Ressaca!

492
Durante um bom tempo da minha vida, digamos dos 14 aos 34, fui um bebedor considerável. 
A cachaçada constante ocorreu durante a faculdade (1994-1997), e foi reduzindo-se em frequência (mas não em volume, até poucos anos atrás) ao longo do tempo. 
Nunca tinha tempo ruim para mim: misturar cerveja, licor de menta e uísque ? Sem problemas. Misturar cerveja, licor de menta e uísque no mesmo copo ? Sem problemas também.
Como se diz, “a prática leva à perfeição”. Dificilmente eu tinha ressacas, e era normal encher a cara na sexta à noite e acordar novo em folha no sábado – para começar de novo.
Uma coisa que me freava bastante era a capoeira: não dava para tomar todas na segunda e treinar pesado na terça.
Com o tempo, fui abrindo mão e bebendo cada vez menos, e com menos frequência. Depois que a minha filha nasceu (2010), ficou ainda mais raro. Quando adotei paleo, a cerveja foi sumindo de vez da minha vida
Atualmente, costumo tomar 1-2 taças de vinho no fim-de-semana. Ocasiões em que me permito enfiar o pé na jaca são a reunião anual dos formandos de 1997, e raros encontros de família. Mas nunca mais tomei cerveja: vou de chachaça, ou de destilados diluídos com água mesmo.
Ontem, foi um encontro de família. 
Como tinha um almoço agendado para antes da festa, comi bem e cheguei de bucho cheio. Escolhi beber vodca diluída em água com gás, com limão e muito gelo. Mais ou menos 1 parte de vodca para 3 de água. Tudo corria muito bem… até que apareceu uma garrafa de cachaça, produzida por um primo lá do norte de Minas. Deliciosa. Tomei uma. Duas. Três. Quatro. 
E acordei em casa hoje, me sentindo como se tivesse levado uma surra com um cano de borracha, e comido um gato vivo. A minha maravilhosa esposa meio que me pôs no carro desacordado, e voltou dirigindo (não, apesar desse meu passado de álcool, NUNCA dirigi bêbado).
Tinha me esquecido completamente do que era ficar COMPLETAMENTE destruído por uma ressaca. A última nesse nível já tinha alguns anos. Passei a manhã inteira botando as tripas para fora, a cabeça martelando feito zabumba.
Altamente desidratado, perdi 1kg de ontem para hoje. Tome-lhe água! Cheguei a pensar em fazer soro fisiológico, mas não quis me arriscar com o açúcar.
Optei por comer um pedaço de bife de fígado, e meia banana congelada (dica: experimentem!).
Agora já me sinto mais como um ser humano e menos como um pano de prato sujo. Estou fedendo a álcool de longe, apesar dos banhos e de escovar dentes.
Não vou dizer que nunca mais beberei, mas fica nítido que os “dias de glória” são coisa do passado.

Recomendado para você: