Colesterol: A grande e gorda mentira. E mais: como prevenir doenças do coração.

99
Avalie essa postagem

Artigo traduzido por Antônio Carlos Junior. O original está aqui.

por Sarah Stacey

Far from being harmful, cholesterol - found in eggs, cheese - is essential for lifeNo último meio século, o colesterol elevado tem sido responsabilizado
pela doença cardíaca
 coronária. Nos foi dito para renunciar a alimentos ricos
em colesterol – ovos, queijo, frutos do mar – e tomar estatinas para reduzir os
níveis de colesterol no nosso sangue.

Tudo isso foi com base em virtualmente nenhuma evidência real, como um
grupo crescente de especialistas dissidentes apontou. Até agora eles têm sido
ignorados, mas isso está mudando.

Longe de ser prejudicial, o colesterol é essencial para a vida. “É
tão vital que todas as células, além de neurônios, possam fabricar colesterol,
e uma das principais funções do fígado é sintetizá-lo,” diz o Dr. Malcolm
Kendrick, autor de “The Great Cholesterol Con” (N.T.: em tradução livre, “O grande golpe do colesterol”. Duas coisas importantes foram
estabelecidas este ano: em primeiro lugar, comer alimentos que contenham
colesterol não é perigoso e não aumenta o colesterol no sangue.

O relatório científico de 2015 do Comitê Consultivo de diretrizes
dietéticas dos EUA afirma que “a evidência disponível não mostra nenhuma
relação significativa entre o consumo de colesterol dietético e colesterol
sérico”.

Na verdade, o fígado produz 85% do colesterol que o corpo
necessita para funcionar. “Você precisaria comer seis a oito ovos por dia
para produzir colesterol em quantidade suficiente para as necessidades do seu
corpo”, diz o Dr. Kendrick, “o que é improvável que você faça. Mas se você
come quatro ovos por dia, o fígado ajustaria a quantidade produzida”.

A segunda constatação mais controversa é que, nas palavras do Dr. Kendrick, “A pesquisa confirma que, se você tem um alto nível de colesterol você vai
viver mais tempo”. Um relatório publicado no Annals of Nutrition and
Metabolism afirma que o colesterol elevado não leva a doenças cardíacas e de
fato protege contra muitas doenças, incluindo câncer.

A exceção é em pessoas com menos de 50 com colesterol extremamente alto devido à condição genética familiar de hipercolesterolemia. “Enquanto eles
são mais propensos a morrer de doença cardíaca, eles são muito menos propensos
a morrer de câncer, então a expectativa de vida é essencialmente
inalterada,” diz o Dr. Kendrick.

Após examinar todos os dados da pesquisa, os autores afirmam “a mortalidade por todas
as causas é mais elevada no grupo colesterol mais baixo”.

Isto foi baseado em grandes estudos no Japão, mas eles também
descobriram que “os idosos com os mais altos níveis de colesterol têm as
mais altas taxas de sobrevivência, independentemente de onde eles vivem no
mundo”.
Precisamos de colesterol para…

  1. Ligar células do cérebro: as ligações cruciais (sinapses) entre as
    células nervosas (neurônios) em nossos cérebros são feitos quase inteiramente
    de colesterol.
  2. Produção de vitamina D: o que nós precisamos para ossos fortes e
    proteção contra doenças, incluindo alguns tipos de câncer. A vitamina D é
    sintetizada a partir do colesterol pela ação da luz solar sobre a pele.
  3. Criação de membranas celulares: o revestimento que mantém as
    estruturas das nossas células intactas.
  4. Construção dos hormônios sexuais (estrogênio, progesterona e
    testosterona).
  5. Produção de bile: que ajuda na digestão dos alimentos.
  6. Combate à infecção: lipoproteínas, que transportam o colesterol,
    ligam-se a vírus e bactérias e desativa-os.

Conselhos do Dr. Kendrick para a prevenção de doenças cardíacas
  1. Se você fuma, pare imediatamente
  2. Faça exercício. Andar por toda parte. Arranje um cachorro.
  3. Exponha-se à luz do sol.
  4. Reduza áreas de estresse negativo no trabalho e em casa.
  5. Coma mais gorduras (incluindo algumas gorduras saturadas), menor
    número de alimentos altamente processados e menos açúcar em todas as formas.

A verdade sobre as estatinas
  1. O principal autor de um novo estudo em estatinas, Dr Tomohito
    Hamazaki, apoiou anteriormente a hipótese de colesterol e promoveu os benefícios
    das estatinas. “Terríveis erros, imperdoáveis dado o que claramente
    sabemos agora”, diz o relatório.
  2. Estas drogas são agora reconhecidas como tendo múltiplos efeitos
    colaterais debilitantes, nomeadamente a fraqueza muscular, fadiga e perda de
    memória, bem como condições mais graves.
  3. Bem como o bloqueio do colesterol, as estatinas bloqueiam a produção de
    co-enzima Q10, um antioxidante essencial para a liberação de energia de
    nossas células e para alimentar os músculos.
  4. Dr. Kendrick recomenda que os pacientes que sofrem efeitos colaterais
    tirem umas férias da estatinas durante dois meses. “Muitos sentir-se-ão
    muito melhor e optarão por não voltar”, diz ele.
     

Recomendado para você: