Professor John Yudkin e Dr. Ancel Keys

407
Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.
Aqui está a página 163 e parte da 164, do livro “Puro, branco e mortal”, edição de 1972, por John Yudkin. Yudkin inicia o capítulo desculpando-se por falar de tais discordâncias desconfortáveis em público. Mas ele gostava da verdade.
Essa citação cobre a opinião do Prof. John Yudkin e do Dr. Meyer Friedman. Você pode ouvir o desgosto deles com Keys. Keys foi o arquiteto do que se tornou a epidemia mundial de obesidade da atualidade, e um daqueles que nunca deixa a verdade ficar no caminho de uma boa idéia – como com o seu estudo das seis nações que “provava que gordura causa doença cardíaca” (N.T.: mais sobre isso ao final desse artigo). Infelizmente, na lista de pessoas facilmente enganáveis possuída por Meyer, não havia políticos crédulos capazes de determinar a política alimentar. Keys foi uma pessoa politicamente bem-sucedida, com convicção intensa da sua própria correção. Seria ótimo se ele estivesse certo, mas não estava.
Yudkin começa:
Eu já mencionei o Dr. Ancel Keys e seu trabalho pioneiro em relação à dieta e doença cardíaca. Um ano e pouco atrás ele escreveu um memorando que enviou para grande número de cientista da área e que, com poucas alterações, agora foi publicado no jornal médico “Aterosclerose”. Ele consiste inteiramente de críticas forte – eu quase disse “críticas virulentas” – ao trabalho que eu venho publicando de tempos em tempos, sobre a teoria de que o açúcar é o principal fator dietário envolvido na origem da doença cardíaca.

A publicação contém um número de afirmações bastante incorretas e injustificadas; por exmeplo, de que nós nuncatestamos o nosso método de medir a ingestão de açúcar; de que ninguém come as quantidades de açúcar que nós e outros usamos em nossos experimentos; que era absurdo da minha parte em 1957 usar estatísticas internacionais de 41 países como evidência para a relação entre o açúcar e a doença cardíaca (exatamente as mesmas estatísticas que o Dr. Keys usou previamente, considerando apenas 6 países selecionados, para mostrar a relação entre gordura e doença cardiaca).

Ele termina triunfantemente apontando o fato de que tanto a ingesta de açúcar quanto a de gordura estão ligadas à doença cardíaca, mas que a causa tem que ser a gordura, não o açúcar, porque ele havia descoberto recentemente, em 1970, que a ingestão de gordura e de açúcar estão muito ligadas entre si. Você deve lembrar da minha própria discussão sobre isso no Capítulo 5, baseada no fato de  que, lá em 1964, eu já tinha mostrado a relação que existe entre a ingestão de gordura e de açúcar. Deixe-me então citar um livro recentemente publicado, “Patogênese da Doença Arterial Coronária”, escrito pelo Dr. Meyer Friedman, outro distinto pesquisador da área.:

“É triste, por exemplo, observar que investigadores essencialmente honrados omitem dados publicados (incluindo alguns dos seus próprios dados, obtidos anteriormente) que refutam ou chamam ao questionamento os seus dados atuais e as interpretações que fizeram deles. É ainda mais triste observar como esses mesmos observadores ávida e indiscriminadamente coletam estudos (não importa o quão pobre ou incompletamente executados) suportando as suas respectivas hipóteses, mas apenas folheiam, ficam ‘catando picuinhas’ e olhando com desconfiança outros estudos que tendem a subverter a veracidade interpretativa dos seus próprios. Mas isso não é realmente uma causa muito importante da nossa presente confusão porque apenas alguns poucos investigadores comportam-se assim, e suas fraquezas são bem conhecidas dos seus pares cientistas. Eles essencialmente são bem-sucedidos apenas em enganar a si mesmos e àqueles médicos e leigos dos quais não se pode esperar que saibam da escravidão auto-imposta por esses pesquisadores aos seus respectivos conceitos”.

Só para relembrar, reproduzo aqui o gráfico do estudo dos 6 países, que “prova” que o consumo de gordura está ligado à ocorrência de doença cardíaca:

No gráfico acima, o Dr. Keys mostra a relação entre o consum de gordura (eixo X) e a incidência de mortes por doença cardíaca (eixo Y) em 6 países: Japão, Itália, Inglaterra/Gales, Austrália, Canadá e EUA.
“Claramente”, há uma relação! Certo ?
Só que quando mostramos os outros 16 países que o Dr. Keys “esqueceu” de incluir no gráfico, a relação não fica mais tão clara…
Agora, os países são: 
  1. Austrália
  2. Áustria
  3. Canadá
  4. Ceilão
  5. Chile
  6. Dinamarca
  7. Finlândia
  8. França (perceba como os franceses comem gordura, e quão pouca doença cardíaca eles tem!)
  9. Alemanha Oriental
  10. Irlanda
  11. Israel
  12. Itália
  13. Japão
  14. México
  15. Holanda
  16. Nova Zelândia
  17. Noruega
  18. Portugal
  19. Suécia (perceba que apesar de comerem tanta gordura quanto os americanos, tem menos da metade da incidência de doença cardíaca!)
  20. Suíça
  21. Reino Unido
  22. Estados Unidos

Finalizando, mais uma pérola do Schopenhauer:

“A verdade objetiva de uma proposição e sua validade na aprovação dos litigantes e ouvintes são duas coisas distintas.

De onde se origina isso? Da maldade natural do gênero humano. Se ela não existisse, se fôssemos inteiramente honestos, em todo debate visaríamos apenas a trazer a verdade à luz, sem sequer nos preocuparmos se ela corresponde à opinião apresentada de início por nós ou à alheia: seria indiferente ou, pelo menos, totalmente secundário. 

Mas agora vem o principal: a vaidade inata, particularmente suscetível no que concerne à inteligência, não quer que nossa afirmação resulte falsa e a do adversário, correta.”
Tudo nesse mundo é vaidade 🙁

Recomendado para você: