Os Altos e Baixos do Estrogênio. Parte 1: Deficiência de Estrogênio.

45
Avalie essa postagem

Artigo traduzido por Juliana Whately. O original está aqui.
por Lara Briden
woman low estrogenEu amo o estradiol, o nosso
estrogênio mais forte e mais estimulante. Ele constrói ossos, retarda o
envelhecimento, aumenta a libido, regula o apetite e aumenta a serotonina (que
é por isso que é tão incrível para o humor e o sono). Esses são apenas alguns
dos seus benefícios. O estradiol controla a expressão de mais de mil genes, por
isso é, indiscutivelmente, um dos nossos hormônios mais influentes e
importantes.
Não é de se admirar que seja uma
sensação tão ruim ter deficiência de estrogênio. (Também se sente mal quem tem
excesso de estrogênio, mas isso fica para o próximo post!)
A deficiência de estrogênio
provoca fadiga, ganho de peso, perda de cabelo, depressão e insônia terrível.
Ela também deixa a pele seca, causa infecções urinárias recorrentes e a mais
característica de todos os sintomas de deficiência de estrogênio: secura
vaginal. (Se você fosse minha paciente, gostaria de lhe perguntar sobre a
secura para tentar determinar o quão deficiente de estrogênio você está.)

Como Aumentar Estrogênio

As leitoras sempre me perguntam:
“Como posso produzir mais estrogênio?”
Tudo depende de por que ele está
baixo. Vejamos 4 cenários comuns.

Você não ovula, mas
você não está na menopausa.


A ovulação é o
meio pelo qual você produz estradiol, então sua grande pergunta deve ser: Você
ainda consegue ovular? Por “ainda”, eu quero dizer: Você tem menos de 45 anos? O seu FSH está na pré-menopausa (<25 UI/L)? Se você é jovem e seu
FSH é baixo, então você ainda pode ovular. Isso é verdadeiro mesmo que você
tenha uma histerectomia parcial (útero removido). Você tem ovários, então pode
ovular.
Tratamento: Descubra por que você não
ovula. Você tem SOP? Você tem baixo peso corporal? (Para uma discussão completa
dos problemas de ovulação, por favor, consulte o Capítulo 7 do meu livro “Period
Repair Manual” – tradução livre: “Manual para Reparar a Menstruação”). Corrija a
razão subjacente de você não ovular. Depois de conseguir ovular, o estradiol
aumentará dramaticamente. Não há mais nada que você precise fazer.
A pílula simplesmente não é boa o
suficiente.
Controle de natalidade hormonal impede a ovulação e acaba com o estradiol completamente. Ela o substitui por um estrogênio sintético chamado
etinilestradiol, que é semelhante ao estradiol, mas não é idêntico. O
etinilestradiol não é tão benéfico quanto estradiol, e ele sempre vem junto com
uma progestina que causa coágulos de sangue, depressão ou perda de cabelo.

Você ovula.

Se você
estiver confiante de que você ovula, então você sabe que tem estradiol
suficiente em pelo menos alguns dias do seu ciclo. Por quê? Porque se você não
tem estradiol suficiente, você não teria sido capaz de chegar à ovulação. Você
tem estradiol suficiente. Você ainda
pode ter menos do que a média. É por isso que você tem mentruações leves e
sintomas de deficiência de estrogênio. Eu chamo isso de deficiência de
estrogênio relativa.
Não é fácil
testar a deficiência de estrogênio relativa. Seu exame de sangue pode mostrar
um estradiol muito baixo no dia 2 ou 3 de seu ciclo (mesmo dentro faixa de
referência de “menopausa”), mas isso é normal para esses dias. Você
poderia tentar o teste no pico de estrogênio (cerca de três dias antes da
ovulação), mas provavelmente vai cair dentro da faixa normal.
Tratamento: a deficiência de estrogênio
relativa pode ocorrer em qualquer idade e pode ser o resultado de fumar, baixo
peso corporal, exercício excessivo, estresse, dieta vegetariana, sensibilidade
ao glúten ou comer muita soja. Se você tem menos de 45 anos, o melhor
tratamento é corrigir o problema subjacente, e talvez consumir uma erva de
aumento de estrogênio, tais como Tribulus
ou shatavari. (Tenha cuidado com Tribulus,
no entanto, já que é fortemente estrogênico. Não tomar durante a gravidez ou se
você tem uma história de um câncer sensível ao estrogênio.)
Se você tem mais
de 45 anos, então o seu estrogênio pode tornar-se cada vez mais deficiente,
quanto mais você se move para a menopausa. Uma diminuição gradual pode ser boa,
porque dá ao seu corpo a chance de se adaptar a cada vez menos estradiol. Em
contraste, a maioria das mulheres na faixa dos 40 experimentam o excesso de
estrógeno ou ainda pior: a deficiência intercalada com excesso. Eu chamo isso
de perimenopausa “montanha-russa de estrogênio” e discuto isso com
algum detalhe no meu livro. Veja o próximo post: Predominância
estrogênica.

Você está tendo uma
transição menopausal fácil.

O estradiol
diminui após a menopausa, mas não acaba completamente. Você continua a produzir
algum estrogênio (ambos estrona e estradiol) de seus androgênios
(androstenediona e DHEA). A conversão acontece no tecido periférico, como o
cérebro, gordura e pele, e isso deve ser suficiente para mantê-la saudável.
Você vai produzir mais estrogênio se você tem uma boa oferta de DHEA vindo de
suas glândulas supra-renais. É por isso que é tão importante apoiar o seu eixo
hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA) durante e após a menopausa.
Tratamento: Apoie seu eixo HPA descansando
e dormindo o suficiente, e tomando magnésio e ervas, como rhodiola ou
ashwaganda. Se você sofre ondas de calor, tente cohosh-preto combinado com hipericão
(Erva de São João). Essas ervas não aumentam os níveis de estrogênio, mas aliviam
os sintomas da menopausa. Se você sofre de secura vaginal e baixa libido, então
considere o uso de um creme vaginal com baixa quantidade de estradiol.

Você está tendo uma
transição menopausal difícil.

Se você
estiver lendo esta seção, então você sabe da miséria que vem com a retirada
acentuada de estradiol. A retirada súbita ocorre após a menopausa cirúrgica
(remoção dos ovários), a cessação súbita de controle de natalidade hormonal ou
HRT (Terapia de Reposição Hormonal), ou depois de um tipo de perimenopausa
particularmente difícil, “montanha-russa de estrogênio “.
Os piores
sintomas são ondas de calor, depressão e insônia severa. Tenho testemunhado
esses sintomas com muitas pacientes, e eu realmente não acho que qualquer
mulher deva passar por eles. Eu apoio o uso da substituição com estradiol bioidêntico.
Tratamento: estradiol bioidêntico é
muito, muito diferente dos estrogênios de cavalo horríveis e
medroxiprogesterona utilizados na HRT dos anos 70 e 80, e no estudo da Women’s
Health Initiative. Quando usado adequadamente, o estradiol bioidêntico é
bastante seguro. Está disponível como um adesivo ou um gel, e deve ser
combinado com uma progestina, de preferência uma cápsula de progesterona bioidêntica.
Fale com o seu médico.

Em resumo, o estradiol é um hormônio
gostoso, que dá vida, essencial. Antes da menopausa, você produz estradiol com
seus ovários. Você só pode fazer isso se você ovula regularmente. Após a
menopausa, você produz estradiol (e outros estrogênios) a partir de hormônios
supra-renais.

Recomendado para você: