10 Similaridades entre o açúcar, a comida-lixo e as drogas de abuso

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

por Kris Gunnars


Há muitos mitos ridículos na nutrição.

A idéia de que perder peso resume-se às calorias e à força de vontade é um dos piores.

A verdade é... sugar e comidas-lixo altamente processadas podem ser viciantes, exatamente como as drogas.

Não apenas os sintomas comportamentais são os mesmos, mas a biologia também parece concordar.

Aqui estão 10 similaridades perturbadoras entre o açúcar, a comida-lixo e as drogas de abuso.

1 - A comida-lixo inunda o cérebro de dopamina


Nossos cérebros têm certes comportamentos que são imutáveis.

Na maioria, eles são importantes para  nossa sobrevivência... como comer.

Quando comemos, um hormônio cerebral chamado dopamina é liberado em uma área do cérebro chamada sistema de recompensa (1, 2).

Nós interpretamos o sinal da dopamina como "prazer" e a programação no nosso cérebro muda para nos fazer querer praticar aquele comportamento novamente.

Essa é uma das maneiras como o cérebro evoluiu para nos ajudar a navegar pelo nosso ambiente natural, motivando-nos a fazer coisas que ajudam nossa espécie a sobreviver.

Na prática, isso é uma coisa boa... sem dopamina, a vida seria horrível.

Mas o problema é que algumas coisas modernas podem funcionar como “superestímulos” – elas inundam nossos cérebros com dopamina, muito mais do que jamais fomos expostos durante a evolução.

Isso pode levar ao "sequestro" daquelas vias cerebrais pelo intenso sinal de dopamina.

Um grande exemplo disso é a droga cocaína... quando as pessoas a usam, ela inunda o cérebro com dopamina, e o cérebro muda sua programação para querer cocaína de novo, e de novo, e de novo (3).

As vias da dopamina que se esperam que guiem as pessoas na direção da sobrevivência, agora foram tomadas pelos novos estímulos, que liberam mais dopamina e são um reforço comportamental muito mais forte que qualquer coisa no ambiente natural (4).

Mas é aqui que a coisa fica realmente interessante... açúcar e comida-lixo altamente processada podem ter o mesmo efeito que drogas de abuso (5).

Elas também funcionam como "superestímulos" – inundam o cérebro com muito mais dopamina do que teríamos se comêssemos comida de verdade, como uma maçã ou um ovo (6).

Numerosos estudos mostraram que que isso é verdade. Comida-lixo e açúcar inundam o sistema de recompensa com dopamina, particularmente uma área do cérebro chamada Nucleus accumbens, que está fortemente implicada em vícios (7).

O açúcar também tem alguns efeitos nas vias dos opióides do cérebro, o mesmo sistema manipulado por drogas como heroína e morfina (8, 9, 10).

Este é o motivo de comidas altamente processadas, lotadas de açúcar, poderem fazer (algumas) pessoas perderem o controle sobre o consumo. Elas sequestram as mesmas vias cerebrais que as drogas de abuso.

Lição de casa: estudos já mostraram que açúcar e comidas-lixo inundam o centro de recompensa do cérebro com dopamina, estimulando as mesmas áreas que drogas de abuso como a cocaína.

2 - Comida-lixo pode levar a compulsões poderosas


Compulsões são sensações poderosas.

As pessoas geralmente as confundem com fome... mas as duas não são a mesma coisa.

Fome é causada por vários sinais fisiológicos complexos que envolvem a necessidade do corpo por energia e nutrientes (11).

Entretanto, as pessoas frequentemente tem compulsões independente de terem acabado de comer uma refeição saciante e nutritiva.

Isso acontece porque as compulsões não tem nada a ver com satisfazer a necessidade de energia do seu corpo. Ao invés, é o seu corpo pedindo por "recompensa".

Em outras palavras, seu cérebro te guia na direção do sinal dopamínico/opióide (12, 13).

Ter esse tipo de necessidade de uma comida altamente recompensatória, mesmo quando o corpo está nutrido (e talvez até nutrido demais), não é natural de jeito nenhum e não tem nada a ver com fome real.

Compulsões por comida-lixo são na prática muito similares às compulsões por drogas, cigarros e outras substâncias viciantes. A natureza obsessiva e os processos de pensamento são idênticos.

Lição de casa: compulsões são um sintoma comum no que diz respeito tanto à comida-lixo quanto às drogas de abuso, e tem muito pouco a ver com fome real.

3 - Estudos já mostraram que a comida-lixo acente as mesmas áreas cerebrais que as drogas de abuso


Monitorar a atividade cerebral é difícil, mas não impossível.

Pesquisadores geralmente usam dispositivos chamados scanners MRI funcionais para detectar mudanças no fluxo sanguíneo em áreas específicas do cérebro.

Como o fluxo sanguíneo está diretamente ligado à ativação de neurônios, eles podem usar esses dispositivos para medir quais áreas do cérebro estão sendo ativadas.

Usando tais aparelhos, estudos mostraram que tanto traços de comida quanto de drogas ativam as mesmas regiões do cérebro, e que essas mesmas áreas são ativadas quando as pessoas têm compulsões por comida-lixo ou drogas (14, 15).

Lição de casa: cientistas ja usaram scanners MRI funcionais para mostrar que as mesmas áreas do cérebro são ativadas em resposta a traços e compulsões tanto de comida-lixo quanto de drogas.

4 - Uma tolerância ao "Efeito Recompensa" é construída


Quando o cérebro é inundado com dopamina, um mecanismo protetor segue-se.

O cérebro começa a reduzir seu número de receptores de dopamina, para manter as coisas equilibradas.

Isso é chamado “regulação para baixo” e é a razão pela qual desenvolvemos tolerância.

É uma característica bem conhecida das drogas de abuso. As pessoas precisam de doses progressivamente maiores porque o cérebro reduz o número de receptores (16, 17).

Há alguma evidência de que o mesmo se aplica à comida-lixo. Esta é a razão pela qual os viciados em comida às vezes acabam comendo quantidades enormes de uma vez (18, 19, 20).

Isso também implica que as pessoas que são viciadas em comida lixo não necessariamente obtêm mais prazer ao comer... porque o seu cérebro reduz os receptores de dopamina em resposta ao superestímulo repetido.

Tolerância é uma das marcas registradas do vício. É comum a todas as drogas de abuso... e aplica-se ao açúcar e á comida-lixo também.

Lição de casa: quando o centro de recompensa do cérebro é repetidamente superestimulado, ele responde reduzindo o número de receptores. Isso leva à tolerância, uma das marcas registradas do vício.

5 - Muitas pessoas mergulham na comida-lixo



Quando um viciado torna-se tolerante aos efeitos da droga, eles começam a aumentar a dose.

Ao invés de 1 pílula, eles tomam 2... ou 10.

Como agora há menos receptores no cérebro, uma dose maior é necessária para alcançar o mesmo efeito.

Esta é a razão pela qual algumas pessoas chafurdam na comida-lixo.

O abuso alimentar é uma característica bem-conhecida dos viciados em comida, bem como de outros distúrbios alimentares que compartilham sintomas comuns com o abuso de drogas (21).

Há numerosos estudos em ratosmostrando que eles vão se entupir de comida-lixo altamente palatável, assim como se encheriam de drogas viciantes  (22, 23).

Lição de casa: abuso alimentar é um sintoma comum do vício alimentar. É causado pela tolerância, fazendo com que o cérebro precise de doses cada vez maiores para alcançar o mesmo efeito.

6 - Sensibilização cruzada. Animais de laboratório podem trocar de açúcar para drogas e vice-versa

A sensibilização cruzada é uma das características das substâncias viciantes.

Ela envolve ser capaz de "alternar" facilmente de um vício para outro.

Estudos mostraram que animais de laboratório que tornaram-se dependentes de açúcar podem facilmente mudar para anfetaminas ou cocaína (24, 25).

Este fato é outro argumento forte para o caso de que o açúcar e a comida-lixo em geral, são de fato viciantes.

Lição de casa: estudos mostraram que ratos viciados podem alternar entre açúcar, anfetaminas e cocaína. Isso é chamado "sensibilização cruzada" e é uma das características das substâncias viciantes.

7 - Medicamentos que combatem o vício estão sendo usados para perda de peso


Outro argumento pela natureza viciante da comida-lixo, é que os mesmos medicamentos que combatem o vício também tendem a ajudar as pessoas a perderem peso.

Um bom exemplo é o fármaco Contrave, que recentemente recebeu a aprovação da FDA como medicamento para perda de peso.

Ele é na prática uma combinação de duas substâncias:

  • Bupropiona: é um anti-depressivo que já mostrou-se eficiente contra o vício em nicotina (26).
  • Naltrexona: é um medicamento frequentemente usado para tratar alcoolismo e vício em opióides, incluindo morfina e heroína (27).

O fato de que os mesmos tipos de medicamentos possam ajudar as pessoas a comer menos calorias e perder peso implica que a comida compartilha algumas das mesmas vias biológicas que os narcóticos.

Lição de casa: drogas usadas para combater vícios tais como tabagismo, alcoolismo e vício em heroína, são eficientes também para perda de peso. Isso indica que a comida afeta o cérebro de maneiras similares a essas drogas de abuso.

8 - A abstinência pode levar a crises



Sintomas de abstinência são outra característica marcante do vício.

Eles acontecem quando indivíduos viciados páram de utilizar a substância na qual são viciados.

Um exemplo proeminente é a remoção da cafeíne. Muitas pessoas viciadas em cafeína têm dores de cabeça, sentem-se cansadas e ficam irritáveis quando se abstêm de café por longos períodos de tempo.

Há alguma evidência de que isso se aplica à comida-lixo também.

Ratos que são tornados viciados em açúcar demonstram sintomas de abstinência claros quando o açúcar é removido, ou quando lhes é dada alguma droga que bloqueie os efeitos do açúcar no cérebro.

Tais sintomas incluem dentes batendo, balanços de cabeça e tremor nas patas dianteiras, similares aos sintomas demonstrados na abstinência de opióides (28, 29).

Lição de casa: há bastante evidências em ratos de que a abstinência de açúcar e comida-lixo pode levar a sintomas claros.

9 - Comida-lixo é seriamente nociva à saúde física



Comida-lixo não é saudável… não há dúvida sobre isso.

Elas são ricas em ingredientes danosos como açúcar, trigo e óleos refinados.

Ao mesmo tempo, elas contêm quantidades muito pequenas de ingredientes saudáveis como fibra, proteína e micronutrientes.

Comida-lixo faz com que as pessoas comam mais do que deviam, e os ingredientes nelas (como o açúcar e os carboidratos refinados) estão fortemente ligados a doença cardíaca, síndrome metabólica e diabetes tipo 2 (30, 31, 32, 33, 34).

Isso não é controverso e é basicamente conhecimento comum. Todo mundo sabe que comida-lixo não é saudável.

Mas mesmo que as pessoas estejam armadas com esse conhecimento, ainda assim elas comem lixo, em quantidade excessivas.

Isso é comum com drogas de abuso. Viciados sabem que as drogas lhes estão causando dano físico, mas eles as usam assim mesmo.

Lição de casa: é senso comum que comida-lixo é prejudicial, mas muitas pessoas continuam incapazes de controlar seu consumo.

10 - Os sintomas de vício alimentar satisfazem os critérios médicos oficiais para vício em substâncias de abuso



Não hã maneira fácil de medir o vício.

Não há teste sanguíneo, de hálito ou de urina que possa determinar se alguém é viciado.

Ao invés, o diagnóstico é baseado numa série de sintomas comportamentais.

O conjunto de critérios oficiais usados por profissionais médicos é chamado DSM-V.

Se você observar os critérios para "Distúrbio de uso de substâncias", vai ver semelhança com muitos comportamentos relacionados a comida.

Por exemplo... ser incapaz de reduzir o consumo apesar de querer (já tentou estabelecer regras sobre o "dia do lixo" ?); compulsões e "necessidades" de usar a substância; constância do uso apesar dos problemas físicos (ganho de peso é um problema físico).

Algum desses soa familiar ? Esses são sintomas clássicos de vício.

Eu também posso atestar isso com alguns exemplos pessoais...

Eu sou um alcóolatra, viciado em drogas e fumante em recuperação, e já passei por 6 reabilitações. Estou sóbrio há quase 8 anos agora.

Lutei com o vício por muito tempo... e alguns anos depois que fiquei sóbrio, comecei a desenvolver um vício em comidas insalubres.

Após algum tempo, percebi que os processos de pensamento e os sintomas eram os mesmos de quando eu era viciado em drogas... exatamente os mesmos.

A verdade é, não há diferença fundamental entre vício em comida-lixo e vício em drogas. É apenas uma substância de abuso diferente, e as consequências sociais não são tão severas.

Desde então, já falei com muitos viciados em recuperação que também tiveram problemas com açúcar e comida-lixo.

Eles concordam que os sintomas não são apenas similares, mas exatamente idênticos.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores