O desafio: Low-Carb x Low-Fat

2
Avalie essa postagem

Você sabe como funciona o método científico ? A definição da Wikipedia é a seguinte:

O método científico refere-se a um aglomerado de regras básicas de como deve ser o procedimento a fim de produzir conhecimento dito científico, quer seja este um novo conhecimento, quer seja este fruto de uma totalidade, correção (evolução) ou um aumento da área de incidência de conhecimentos anteriormente existentes. Na maioria das disciplinas científicas consiste em juntar evidências empíricas verificáveis – baseadas na observação sistemática e controlada, geralmente resultantes de experiências ou pesquisa de campo – e analisá-las com o uso da lógica. Para muitos autores o método científico nada mais é do que a lógica aplicada à ciência.

A imagem abaixo, traduzida a partir de um cartum do Jorge Cham, traduz bem a idéia:
 

Basicamente, é: “Olhe o mundo e imagine o motivo dele funcionar de determinado jeito. Realize testes rigorosos para provar o que você imaginou. Se o resultado do teste de verdade não bater com a sua imaginação, sinto muito: você pensou errado“.
Para um palavreado bem mais bonito, veja o que o Dr. Feynman disse sobre o assunto.
Dito isso, continuemos. Dentro do método científico, há muitas maneiras de se fazer um teste – algumas mais precisas e exigentes que as outras. O Dr. Souto explicou muito bem sobre os chamados “níveis de evidência científica”: 5 categorias de estudos, com algumas subdivisões, que no frigir dos ovos nos dizem o quanto um estudo é confiável – no que diz respeito ao rigor com que foi conduzido.
Conforme comentei no primeiro artigo sobre o Roubo da História, o Caderno de atenção básica para diabetes. distribuído pelo Ministério da Saúde, afirma “não poder indicar dietas low-carb por falta de estudos de longo prazo”. Mais de uma (na verdade, MUITAS) pessoas já vieram até mim para dizer que “não praticam paleo porque não há estudos que comprovem a eficácia e a segurança da dieta”.
Quanto aos “estudos de longo prazo”, bem… Há um “estudo” de 2 milhões de anos, ainda em andamento… Os humanos passaram 99.5% da sua história sem comer carboidratos em excesso – visto que não havia agricultura capaz de produzi-los até aproximadamente 10.000 anos atrás – e a nossa espécie ainda está aqui. Durante os últimos 10.000 anos, e especificamente nos últimos 100, uma onda de doenças crônicas brotou “do nada” e começou a nos matar aos milhões por ano.
Mas ok, esse não é um estudo formal nem controlado, então vou descartá-lo. Pronto, agora não há nenhum estudo de longo prazo, e vou deixar o Ministério da Saúde em paz.
Vamos nos concentrar então nos estudos, mesmo de curto prazo, que as pessoas insistem não existir.
Nos próximos artigos, vou apresentar uma série de estudos, todos de alto nível de confiabilidade, que comparam dietas low-carb e low-fat. 
Feito isso, cada um tira suas próprias conclusões sobre a existência ou não da evidência.

Recomendado para você: