A escala Bristol de fezes

397
Avalie essa postagem

Mais de uma pessoa me procurou nos últimos dias, querendo saber sobre a mudança de comportamento intestinal quando uma dieta paleo/LCHF é adotada. Via de regra, eu sugiro a leitura destes artigos:

No entanto, hoje me lembrei da “escala Bristol de fezes”, que é um indicativo para que se analise os extremos de constipação e diarréia.
  • Tipo 1: esferas separadas e duras, como castanhas (difíceis de evacuar)
  • Tipo 2: em formato de salsicha, mas grumoso
  • Tipo 3: como uma salsicha, mas com rachaduras na superfície
  • Tipo 4: como uma salsicha ou cobra, liso e macio
  • Tipo 5: pedaços macios com bordas definidas
  • Tipo 6: pedaços esponjosos com bordas irregulares, fezes amolecidas
  • Tipo 7: aquoso, sem partes sólidas. Inteiramente líquido

Segundo a Wikipedia, na definição original da escala os pesquisadores propuseram uma correlação entre o tipo de fezes e o tempo gasto no trânsito intestinal. Suas conclusões foram contestadas, mas a escala continua servindo como ferramenta de pesquisa para alguns tipos de doenças e como ferramenta para comunicação entre profissionais de saúde.

Os tipos 3 e 4 são tidos como “saudáveis”. 1 e 2 tendem à constipação; 5 a 7, à diarréia.

Mas o ponto é: digamos que você adotou uma dieta paleo/LCHF e sentiu seu intestino ficar mais lento. Antes, era um “reloginho”, e agora está incerto – a cada 2 ou 3 dias, por exemplo.
Primeiro: você sente desconforto ? Gases, inchaço, dores ?
Segundo: que tipo de fezes estão sendo produzidas ?
Se você NÃO vai ao banheiro todo dia, mas NÃO tem gases, inchaço e dores, e produz fezes saudáveis, qual o motivo da preocupação ?

Recomendado para você: