Risco de gota ?

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

gout
Frequentemente, levanta-se a questão de uma doença que parece conflitar com uma vida primal. E quando é um médico que toca no assunto, ou um membro da família com conhecimento íntimo da doença expressa preocupação, pode ser intimidador e preocupante. Todos já ouvimos sobre como vamos sofrer infartos, diabetes, cetoacidose, performance reduzida em maratonas, doença renal e osteoporose por "comer esse tanto de carne", mas não é sobre isso que vou falar hoje. Não, o assunto hoje é a gota, que ocorre quando o excesso de ácido úrico se cristaliza e se acumula nas extremidades. Os cristais afiados se afundam nas articulações, tendões e outros tecidos, causando dor excruciante, inflamação e inchaço, particularmente no dedão do pé. Basta dizer que é extremamente desagradável. Parece bacana, certo ?
Vamos passar à questão que originou o artigo de hoje:
Olá, Mark
Qual é a sua postura sobre a gota ? Aparentemente, ela corre na minha família, e apesar de ainda não ter tido uma taque, já ouvi que uma "dieta rica" é a causa, que eu entendo se referir à carne e gordura animal. Isso significa que não devo comer de maneira primal ? O que a ciência diz sobre o assunto ?
Obrigado,
Will
Em séculos passados, a gota era descrita como uma "doença de rico" ou "a doença dos reis". Ambrose Bierce a chamou de "o nome que os médicos dão para reumatismo em pacientes ricos". Basicamente, ela afetava as classes superiores da sociedade, a realeza, a aristocracia - aquele que podiam pagar comidas "ricas" tais como carne, açúcar e vinho do porto. Em meados do século XIX, o ácido úrico foi identificado como agente causador da gota. De onde vem o ácido úrico ? Purinas.
Purinas existem praticamente todas as células - vegetais e animais - porque elas proveem um pouco da estrutura química tanto do DNA quanto do RNA. Quando as células são quebradas e recicladas (como acontece na digestão - nham, amo essas células deliciosas!), suas purinas são metabolizadas junto com todo o resto. O ácido úrico é um dos grandes subprodutos do metabolismo de purinas, e isso é uma coisa boa; o ácido úrico age como antioxidante em nosso sangue, protegendo vasos sanguíneos de danos. Mas se por alguma razão um excesso de ácido úrico (hiperuricemia) for produzido, o suficiente para se cristalizar e alojar nas articulações e outros tecidos, você pode ter gota.
Então, a história padrão é mais ou menos assim:
Dado que obtemos ácido úrico pela quebra de purinas, a solução natural é reduzir a ingesta de comidas que contenham purinas - certo ? Isso parece sensível. Reduza as purinas, que se tornam ácido úrico, e você reduz a hiperuricemia, que causa a gota. Bum! Problema resolvido.
O problema para quem come de maneira primal, vendo esse conselho, é que as fontes de purina mais ricas também são alguns dos nossas comidas mais valiosas: carnes de órgãos tais como rins, pâncreas, fígado e miolo; frutos do mar tais como sardinhas, anchovas, arenque, cavala, ostras e mexilhões; e carne de caça. Mesmo boi e porco são fontes moderadas de purinas. Em resumo, tudo o que nós falamos sobre comer no MDA é aparentemente contra-indicado para prevenção à gota. Como conciliamos isso sem destruir nossos cérebros com dissonância cognitiva ?
Fácil. Nós olhamos para o problema real. O que é mais lógico ? Que as purinas, que aparecem em todas as comidas e particularmente em algumas das comidas mais densas em nutrientes (como órgãos e frutos do mar), são o problema ? Ou que a hiperuricemia, um excesso de ácido úrico, é o problema ?
Vamos por o assunto das purinas de lado por enquanto, dada a importância das comidas ricas em purinas na dieta humana ancestral, para olhar para outras causas de ácido úrico alto. O que mais faz com que o ácido úrico aumente ?

Frutose dietária


Quando o fígado está carregado com frutose, seja por excesso de ingesta ou por falta de atividade que queime o glicogênio hepático, o metabolismo de purinas é perturbado e o ácido úrico aumenta. Um estudo apontou que 0.5g de frutose por kg de peso corporal era suficiente para aumentar os níveis de ácido úrico por esse mecanismo.
A frutose também diminui a excreção de ácido úrico pela urina, então é uma pancada dupla: a frutose aumenta a produção de ácido úrico e diminui sua excreção.

Resistência à insulina e Síndrome Metabólica


Níveis de insulina elevados, especialmente os cronicamente elevados (hiperinsulinemia) vistos com a resistência à insulina, também reduzem a excreção de ácido úrico. Não é surpresa que pacientes de gota frequentemente exibam os sintomas clássicos de síndrome metabólica também, incluindo diabetes, doença vascular e tolerância ruim à glicose.
De volta às purinas. O conselho de reduzir drasticamente a purina, se sustenta ?
Não de verdade, de acordo com esse artigo de 2002. E a conexão frutose/álcool está parecendo mais forte. Entre os seus achados:
"Uma dieta rica em purina vai produzir apenas um pequeno e transiente (leia-se: impermanente) aumento de urato no soro sanguíneo de cerca de 1-2 mg/dL"
"Da mesma maneira, uma dieta isocalórica livre de purinas por 7-10 dias vai baixar levemente o urato no soro em cerca de 1-2 mg/dL"
"Um estudo dietário de 61 homens com gota e 52 homens saudáveis mostrou que apesar da média diária de ingesta de nutrientes, incluindo o nitrogênio de purinas total, ser similar em ambos os pacientes com gota e o grupo de controle, o grupo com gota bebia significativamente mais álcool do que os controles".

"A ingesta de álcool, seja só ou com uma refeição rica em purinas, produz mais efeitos nos níveis de urato que uma dieta de alta purina"

"Há evidência crescente que uma dieta de baixa energia e calorias restritas, pobre em carboidratos (40%), rica em proteínas (120g/dia ou 30%), com gordura insaturada (30% da energia) e rica em fibra dietária, é mais benéfica em termos de redução de urato no soro, insulina, LDL-C e triglicérides, e então reduzindo o risco de doença coronariana, do que uma dieta convencional pobre em purinas..."

Além disso, pesquisas mostram que comer purinas na prática aumentam a excreção de ácido úrico para manter o equilíbrio, quase como se o corpo soubesse o que está fazendo, ou algo do tipo. Não, não pode ser isso.

É também importante notar que já foi mostrado que a proteína dietária aumenta a excreção de ácido úrico e reduz o ácido úrico no soro. Hmmm. Começa a parecer que um plano primal, low-carb, pode ajudar, não é ?

O que mais as pessoas com risco de gota fazem, além de reduzir/evitar frutose, ficar livres do glicogênio hepático de vez enquanto (talvez fazendo sprints, que eu poderia jurar que ouvi alguém recomendar antes), e evitar a hiperinsulinemia ?

Você pode ter certeza que está ingerindo vitamina C o suficiente, que está inversamente associada com os níveis de ácido úrico. Vitamina C é conhecida por ser uricosúrica (aumenta a excreção de ácido úrico), então essa associação é provavelmente causal. Ao mesmo tempo que eu não acho que a pessoa média precisa de megadoses de vitamina C, ela é muito segura, e vale a tentativa para para pessoas com risco de gota ou hiperuricemia. Se você está em risco, tome pelo menos 1 ou 2g por dia.

Seja cuidadoso com jejum intermitente, que demonstradamente reduz a excreção de ácido úrico. Isso pode não importar, já que em um outro estudo, jejum completo por sujeitos obesos não aumentou a incidência de gota, mesmo em indivíduos que já tinham previamente sofrido. Apenas esteja consciente da possibilidade.

Permaneça hidratado. Desidratação (ao menos durante o exercício) pode aumentar a retenção e concentração de ácido úrico.

Eu também já ouvi um número de reportes anedóticos de sofredores de gota que mitigaram ataques com 1/4 de colher de chá de bicarbonato de sódio dissolvido em água, supostamente ao aumentar a alcalinidade. Não há estudos sobre isso, no entanto.

Mas talvez o melhor modo de evitar gota ? Fique saudável. Coma bem. Exercite-se intensamente de tempos em tempos. Evite açúcar refinado. Evite a obesidade, hiperinsulinemia e síndrome metabólica. Se o que você está comendo e como você está vivendo estão te dando essas coisas - ou te empurrando em direção a elas - então é provável que também aumentem as suas chances de desenvolver ou exacerbar a gota.

Recomendado para você

6 comentários

Click here for comentários
Arthur E.
admin
23 de dezembro de 2013 21:58 ×

Excelente.

Houve um erro de digitação na seguinte frase:
"Quando o fícado está carregado com frutose"

Reply
avatar
chicoary
admin
25 de dezembro de 2013 19:45 ×

Substitua "Da mesma mandiera, uma dieta isocalórica (...)" por "Da mesma maneira, uma dieta isocalórica (...)"

Abs.

Reply
avatar
25 de setembro de 2014 13:47 ×

Hilton, a uns 8 anos atrás (estava apenas com 27 anos) tive crises horríveis de dores articulares, fui diagnosticado com excesso de ácido úrico, no qual me recomendaram reduzir gordura, carne vermelha, evitar frutos do mar e bebida alcóolica (principalmente vinho tinto), o resultado do exame após 30 e 60 dias praticamente não alterou e convivi com isso durante muitos anos, além do crescente aumento de peso. Após a adoção de alimentação lowbcarb/primal, além de suco de 2 a 5 limões diariamente (recomendado pelo nutricionista) e ainda cerca de 80 ml de vinho tinto praticamente todos os dias após o jantar (autorizado pelo nutricionista) o resultado além dos 20kg a menos é que as dores sumiram (além de outras inflamações de pele que já citei em postagens anteriores), o ácido úrico é abaixo de 4....ou seja, os médicos estão enganados em relação a isso também....

Reply
avatar
Teimosia
admin
25 de setembro de 2014 14:25 ×

Marcos, vamos contar a sua história num caso de sucesso ? Me mande um email: paleodiario@gmail.com

Reply
avatar
Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores