Proteína extra para perda de peso (funciona mesmo ?)

675
Assista ao meu mini-curso gratuito sobre paleo/lowcarb!
Artigo traduzido por Hilton Sousa.
por Brad Pilon
Se você fizer dieta sem treinamento resistido, vai perder tanto músculo quanto gordura.
Esse é um FATO bem documentado.
Só que a maioria das pessoas quer perder gordura e manter – ou mesmo ganhar – músculos.
Felizmente, treino resistido é um potente sinal para que o seu corpo mantenha a massa muscular mesmo durante dietas extremas.
Isso também é bem documentado tanto em homens quanto mulheres, jovens e idosos.
E se você quiser virar o jogo ainda mais a seu favor… alterar a sua ingestão de proteínas também pode ajudar.
Em um estudo recente publicado pelo Dr. Stuart Phillips, 40 homens jovens com sobrepeso (idade média em torno de 22 anos e gordura corporal media de 24%) completaram uma rotina de 4 semanas de exercício intenso enquanto mantinham um déficit calórico de 40% (ou seja, só comiam 60% das calorias que queimavam em um dia típico).
Os homens também foram divididos em 2 grupos – um grupo com a ingestão de proteína moderada e um grupo com alta ingestão proteica (suplementada com whey).
O grupo de proteína moderada consumiu 1.2 gramas de proteína por quilograma de peso corporal, enquanto o grupo de alta proteína consumiu o dobro dessa quantidade: 2.4g/kg.
Esses eram caras maiores que a média (90-99kg), então as ingestões de proteínas variaram de 115g/dia no grupo moderado a 230g/dia no grupo de alta proteína.
A composição corporal dos homens foi medida por bioimpedância, DEXA e BodPod (maneiras realmente boas de se avaliar mudanças na composição corporal).
Após 4 semanas, o grupo de alta proteína perdeu cerca de 4.7kg de gordura e o grupo moderado em proteína perdeu cerca de 3.6kg de gordura.
Nenhum dos grupos perdeu massa muscular, e o grupo de alta proteína até mesmo ganhou uma pequena quantidade (cerca de 1.3kg). Todos ficaram mais fortes e mais condicionados.
Então sim – você pode perder gordura sem perder músculo.
E sim, você pode até mesmo ser capaz de ganhar músculos em déficit calórico. Tenha em mente que esse déficit era GRANDE, e que o programa de malhação de 6 dias por semana era INTENSO.
Entretanto, eu tenho algumas outras constatações para você
  1. Esse também é um suporte interessante para idéia de “explosões” de perda de peso, dando tudo de si por 3-4 semanas e depois retornado para algo mais gerenciável
  2. Também é suporte para idéia de que períodos extendidos de tempo gastos com dieta ou exercício extremos não são bons para homens ou mulheres. Muito é dito sobre os perigos de dietas extremas para mulheres, mas homens tendem a ser deixados de fora da conversa. Então é importante notar que esses homens tiveram reduções drásticas na testosterona ao final do período de 4 semanas (chegando à faixa próxima dos 100ng/dl). Obviamente, fazer dieta e exercitar-se é uma maneira efetiva de de perder peso. Mas dietas e exercício extremas e podem vir acompanhados por algumas mudanças hormonais indesejadas. Eu não estou certo se foi a dieta, o exercício ou a combinação (mais provável) que causou essa queda na testosterona, mas é algo para se pensar se você (homem ou mulher) é uma dessas pessoas que se força muito todo dia na academia e ainda restringe severamente as calorias.
  3. Enquanto isso parece apoiar as quantidades muito altas de proteína, tenha em mente que mesmo em face de uma rotina pesada de malhação e uma redução de 40% das calorias, os homens comendo cerca de 100g de proteína por dia não perderam qualquer quantidade mensurável de músculos.
Assista ao meu mini-curso gratuito sobre paleo/lowcarb!