Dietas com baixo teor de sal podem não ser benéficas para todos, estudo sugere

85
Artigo traduzido por Rafael Araújo. O original está aqui.
Um grande estudo mundial descobriu que, ao contrário da crença popular, as dietas com baixo teor de sal podem não ser benéficas e podem realmente aumentar o risco de doença cardiovascular (DCV) e morte em comparação com o consumo médio de sal.
Na verdade, o estudo sugere que as únicas pessoas que precisam se preocupar com a redução de sódio em sua dieta são aquelas com hipertensão (pressão alta) e com alto consumo de sal.
O estudo, envolvendo mais de 130 mil pessoas de 49 países, foi liderado por pesquisadores do Population Health Research Institute (PHRI) da McMaster University e Hamilton Health Sciences.
Eles analisaram especificamente se a relação entre ingestão de sódio (sal) e morte, doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais difere em pessoas com pressão arterial alta em comparação com aqueles com pressão arterial normal.
Os pesquisadores mostraram que, independentemente de as pessoas terem pressão alta, a baixa ingestão de sódio está associada a mais ataques cardíacos, acidentes vasculares cerebrais e óbitos em comparação com a ingestão média.
“Estes são achados extremamente importantes para aqueles que sofrem de pressão arterial alta”, disse Andrew Mente, autor principal do estudo, investigador principal da PHRI e professor associado de epidemiologia clínica e bioestatística na McGaster Michael G. DeGroote School of Medicine .
“Enquanto nossos dados ressaltam a importância de reduzir a alta ingestão de sal em pessoas com hipertensão, ele não suporta reduzir a ingestão de sal para níveis baixos.
“Nossas descobertas são importantes porque mostram que baixar o sódio é melhor direcionado para aqueles com hipertensão que também consumem dietas com alto teor de sódio”.
A ingestão atual de sódio no Canadá é tipicamente entre 3,5 e 4 gramas por dia e algumas diretrizes recomendaram que toda a população baixasse o consumo de sódio para menos de 2,3g/dia, um nível que menos de 5% dos canadenses e pessoas de todo o mundo consomem .
Estudos anteriores mostraram que o baixo teor de sódio, em comparação com a ingestão média de sódio, está relacionado ao aumento do risco cardiovascular e à mortalidade, embora a ingestão baixa de sódio esteja associada à pressão arterial mais baixa.
Este novo estudo mostra que os riscos associados à ingestão baixa de sódio – menos de 3g/dia – são consistentes independentemente do estado de hipertensão do paciente.
Além disso, as descobertas mostram que, embora haja um limite abaixo do qual a ingestão de sódio pode ser insegura, o dano associado ao alto consumo de sódio parece limitar-se a apenas aqueles com hipertensão.
Apenas cerca de 10% da população no estudo global apresentava hipertensão e alto consumo de sódio (maior que 6g/dia).
Mente disse que isso sugere que a maioria dos indivíduos no Canadá e na maioria dos países estão consumindo a quantidade certa de sal.
Ele acrescentou que a redução direta do sal em quem é mais susceptível por causa da hipertensão e do alto consumo de sal pode ser preferível a uma abordagem que diga a toda a população para reduzir a ingestão de sódio, exceto naqueles países em que a ingestão média de sódio é muito alta, como partes da Ásia Central ou China.
Ele acrescentou que o que agora é geralmente recomendado como um teto diário saudável para o consumo de sódio parece ser muito baixo, independentemente do nível de pressão arterial de uma pessoa.
“A baixa ingestão de sódio reduz a pressão sanguínea modestamente, em comparação com a ingestão média, mas a baixa ingestão de sódio também tem outros efeitos, incluindo elevações adversas de certos hormônios que podem superar quaisquer benefícios. A questão-chave não é se a pressão arterial é menor com ingestão de sal muito baixa. A questão é se melhora a saúde”, disse Mente
O Dr. Martin O’Donnell, co-autor do estudo e professor clínico associado da McMaster University e da Universidade Nacional da Irlanda, Galway, disse: “Este estudo contribui para a nossa compreensão da relação entre ingestão de sal e saúde e questiona a adequação das diretrizes atuais que recomendam baixa ingestão de sódio para toda a população “.
“Uma abordagem que recomenda o sal com moderação, particularmente focada em pessoas com hipertensão, aparece mais em linha com a evidência atual”. O estudo foi financiado por mais de 50 fontes, incluindo o PHRI, a Fundação Cardiaca e Doença do Canadá e os Institutos Canadenses de Pesquisa em Saúde

Referência

  1. Andrew Mente et al. Associations of urinary sodium excretion with cardiovascular events in individuals with and without hypertension: a pooled analysis of data from four studies. The Lancet, 2016 DOI: 10.1016/S0140-6736(16)30467-6
Rafael Araújo é lifter, praticante de jiujitsu e muay-thai, estudioso do mundo low-carb, moderador do grupo Pelotão Low Carb e criador do Método MCM. O caso de sucesso dele foi contado aqui no Paleodiário um tempo atrás.

Recomendado para você: