O pré-diabetes é apenas diabetes ?

8
Avalie essa postagem

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.
por Ashley Rekem
Talvez seja uma pergunta idiota a se fazer, dado que o pré-diabetes está bem-estabelecido pela
medicina.
Entretanto, eu acho que pode ser confuso. Eu sou diabético ? Ou não ? Um pouco ? Com consultas de 10 minutos no consultório do seu médico, alguém tira tempo para te explicar o que realmente está acontecendo ?
Há muitos testes usados para diagnosticar pré-diabetes e diabetes, mas os dois mais populares são a hemoglobina A1C (HbA1C) e glicemia em jejum.
HbA1C: A Associação Americana do Diabetes recomenda que esse seja usado como o teste diagnóstico primário. A hemoglobina encontrada nas células vermelhas do sangue forma ligações com as moléculas de glicose (isso é chamado “glicação”). Em uma pessoa saudável, a glicose é absorvida facilmente pelo corpo e não fica zanzando pela corrente sanguínea por muito tempo, então a percentagem máxima de glicação deveria ficar na média não muito acima de 5.6%. Pré-diabetes é diagnosticada de 5.7 a 6.4%, e diabetes acima de 6.5%.
As células vermelhas do sangue vivem  em média 120 dias, de maneira que os testes medem quão bem o seu corpo processou açúcar nos últimos meses, e esse é o motivo de o exame ser forte indicador.
Glicemia em jejum: normalmente, depois de 8 horas de jejum, os níveis de açúcar no sangue não deveriam ser maiores que 100mg/dL. A faixa pré-diabética vai de 100 a 125mg/dL; e é considerada diabetes acima dos 126mg/dL.
De acordo com a Clínica Mayo, pré-diabetes significa “que a sua glicemia está mais alta que o normal, mas ainda não é alta o suficiente para ser classificada como diabetes tipo 2”. A diferença entre pré-diabetes e diabetes é realmente uma questão de números.
Eu sempre pensei que o termo pré-diabetes era indevido porque não é uma condição de verdade, que vem antes do diabetes. É diabetes tipo 2: pré-diabetes e diabetes pertencem a um mesmo continuum. Pré-diabetes é o estabelecimento do diabetes, uma doença que começa com a resistência à insulina, uma condição que pode durar por muitos anos antes da manifestação da glicemia elevada.
A resistência à insulina ocorre quando o corpo pára de responder normalmente à insulina, geralmente devido a excesso de peso, e como resultado não consegue mais absorver o açúcar eficientemente. O pâncreas precisa bombear mais e mais insulina em um esforço para forçar a entrada do açúcar nas células. Ao longo do tempo, o pâncreas torna-se menos capaz de lidar com a demanda, e os níveis de glicemia começam a subir. É aí que o pré-diabetes se apresenta, e “sem intervenção, pré-diabetes provavelmente torna-se diabetes em 10 anos ou menos”, afirma a Clínica Mayo.

Aqui está a verdadeira área cinzenta: o quanto os números realmente te dizem ?

Os números que ditam a classificação de pré-diabetes e diabetes pode ser enganadores. Eles são simplesmente diretrizes para fazer diagnósticos. O que eu quero dizer com isso é que uma vez que você tenha sido confirmado com pré-diabetes, é um problema. Não limpe a testa e diga “ufa, ao menos não tenho diabetes ainda!”
A Clínica Mayo estressa um ponto muito importante: “Se você tem pré-diabetes, o dano de longo prazo do diabetes – especialmente ao seu coração e sistema circulatório – pode já estar começando”. Esse foi exatamente o meu caso.
Quando fui confirmada com pré-diabetes, minha glicemia em jejum era 104mg/dL e minha HbA1c era de 5.7%, ambas logo acima da faixa normal. Entretanto, eu já tinha sintomas de diabetes e mostrava sinais de perturbações metabólicas: meus níveis de HDL eram muito baixos e meus triglicérides, gorduras encontradas no sangue, eram muito altos. Eu também tinha pressão alta. Esse conjunto de perturbações é conhecido como síndrome metabólica, que surge e piora em relação direta com a resistência à insulina. Eu até já a vi ser chamada de “síndrome da resistência à insulina”.
Os números significam que você definitivamente terá sintomasde diabetes quando a sua glicemia em jejum ultrapassar 125mg/dL ? Não! Na prática, de acordo com o Joslin Diabetes Center, aproximadamente 1/3, ou 8 dos 24 milhões de pessoas estimadas com diabetes nem sequer sabem que têm a condição.
Eu já estava bem avançada na minha estrada para a doença cardíaca, com números pré-diabéticos baixos. Para mim, os números eram sutis mas os problemas certamente não.

O pré-diabetes é sobre-medicado ?

Alguns profissionais médicos têm questionado a condição de pré-diabetes, perguntando se ela é sobre-medicada e que pessoas saudáveis estão sendo desnecessariamente tratadas com drogas. Eu concordo que o pré-diabetes é sobre-medicado ? Sim, concordo, porque ele não precisa ser tratado com nenhuma medicação. Entretanto, não posso concordar que seja tratado de maneira casual.
Pré-diabetes é um sinal de alerta sério para a sua saúde futura, particularmente a saúde do seu coração, e é completamente reversível com perda de peso induzida por mudanças dietéticas e exercício. Não se desespere pensando que você precisa perder uma tonelada de peso para ver mudanças significativas. Mesmo a perda de 10% do seu peso corporal pode começar a reverter a resistência à insulina e a tendência à elevação futura da sua glicemia.

Recomendado para você: