Pés planos - Causas, Prevenção e Tratamento

Artigo traduzido por Rafael Araújo. O original está aqui.

por Steve Gangemi

Os pés planos, também conhecidos como "arcos caídos", geralmente são vistos como problemáticos, simplesmente porque eles parecem anormais - o arco principal do pé, o arco longitudinal medial, colapsou. Embora os pés planos não sejam de modo algum normais, eles são muitas vezes o resultado de alguma outra condição ou fraqueza subjacente ao invés de um problema com o próprio arco desabado em si. O tratamento convencional que envolve suporte ao pé, seja através de calçado de apoio, ortopedia ou algum outro sistema, geralmente é mais desvantajoso do que benéfico e a cirurgia raramente é a resposta.

Diferentes tipos de pés planos


Um pé normal tem um arco aparente quando não carrega o peso (sentado, deitado) e também quando eles recebe carga ​​(em pé, andando, correndo). Existem dois tipos de pés planos, pés planos rígidos (RFF) e pés planos flexíveis (FFF).

Um indivíduo com RFF não tem arco a qualquer momento - carregando peso ou não. RFF geralmente é causado por alguma patologia subjacente. Uma condição chamada coligação tarsal é a razão mais comum para RFF e ocorre quando dois ou mais dos sete ossos tarsais (pé) se fundem. Trauma, infecção e distúrbios neuromusculares e auto-imunes (como artrite reumatóide) também podem resultar em RFF.

Se um indivíduo que tem um arco quando não carrega peso, mas que fatiga-se ou colapsa quando está de pé ou o pé está estressado, diz-se que ele tem FFF. O FFF é mais frequentemente devido à laxidade do ligamento (os ligamentos que mantêm os ossos juntos ficaram enfraquecidos) ou devido à fraqueza do músculo ou tendão. O músculo tibial posterior tem um impacto importante no arco longitudinal medial, pois fornece grande parte do seu suporte. Portanto, um problema com este músculo pode resultar em FFF, bem como outros problemas associados à disfunção tibial posterior - canelite, fascite plantar e lesões associadas à pronação excessiva.

Desenvolvimento de um pé e marcha normais


Os pés planos são normais em uma criança pequena; À medida que envelhecem, os tendões no pé se fortalecem e se aproximam para formar o arco longitudinal medial, muitas vezes com a idade de três a seis anos. Alguns nunca desenvolvem completamente este arco no pé, na maioria das vezes devido a calçados ruins, então eles desenvolvem FFF. Uma doença infantil ou ferimento pode resultar em RFF.

Uma marcha natural se desenvolve em uma criança uma vez que ela começa a andar, e depois a correr. Se a criança pode mover-se com os pés descalços ou com calçados sem salto, como mocassins, sua marcha não será perturbada por meios externos. Quando ela caminha, seus pés aterrissarão e rolarão suavemente, e quando ela correr, naturalmente irá jogar o peso para o meio ou a frente do pé, dispersando eficientemente o choque e gerando potência, força e equilíbrio.

Uma criança que anda com sapatos modernos ou órtestes sempre alterará sua marcha de maneira anormal. É muito estranho para eles e sua propriocepção (posição do corpo) e senso cinestésico (resposta do sistema nervoso ao "sentimento" do solo) são dificultados. O laxismo do ligamento e a fraqueza do músculo tibial posterior podem ocorrer, e ocorrem muitas vezes resultando em FFF.

Como você pode ver, o desenvolvimento ideal do pé ocorre com os pés descalços.

Sapatos e ortopedia afetam negativamente o pé


Eu sempre sorrio quando ouço os termos "sapatos corretivos" ou "órteses corretivas funcional". Estes são nomes enganosos - eles fornecem apoio à disfunção, nunca qualquer correção. Não discutirei as maiores armadilhas, já que há uma abundância de informações no site SockDoc no que se refere aos aspectos negativos da ortopedia e aos benefícios dos calçados minimalistas .

Existem estudos e evidências clínicas que demonstram que tratar FFF com ortopedia não altera o curso do desenvolvimento do arco. Na verdade, embora o fortalecimento de todo o pé e perna seja importante para a saúde e a forma física de todos e, especialmente, uma pessoa com pés planos, o arco pode não mudar significativamente se houver mudanças anatômicas ocorridas durante o desenvolvimento. Em outras palavras, pode ser muito tarde (a pessoa pode ser muito antiga) para ver o FFF recuperar o arco de peso. No entanto, isso não deve ser motivo de preocupação, pois não existe correlação entre uma altura do arco e lesões, dor ou desempenho.

Em 2009 o jornal "Pediatrics" publicou um estudo de 218 crianças com idades entre os 11 e os 15 anos e não encontrou "nenhuma desvantagem no desempenho desportivo a partir de pés planos". As crianças que tinham pés planos realizaram todas as 17 habilidades motoras, bem como o grupo com pés "normais".

Outro estudo com 246 recrutas do Exército dos EUA descobriu que aqueles com arcos baixos ou planos realmente apresentaram menor risco de lesão do que os formandos com arcos altos durante seu treinamento de infantaria de 12 semanas.

Então, embora não se queira ignorar o FFF, ou especialmente o FFF do seu filho, não deve haver qualquer causa de alarme e, especialmente, não há motivo para usar sapatos de suporte ou uma órtese - qualquer um dos dois simplesmente piorará o problema. As órteses e suportes de arco usados ​​para tratar pés planos e arcos caídos não suportam o arco do pé da maneira como ele realmente precisa ser suportado. Para suportar adequadamente qualquer tipo de arco, seja uma ponte sobre a água ou arco do pé, as extremidades do espaço aberto é que devem ser suportadas. No caso do pé, o calcanhar e o antepé devem ser suportados, e não o espaço entre as extremidades do arco. Estes dispositivos apenas promovem mais fraqueza e disfunção e NÃO alteram o curso do desenvolvimento do arco.

Prevenção natural e tratamento de pés planos


Embora a maioria dos FFF sejam assintomáticos (sem dor ou desconforto), eles ainda devem ser abordados, pois não é normal ter pés planos. Obviamente, é sempre ideal prevenir um problema em vez de tratá-lo depois que ocorre, especialmente se o FFF está sendo tratado pós-desenvolvimento do pé. Como mencionado anteriormente, os pés descalços são a melhor maneira de evitar FFF e uma série de outros desequilíbrios no pé e na marcha. Para fortalecer verdadeiramente todo o pé e todos os arcos, é importante posicionar o pé corretamente em todos os momentos, então, ao usar algo nos pés, o calçado deve ser plano, firme e flexível. Isso significa que o sapato não deve ter um desnível significativo, ou qualquer, do calcanhar para o pé; que deve haver pouca ou nenhuma almofada ou preenchimento na sola; e que o sapato não deve ser rígido em qualquer lugar - deve se dobrar em todo o comprimento e em qualquer direção.

Ficar de pé e andar descalço são duas maneiras fáceis de tratar pés planos naturalmente. Equilibrar-se em uma perna e saltar levemente, enquanto descalço, vai progredir ainda mais o desenvolvimento natural do pé; e finalmente, correr descalço é a maneira definitiva e mais eficiente de fortalecer os músculos, tendões e ligamentos da porção inferior da perna e do pé. É claro que cuma criança correndo descalça tem probabilidade muito menor de ter FFF do que uma correndo de sapatos.

Às vezes, outras intervenções e terapias são necessárias para os pés planos. No caso do RFF, que é muito menos comum do que FFF, é recomendável tratar a causa do problema. Se o RFF está causando problemas (como a dor), em alguns casos, dependendo do indivíduo, a cirurgia ou uma ortopedia de suporte pode ser benéfica. Terapias de ponto gatilho (trigger point) e outras terapias também podem ser muito benéficos para o RFF e especialmente para o FFF, ajudando na reabilitação das estruturas de apoio do pé. O músculo tibial posterior é o músculo que eu costumo tratar nos pés planos devido à sua importância com suporte de arco. Confira o vídeo da Sock Doc sobre Fasciite Plantar para obter mais informações sobre como encontrar e tratar pontos de gatilho para este músculo, bem como mais informações sobre o motivo pelo qual o tibial posterior pode fatigar-se além de por calçados inadequados ou por mecânica de marcha.

Rafael Araújo é lifter, praticante de jiujitsu e muay-thai, estudioso do mundo low-carb e criador do Método MCM. O caso de sucesso dele foi contado aqui no Paleodiário um tempo atrás.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores