Isso não ‘dá colesterol’

182
Estava lavando pratos hoje cedo, e ao limpar um que estava especialmente engordurado, veio à cabeça uma memória de longa data: em 2002 ou 2003, viajei com a esposa e alguns amigos para um lugarejo chamado Itambé do Mato Dentro, na Serra do Cipó (MG). 
A cidade é famosa pela quantidade de cachoeiras, e passamos bons momentos por lá. Em dada noite, depois de um dia de caminhadas, fomos jantar. De entrada, pedimos uma porção de mandioca e linguiça frita – acompanhada de cerveja, é claro.
Depois de um tempo, o garçon chegou com o prato – estava tudo NADANDO em gordura. Nós nos entreolhamos com aquela cara de “PQP, que mundaréu de gordura!”.
Ele viu que estávamos incomodados, e falou: “Vocês estão preocupados com o colesterol, né ? Não precisam se preocupar não… Isso aqui não dá colesterol não. É tudo frito na banha de porco… Não é como esses óleos da cidade”.
A gente agradeceu o conselho nutricional, e depois que ele saiu de perto, gastamos muitos guardanapos secando tudo antes de comer. E fizemos piadas, muitas piadas – virou piada recorrente, inclusive: depois desse dia, sempre que víamos alguma coisa pingando gordura, repetíamos imitando o sotaque do garçon “Isso aqui não dá colesterol não, sô. É tudo frito na banha de porco”.
Pois é… Mais de 10 anos se passaram, e agora reconheço quem era o bobo na ocasião. O garçon, moço simples criado lá na cidadezinha, estava coberto de razão. 
Quanto a mim… Sabia de nada, inocente!

Se não me engano, Cachoeira da Serenata, em Itambé (a última das das 3 quedas)

Recomendado para você: