A importância da microbiota na nossa saúde

O artigo de hoje é de um convidado, o Bruno da Gama - do blog Detetive da Saúde


Oil-Eating Bacteria  Source www.techvert.comSe tem um campo na área da ciência que está explodindo nos últimos anos, é o estudo da microbiota. Esta palavra esquisita representa um conjunto de microorganismos que reside em um ambiente previamente estabelecido. Os seres humanos têm grupos de bactérias em diferentes partes do corpo, tais como na superfície ou camadas profundas da pele (microbiota dérmica), boca (microbiota oral), vagina (microbiota vaginal) e assim por diante.

A microbiota mais importante de todas é a INTESTINAL (também conhecida como flora intestinal) na qual encontramos uma população de micróbios vivendo em simbiose com o ser humano. Como o própio nome indica, esta microbiota é encontrada em nosso sistema digestivo, principalmente, no intestino grosso.

Acredita-se que nossa microbiota intestinal contém dezenas de trilhões de microrganismos, incluindo pelo menos 1000 espécies diferentes de bactérias conhecidas, acumulando mais de 3 milhões de genes (150 vezes mais do que os genes humanos). 

Esta microbiota pode pesar até 2 kg. 1/3 da nossa microbiota intestinal é comum à maioria das pessoas, enquanto os demais 2/3 são específicos a cada um de nós. Em outras palavras, a microbiota em seu intestino é como um cartão de identidade individual.

Por que a microbiota é importante ?


Ainda que cada um de nós tenha uma microbiota exclusiva, é importante entender que de forma geral, elas possuem as mesmas funções fisiológicas – com impacto imediato na nossa saúde.

Resumidamente, aqui estão algumas das suas funções:

1 - Ela ajuda nosso organismo a digerir certos alimentos que o estômago e o intestino delgado não foram capazes de processar 

Como mencionei anteriormente, a maioria da flora intestinal está presente no intestino grosso. Lá, essas bactérias irão ajudar no processo digestivo de certos nutrientes. Ou seja, existem certos alimentos que requerem uma ajuda extra das nossas bactérias boas para que possamos extrair o melhor da nossa comida.

2 - Ajuda na produção de algumas vitaminas (B e K): 

Este é um processo super-interessante e necessário para que possamos obter certas vitaminas em nosso sistema. A conversão da vitamina K, B1, B2 e B12 acontece exclusivamente com a ajuda das bactérias da microbiota intestinal. Vários problemas de saúde ocorrerão quando estas vitaminas não estiverem presentes. 

3 - Nos ajuda a combater as agressões de outros microorganismos, mantendo a integridade da mucosa intestinal: 

Ou seja, existem bactérias boas e bactérias ruins. Todas se relacionam umas com as outras e com o nosso organismo. Porém, necessitamos das bactérias “amigas” para que não deixem as “inimigas” se proliferarem causando doenças. 

4 - Desempenham um papel importante no sistema imunológico, realizando um efeito de barreira:

70-80% do nosso sistema imunológico (defesa) encontra-se em nosso intestino. Este é um número gigantesco! Se você não tem uma flora intestinal saudável, doenças certamente aparecerão. 

5 - Uma microbiota intestinal saudável e equilibrada é fundamental para garantir o bom funcionamento digestivo: 

Novamente, estamos falando do balanço entre as bactérias “boas” e as bactérias “ruins”. Precisamos de uma grande quantidade de bactérias benéficas para que as oportunistas não tomem conta do nosso sistema. 

Lição de casa


Levando em consideração o importante papel da microbiota intestinal no funcionamento normal do corpo e as diferentes funções que ele realiza, os especialistas atuais consideram a flora intestinal um "órgão". 

No entanto, é um órgão adquirido porque os bebês nascem estéreis. Ou seja, a colonização do intestino começa logo após o nascimento e evolui com o passar dos anos. 

A verdade é que podemos escrever páginas e páginas sobre a importância da microbiota em nossa saúde, mas por hoje, eu gostaria que você simplesmente entenda que as bactérias são, SIM, nossas amigas e que o uso de produtos e alimentos que prejudiquem a microbiota acabará também prejudicando a VOCÊ.

Os principais agressores da flora intestinal são: antibióticos, produtos químicos, glúten, laticínios (para aqueles que são sensíveis), álcool, açúcar, comidas processadas, gorduras trans e hidrogenadas, estresse, falta de sono, exercício em excesso. Ou seja, a nossa flora intestinal é totalmente influenciada pelo nosso estilo de vida.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores