Torta chococobóbora :-D

Nesse fim de semana eu resolvi me esbaldar nos carbos, mas sem sair do contexto paleo. Para tanto, implementei uma velha conhecida: a torta de abóbora com coco e cacau. Caprichei no mel, para agradar a família – que ainda tem um paladar mais doce...

Antes de passar à receita, uma dica: se vocês não têm assadeiras de borda removível, comprem uma. Eu tenho, e não usei - coloquei em um refratário. O resultado é que na hora de tirar fatias, elas sempre quebram um pouquinho :-(

Mas chega de chororô!

Para a massa:

  • 1 xícara de coco ralado sem açúcar
  • 1 xícara de farinha de linhaça
  • 3 colheres de semente de linhaça
  • 2 colheres de mel
  • 2 colheres de manteiga derretida
  • 2 ovos
  • 1 pitada de sal


Para o recheio:

  • 1 abóbora cabotiá (dessa vez não cheguei a pesar... acho que crua e com casca, devia ter uns 600g)
  • 1 xícara de mel
  • 200ml de leite de coco
  • 4 ovos
  • 1 xícara de coco ralado sem açúcar
  • 1/2 xícara de cacau em pó 


Modo de fazer

Misture todos os ingredientes da massa com o auxílio de um mixer ou batedeira. Vai virar uma espécie de farofa grudenta. Se não estiver grudenta o suficiente, ponha mais manteiga derretida e processe mais. Unte a sua assadeira com manteiga, e usando as mãos, cubra o fundo com essa farofa. Tente deixar uma espessura uniforme. Asse por 10 minutos a 250C. No meu caso, eu propositalmente deixei um pouco mais (uns 15 minutos) para queimar um pouco o fundo - adoro o sabor de coco queimado :-D

Ingredientes da massa já misturados

Massa crua


Para o recheio, parta a abóbora e tire os caroços. Cozinhe com casca mesmo. Depois de cozida, descasque (é muito mais fácil!) e transfira a abóbora para um pote. Acrescente todos os outros ingredientes e liquidifique/processe com um mixer. Adicione esse creme sobre a massa pré-assada e leve ao forno por uns 40 minutos a 250C. Teste se está assada por dentro enfiando um palito de dente e vendo se ele sai limpo.

Torta montada, crua


NHAAAAAAAAAM


Deixe esfriar por pelo menos 1h. Se tiver paciência para deixar gelando de um dia para o outro, melhor ainda. 

O resultado foi o melhor que já tive em todas as tortas já preparadas. Como caprichei no mel, a parte de cima caramelizou e ficou com aquele gosto de pudim de leite condensado (que eu deixei de comer há quase 5 anos :-). Essa doçura contrastou com o levemente amargo do coco queimado que mencionei antes, e virou uma coisa dos deuses. Preparei na sexta à noite (agora é domingo à noite) e não sobrou NENHUM farelinho.

Uma pena que a pontinha da fatia se quebrou :-(


Que tal experimentar 91 receitas de sobremesas 100% paleo? Não garanto que são low-carb, mas nelas não tem bruxaria nenhuma: zero adoçantes, gomas e afins. Só ingredientes de verdade! Para conhecer, clique na imagem abaixo!



Que tal fazer parte da lista de emails do Paleodiário e receber uma versão em alta resolução da Tabela Periódica de Alimentos Paleo?

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores