Diabetes tipo 1 não é páreo para o estilo de vida paleo!

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

real life stories stories 1 2
Meu nome é Shawn, e tenho 28 anos. Fui diagnosticado com diabetes tipo 1 cerca de 1 ano atrás. Não vi muitas histórias ou artigos relacionados com diabetes no Mark's Daily Apple, então pensei que poderia compartilhar como me tornar primal me ajudou a tomar de volta o controle sobre a minha saúde e bem-estar.

Primeiramente, fui muito saudável pela maior parte da minha vida (ou assim eu pensava). Na faculdade, fazia musculação, corria, fazia flexões e agachamentos no meu dormitório regularmente. Desprezava saladas e vegetais frescos, e me entupia de hamburguer, cereal e sanduíche de geléia com manteiga de amentoim porque era conveniente e porque eu "conseguia gastar tudo malhando". Tenho 1,82m e meu peso chegou ao máximo (92kg) durante o último ano de faculdade (2007)... Perfeitamente saudável, eu pensava.
PIC1 1

Adiantemos alguns anos (durante os quais eu consegui perder 4.5kg graças ao treinamento básico do exército), em setembro de 2011. Comecei a perder peso... muito peso. Cerca de 11kg em 3 semanas, para ser exato. Bebia água aos litros, e não conseguia me exercitar sem ter cãimbras sérias nas pernas. Alguma coisa estava obviamente errada, então marquei uma consulta com meu médico, que eu não visitava havia quase 10 anos. Minha glicemia em jejum estava em 350 (o normal é 70-99 mg/dL). Os últimos meses de 2011 foram muito desafiadores. Não havia explicação para eu ter adquirido a doença (não tenho histórico familiar) e tentar chegar a termos com o fato de que eu teria que lidar com isso diariamente pelo resto da minha vida, era devastador. Comecei a trabalhar com educadores sobre diabetes e nutricionistas no hospital local e fui orientado a comer 320g DE CARBOIDRATOS POR DIA (!!) baseado no meu nível de atividade. E eles chamam a si de nutricionistas ?? Até o meu endocrinologista disse que eu podia comer o que quisesse porque a doença "já é ruim demais do jeito que é" e tudo o que eu precisava era injetar insulina suficiente para cobrir a comida que eu comesse. Nesse ponto, eu ainda não conhecia alternativa melhor, então comprei a idéia do conhecimento comum.

PIC2


Não preciso nem dizer que o controle da minha glicemia não era bom. Eu chegava a 250mg/dL logo após as refeições, mas como voltava ao normal após algumas horas, o meu médico estava tranquilo com isso. Estando ciente dos efeitos colaterais de glicemia fora de controle, eu decidi me educar e me tornar meu próprio "médico/nutricionista".

Por volta de janeiro desse ano, um amigo me apresentou a dieta paleo. Eu chequei, e fiquei intrigado. Comecei a fazer leituras e pesquisas extensivas (durante as quais eu cruzei com o MDA) e decidi dar uma chance. Lentamente, comecei a tirar os açúcares/carboidratos/comidas processadas que estavam envenenando meu corpo (especialmente o cereal, que era uma das bases da minha dieta na época), e adivinha... Minha glicemia e saúde em geral melhoraram drasticamente, e minha necessidade de insulina caiu como uma pedra!!!

Adiantemos outros 8 meses, para o dia de hoje, e a vida nunca foi melhor! Através da minha fé, do suporte da minha maravilhosa esposa e família, e uma pequena ajuda do método Primal, tenho sido capaz de lidar com minha diabetes ao ponto de ela ser um mero pensamento solto na minha vida diária. Minha dieta inclui quantidades grandes de carnes/ovos/legumes/verduras/castanhas como combustível do meu estilo de vida ativo, cerca de 120g de carboidradtos  por dia com virtualmente nenhuma comida da dieta americana padrão (se eu escorrego, minha glicemia paga o preço!). Eu ainda me permito com algumas tranquilas para diabéticos, embora questionáveis do ponto de vista primal (um pouco de queijo, uns poucos amendoins, e a ocasional bebida artificialmente adoçada). Acho que que sempre há espaço para melhorar ? Ainda malho frequentemente, mas à moda paleo: vou de bicicleta para o trabalho sempre que possível (25km, 50 minutos em cada sentido), sessões de sprint quando não posso pedalar, e treinamentos tipo circuito com flexões/barras/qualquer outro exercício com peso do corpo que eu consiga imaginar - de 4 a 5 vezes por semana. O resultado: meu peso estabilizou-se em 85kg (um pouco menor que o peso pré-diabetes) enquanto diminui alguns números de vestuário. Tenho toneladas de energia, especialmente comparado a alguns de meus parentes com diabetes tipo 2, que sempre se sentem "atropelados" devido às suas dietas ruins. (Estou tentando convertê-los, mas sem sorte até o momento). E é claro, combinado com o a bomba de insulina automática que agora uso (que eu recomendaria fortemente a todos os diabéticos insulino-dependentes) acho muito fácil controlar minha glicemia (isto é, menor que 100mg/dL O TEMPO INTEIRO, com pouquíssimos episódios de hipoglicemia). E possivelmente a melhor parte, minha família/amigos/colegas de trabalho estão notando essas mudanças e começando a questionar suas próprias dietas e estilos de vida... é como uma doença contagiosa (do tipo bom)!

PIC3


Algumas estatísticas para os diabéticos (e não-diabéticos) que possam se interessar:

  • Hemoglobina glicada A1C 
    • Setembro/2011 = 13.0 (recém diagnosticado)
    • Janeiro/2012 = 5.7 (pre-Primal)
    • Maio/2012 = 5.4 (parcialmente Primal)
    • Novembro/2012 = ?? (deve estar abaixo de 5)
  • Uso médio de insulina por dia (bolus + basal) = 13-14 unidades (o médico acha que eu ainda estou na fase "lua de mel" após 1 ano. Possivelmente, mas eu acho que é mais um resultado da minha dieta e nível de condicionamento físico) 
  • Níveis de colesterol na época do diagnóstico
    • HDL = 35
    • LDL = 90
    • Triglicérides = nas alturas, por causa da glicemia alta

O próximo teste é em novembro, e vai ser o indicador real da efetividade do meu novo estilo de vida! 

Estou buscando uma vida longa e saudável (apesar da diabetes), à medida que meu estilo de vida primal continua a evoluir, e espero poder colocar mais pessoas à bordo! Obrigado por ler, e espero que isso possa prover alguma motivação para os diabéticos aí fora que precisam de um incentivo extra de vez em quando!

Recomendado para você

12 comentários

Click here for comentários
Polly
admin
23 de novembro de 2013 17:59 ×

Não sou diabética mas adorei ler sua história!
Parabéns pelas conquistas :)

Reply
avatar
Morena Braga
admin
26 de novembro de 2013 15:21 ×

Puxa espero poder com essa história verídica, convencer minha amiga que ela necessita vir para o paleo...rsrs. Ela tem diabetes tipo 1, e como Mark diz: sei que ela necessitará controlar quanto injetar depois de algumas semanas praticando...

Parabéns mais uma vez pela tradução Hilton!!
Valeu abraços....

Reply
avatar
Carol
admin
6 de abril de 2014 00:33 ×

Sou diabética tipo 1 tem 15 anos já, e a dieta paleo foi a única que me ajudou a controlar a glicose... Ah, se eu soubesse antes!

Reply
avatar
Teimosia
admin
6 de abril de 2014 09:24 ×

Olá, Carol

Você gostaria de contar a sua história aqui no site ? Eu terei prazer em publicar.

Atenciosamente,
Hilton

Reply
avatar
12 de agosto de 2014 18:48 ×

Olá, tenho DM 1 há 14 anos e venho com altos e baixos desde o diagnóstico (agora tenho 21 anos). Minha dieta era terrível, como a sua, e médicos e nutricionistas pareciam achar normal - como eu também achava. Há 1 mês fiquei sabendo da dieta paleo e achei incrível; mas ainda tenho algumas dificuldades, como por exemplo quando como carne vermelha, fico com hiper pós-prandial (170-200). Você teria algum conselho de alimentos proteicos que não fazem elevação da glicose?
Obrigada!

Reply
avatar
Teimosia
admin
13 de agosto de 2014 11:05 ×

Olá, Débora

Proteína demais, via de regra, faz a glicemia subir. A dieta paleo tenta dar mais foco às gorduras ao invés de proteínas e carboidratos, como você já deve ter lido.

Dê uma passeada pelo blog do Tommy Runesson: http://www.tommytappar.se/

Está em sueco, então provavelmente você não vai entender nada. Mas é interessante ver as comidas que ele prepara (ele é chef de cozinha, e passou de 174 para 80 e poucos kg ao longo de 2 anos). Junto de cada foto da comida ele coloca o percentual de gordura, proteína e carboidratos.

Você vai ver que a proporção de gordura bate de longe, o resto - ele segue uma dieta cetogênica bem estrita.

O meu conselho: convença o seu médico (se já não convenceu) a te acompanhar enquanto inicia a dieta - leia os artigos sobre "LCHF para iniciantes" e cetose, se precisar de mais embasamento teórico.

Experimente uma semana de coisas mais gordas (barriga de porco, bacon, manteiga, coco, abacate, azeite de oliva, etc) e monitore a glicemia de perto (imagino que você tenha um glicosímetro à mão).

Veja o que acontece, e conte-nos!

Reply
avatar
13 de agosto de 2014 13:05 ×

Nossa, obrigada pelos conselhos, com certeza me ajudarão bastante!
Vou mudar algumas coisas na dieta, e mais tarde conto como foi.
Até!

Reply
avatar
Teimosia
admin
13 de agosto de 2014 14:04 ×

Olá, Débora!

Lembre-se de manter o seu médico informado, e de controlar a sua glicose com frequência. Digo isso porque eu sou um cara que acredito em resultados: eu só passei a confiar na dieta paleo depois de uns 60 dias e 3 exames de sangue me dizendo que tudo estava bem. Ver para crer, sempre!

No seu caso, como um pico de glicose pode te dar muitos problemas, o controle tem que ser (ainda mais) rígido até você aprender o que é melhor para o seu corpo.

E lembre-se que as suas doses de insulina injetável podem diminuir, porque a glicemia tende a cair só com a dieta! Mais um motivo para o médico estar sabendo do seu experimento...

Reply
avatar
13 de agosto de 2014 14:23 ×

Com certeza!
É realmente difícil de acreditar, pois vai contra tudo o que o senso comum dita. Mas estou confiante que vai dar certo.
Obrigada.

Reply
avatar
23 de agosto de 2014 14:49 ×

Ola!! Sou dm1 ha 22 anos, com "controles" descontrolados =/
Ja li algumas coisas sobre o estilo de vida paleo, mas nao sei como posso iniciar dando foco para o diabetes. Pode me dar alguma orientacao, por favor?! Onde posso ter maiores informacoes?

Super obrigada!!

Reply
avatar
Teimosia
admin
23 de agosto de 2014 15:13 ×

Olá, Thayse

Leia os artigos abaixo com cuidado e carinho:

http://www.paleodiario.com/2013/11/lchf-para-iniciantes.html
http://www.paleodiario.com/2014/08/diabetes-como-normalizar-sua-glicemia.html
http://www.paleodiario.com/2014/08/aconselhamento-para-seguir-uma-dieta.html

E não se esqueça de manter seu médico informado!

Atenciosamente,
Hilton

Reply
avatar
marceline
admin
4 de outubro de 2014 09:32 ×

Tommy em inglês:
http://www.eatlowcarbhighfat.com/

Reply
avatar
Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores