Treinos de 15 minutos, 3 vezes por semana: funciona?

80
Semana passada, publiquei um texto no qual mostrava que mais de 70 milhões de brasileiros estão sedentários pois não encontram tempo para treinar. Questionei que o ponto não é, de fato, a falta de tempo, e sim a falta de orientação correta sobre o tempo necessário para se exercitar! Isso porque a maioria dessas pessoas não sabe que com 10 minutos 4-5 x por semana ou 15 minutos em 3 sessões semanais, já obtemos todos os benefícios esperados do exercício físico.
Hoje a globo.com publicou uma matéria com o Dr. Paulo Gentil na qual ele explica em detalhes como isso é possível. 
Nesse momento nada mais justo do que lembrar uma passagem importante da minha trajetória profissional e que os ajudará a entender.
No início de 2011, passei no processo seletivo da Academia Tribus. À época, esta rede seguia à risca a metodologia de treinos do Paulo e eu deveria passar por um treinamento técnico para aprender e me adequar a ela. Bendito foi o dia em que conheci meu amigo Daniel de Luca e passei por este treinamento. Logo nos primeiros dias percebi que se eu quisesse ser um treinador medíocre, ainda precisaria melhorar muito!
Num belo dia o Sr. de Luca me disse: vou conduzir um treininho de membros inferiores com você de voluntário hoje, beleza? Beleza! Eu, atleta de futebol, ciclista, “treinava” musculação já há alguns anos, tá tranquilo! concluí. Resultado: mal consegui ficar de pé após este maldito treino. Não porque ele enfiou peso nas minhas costas, trocentos exercícios e nenhum descanso. Mas sim, porque ele simplesmente controlou as inúmeras variáveis qualitativas de todas as execuções e me levou ao máximo em cada uma das séries. E sabe quanto tempo durou esse martírio: 18 minutos cronometrados!
Bem, depois disso muita água passou embaixo desta ponte. Mas se hoje sei alguma coisa interessante sobre musculação, devo muito a estes dois rapazes e sempre lhes serei grato.
Há pouco li um professor duvidando do volume proposto pelo Paulo. Só me vem uma frase à mente quando leio um troço desses: Senhor, perdoa-lhes pois eles não sabem o que dizem.
Esses professores não têm nenhuma ideia do que a manipulação consciente de variáveis pode trazer ao treino, infelizmente.
E mais uma vez, como eu disse no texto anterior, as orientações advindas de muitos profissionais sobre a quantidade de exercício necessário para hipertrofia, condicionamento, etc., ignoram completamente o fato de que a maioria das pessoas tem dezenas de outras coisas pra fazer na vida além de malhar!
Sempre tenham em mente: não é quanto se treina e sim, como se treina.
Compartilhe com os amigos que estão sem tempo para treinar.
Ótimos e intensos treinos pra vocês!
Um abraço
Felipe Piacesi é mineiro de Barbacena, 32 anos, casado com a Mestre em Nutrição Débora Melo e pai da Valentina. Residente e apaixonado por Brasília há 16 anos. Bacharel em Educação Física pela UCB, pós graduado em Musculação e Treinamento de Força pela UnB, professor universitário, consultor, palestrante, coordenador técnico, personal trainer e praticante de musculação há 12 anos. Amante de ciências, é fascinado pelos resultados sustentáveis e seguros que a musculação e o HIIT trazem para seus alunos. Defensor destas modalidades na busca de uma vida mais saudável, longeva e autônoma. Devido a isso crê que quando uma pessoa se interessa em se exercitar, deve receber toda atenção e informação possível para incorporar definitivamente a prática em sua vida. É também defensor e praticante, desde 2013, de alimentação baseada em comida de verdade, no moldes das dietas Paleo e Primal.

Se você quiser conhecer o trabalho do Felipe como coach e ver os resultados dos alunos dele, clique aqui.

Recomendado para você: