Medo de ficar grande?

35
Avalie essa postagem

Acho que desde que eu era estagiário, não houve uma semana sem que alguma mulher tenha me questionado ou mesmo apresentado um veto a exercícios de membros superiores em seus treinos, com medo de ficar “grande”. 
Certa vez conheci uma moça de uns 35 anos e contaram a ela que eu era personal trainer. Logo depois, veio me dizer que não fazia musculação porque, segundo ela, (colocando minhas mãos em seus ombros) já tinha “músculo demais”. Gostaria que estivessem aqui pra eu mostrar a cara que tive vontade de fazer na hora. A Débora, minha esposa, está aqui ao lado morrendo de rir… 
Pois bem, em 2015 escrevi um texto no qual expliquei detalhadamente a importância da testosterona e seus receptores no ganho de massa muscular. Recapitulando: é público e notório que homens possuem naturalmente concentrações 7 a 8 vezes maiores deste importante esteroide anabolizante que as mulheres e que produzem 20 a 30 vezes mais testô do que elas. Ah, outro prego científico neste caixão é: mulheres apresentam menos receptores para testosterona nos membros superiores do que homens (Abe et al., 2003; Janssen et al., 2000). Ou seja, só com muita bomba pra um mulher ficar com bração! 
Maaass, fisiologia e ciência convencem pouca gente, não é mesmo? Então vamos pegar algo mais tangível. Algo que vocês possam ver. As fotos que ilustram esse post são da Morghan King, recordista americana de levantamento de peso. 
Atenção! Ler novamente e refletir sobre a última frase. Vou ficar esperando! 
Leu, refletiu? Você tá indo bem, avance uma casa! Competindo no Rio, em 2016, no arranco essa jovem atleta levantou 84 kg. No arremesso, ergueu 100 kilinhos. É peso demais! E como ela conseguiu chegar a esse nível? Levantando peso em incontáveis sessões de treinamento praticamente a vida toda. 
Então pergunto, se ela que tem uma genética privilegiada, treina para ser mais forte e ganhar massa muscular, tem a melhor equipe de treinadores, nutricionistas, fisioterapeutas, médicos etc e pega peso bagarai não “tá grande”, por que você ficaria grande fazendo supino e remada com uns pesinhos a mais? Então parem de mimimi e treinem membros superiores direito. Só lhes fará bem.
Um abraço,
Felipe

Referências

  • ABE, T. et al. Sex differences in whole body skeletal muscle mass measured by magnetic resonance imaging and its distribution in young Japanese adults, British Journal of Sports Medicine, v. 37, n. 5, p. 436-440, 2003.
  • JANSSEN, I. et al. Skeletal muscle mass and distribution in 468 men and women aged 18-88 yr, Journal of Applied Physiology, v. 89, n. 1, p. 81-88, 2000.
Felipe Piacesi é mineiro de Barbacena, 32 anos, casado com a Mestre em Nutrição Débora Melo e pai da Valentina. Residente e apaixonado por Brasília há 16 anos. Bacharel em Educação Física pela UCB, pós graduado em Musculação e Treinamento de Força pela UnB, professor universitário, consultor, palestrante, coordenador técnico, personal trainer e praticante de musculação há 12 anos. Amante de ciências, é fascinado pelos resultados sustentáveis e seguros que a musculação e o HIIT trazem para seus alunos. Defensor destas modalidades na busca de uma vida mais saudável, longeva e autônoma. Devido a isso crê que quando uma pessoa se interessa em se exercitar, deve receber toda atenção e informação possível para incorporar definitivamente a prática em sua vida. É também defensor e praticante, desde 2013, de alimentação baseada em comida de verdade, no moldes das dietas Paleo e Primal.
Se você quiser conhecer o trabalho do Felipe como coach e ver os resultados dos alunos dele, clique aqui.

Recomendado para você: