservativos, e consciência da fertilidade! E menopausa!

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores