5 anos de paleo!

O mês de março foi tão corrido que eu me esqueci de algo MUITO IMPORTANTE! No dia 01/03, completei 5 anos de transição para o estilo de vida paleo... Quanta água passou sob a ponte, e como a minha maneira de ver o mundo mudou!

Fazendo um balanço desse tempo todo, estou certo de algumas coisas:

1 - Não foi difícil. 


Eu vejo muita gente patinar com qualquer tipo de dieta, e alguns inclusive já me questionaram meio chateados: "Pô, mas por que foi tão fácil para você largar a pizza, o sorvete e o macarrão?"

Não vou bancar o expert fitness aqui. A verdade é que embora eu sempre tenha gostado de comer, sempre encarei a comida como um meio para chegar a um fim. Eu como para viver. É claro que se for gostoso, melhor. Mas se por um acaso do destino as comidas "boas" fossem algo que não agrada ao paladar, provavelmente eu conseguiria aprender a gostar delas e comer sem problema. Não teve fórmula mágica para deixar de gostar do lixo e passar a gostar de comida de verdade. Comigo funcionou assim. 

Mas ainda bem que...

2 - Foi muito saboroso


Eu comecei a me aventurar pela cozinha antes de sair de casa para estudar: sanduíches na madrugada, um espaguete aqui e outro ali, um hamburger incrementado. Quando vim morar em BH, especificamente na minha primeira república, assumi a cozinha como quem assume uma aventura. Errei muito, tanto em sabor quanto em qualidade. Quem já morou em república aí e nunca estourou um ovo dentro do miojo fervendo?

A transição para a comida de verdade me ensinou a experimentar sabores novos. Quem disse que não se pode usar canela para temperar carne? Ou fazer um doce lowcarb usando raiz forte? Ou fritar bife de pernil no dendê com curry e coco ralado?

3 - Trouxe muitos resultados em diferentes áreas da minha vida

Perdi 15kg. Aprendi o que fazer quando quero perder peso. Nunca mais tive azias. Minhas espinhas tornaram-se raridade. A pele do rosto e das costas limpou-se. Meus cotovelos e unhas pararam de rachar. Passei a dormir melhor. Passei a ter mais concentração no trabalho. Cheguei à melhor forma física da minha vida.

Tudo isso me deu uma visão de mundo muito diferente... tanto que quando meu segundo filho nasceu, eu decidi não fazer com ele o que fiz com a primogênita: não aplicar técnicas de "ensinar bebê a dormir" no estilo "Encantadora de Bebês" ou "Nana, nenê". Embora eu esteja LONGE de criar meu filho como um caçador-coletor (não sou nômade, por exemplo), sou muito mais maleável às necessidades do bebê do que era no passado.

4 - Compreendo melhor a necessidade de brincadeira e diversão

Sempre fui um cara mais calado e sisudo. Ter assumido uma vida paleo não desfez essa característica, mas certamente me trouxe uma postura mais relaxada perante a vida. No fundo, as necessidades básicas dos humanos são simples: comida, água, abrigo e companhia - e a companhia sempre vem (ou sempre deveria vir) acompanhada de diversão. Jogar e brincar é ponto comum a todos os grupos humanos, mas nós urbanóides muitas vezes nos esquecemos disso... Seja um esporte, seja um hobby, seja tempo de qualidade com a família... simplesmente aprendi a apreciar mais esses momentos.

5 - Aprendi a me perdoar e a levantar depois de cair

Em 5 anos de vida paleo, eu só comi lixo uma vez - bombons de chocolate ao leite, lá em 2015. Tive uma certa ressaca, larguei mão deles e nunca mais escorreguei de novo. Isso não quer dizer que eu SÓ coma alimentos paleo! De vez em quando entra sushi, um bocadinho de amendoim, laticínios estão sempre presentes, e por aí vai. O que não entra na minha boca de jeito nenhum são alimentos ultraprocessados. Mas mesmo se entrassem de vez em quando, e daí? Se o resultado final fosse o mesmo, de que valeria a culpa?

Em 2017 eu abusei MUITO das frutas e também do álcool. Foi um ano de grandes mexidas na minha vida pessoal, e achei no álcool um bom escape. O resultado foi certeiro: subi de 62 para 71kg entre janeiro e agosto. Em agosto, fiz o meu experimento de 1 mês com jejum 120/0 e o peso desceu para 59kg. Em setembro voltei aos hábitos de antes do jejum, e em janeiro/2018 já estava pesando 69kg novamente...

Tomei então minhas decisões de ano novo: 

  • Voltar ao hábito de jejum 24/0
  • Abandonar o álcool por um tempo indeterminado
  • Cuidar dos joelhos e ombros (que estão machucados faz TEMPO) e voltar a malhar
  • Dormir cedo todo dia
  • Tomar sol todo dia e suplementar vitamina D (único exame de sangue alterado!)
Comecei em meados de janeiro, então já se vão 75 dias aproximadamente. O peso? Baixou para 62kg novamente. Ainda preciso melhorar a composição corporal, mas agora não dou desculpas e não fico remoendo culpas. 

Pertinho dos 15% de gordura, e caindo!



Errou, tá errado. Perdoe-se e procure não errar mais :-D

Enfim, foi uma jornada! Não me arrependo nem por um segundo de tê-la começado, tampouco pretendo mudar de rumo enquanto estiver vivo.

Agora cada dia me traz uma surpresa e um desafio... Sejam bons ou ruins, vou tirando de letra!



Que tal fazer parte da lista de emails do Paleodiário e receber uma versão em alta resolução da Tabela Periódica de Alimentos Paleo?

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores