Dieta rica em fibras pode ajudar contra infecção intestinal potencialmente letal

por Guilherme Ceolin



O post de hoje é curtinho e ecoa o que já foi publicado aqui há um tempo sobre o papel das fibras na dieta. Isto, apesar de parecer óbvio, nem sempre é levado em conta quando se pensa em alimentação "saudável", isto é, aqueles "guias" ensinando a medir os percentuais "corretos" de proteínas, carboidratos e gorduras se está ingerindo por dia, sem levar em consideração de onde eles vêm e quais seus efeitos no organismo dependendo de suas origens. 

Além dos importantes papeis desempenhados pelas fibras na melhora do trânsito intestinal e no retardo na absorção do açúcar, mais uma função relevante foi aparentemente confirmada: dietas ricas em fibras podem aliviar infecções causadas por uma bactéria virulenta e comum, o Clostridium difficile. Este patógeno é uma das principais causas de infecções adquiridas em hospitais e residências e causa diarreia severa, dores e inflamação intestinal, matando dezenas de milhares de pessoas em todo o mundo a cada ano.

Estudando meios de efetivamente combater este micróbio, a equipe do pesquisador Justin Sonnenburg, da Escola de Medicina da Universidade de Stanford, na Califórnia, infectou ratos com Clostridium difficile e dividiu os mesmos em dois grupos (link para o estudo original aqui). Aqueles alimentados com dietas ricas em fibras geralmente eliminaram as bactérias de seus tratos gastrintestinais para níveis abaixo dos detectáveis ​​em menos de duas semanas. Por sua vez, aqueles animais que ingeriram uma dieta pobre em fibras mantiveram níveis altos destas bactérias. Os pesquisadores atribuíram esta diferença aos efeitos positivos que uma dieta rica em fibras tem sobre o crescimento das bactérias "boas" no intestino.

Embora preliminar, a pesquisa sugere que melhorar a dieta das pessoas pode ajudar a mitigar doenças causadas por C. difficile e, talvez, outros patógenos gastrointestinais. Ou seja, cuidem bem de suas bactérias boas, já que um microbioma bem nutrido pode eliminar aquelas potencialmente letais.

Guilherme Ceolin é mais um animal bípede e tagarela tentando encontrar seu lugar no mundo, que calhou de ser biólogo e doutor em Botânica. Paga suas contas atuando como professor universitário federal na UFSM-FW, onde desenvolve projetos com temas ligados ao mundo das plantas, sejam elas bonitas ou feias, saborosas ou não. Se diverte, relaxa e desestressa lendo e escrevendo sobre divulgação científica (Deviante, onde também participa do Scicast Podcast) e literatura (Wattpad), brincando com os filhos, pesquisando ingredientes, cozinhando e comendo.

Que tal fazer parte da lista de emails do Paleodiário e receber uma versão em alta resolução da Tabela Periódica de Alimentos Paleo?

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores