Sou outra pessoa, mais equilibrada, mais feliz, com mais energia

Meu nome é Andressa, tenho 35 anos e tive minha vida transformada através do estilo de vida alimentar lowcarb. 

Neste momento estou completando 1 ano e 9 meses de prática desta alimentação e o resultado até o momento é de 24kg eliminados, uma disposição que eu não imaginava que poderia ter, eliminação de medicamentos para enxaqueca e pressão alta que usava há mais de 10 anos, diminuição muito grande de crises de rinite alérgica, estabilidade de humor e perda da compulsão alimentar entre muitas coisas.

Eu tive problemas de peso desde a infância. Lembro-me muito bem de ter uns 11 anos na minha primeira visita ao endocrinologista que me receitou a dieta dos pontos (a primeira de muitas que viriam ao longo dos anos). Minha infância e adolescência foi mergulhada na obesidade, e na adolescência comecei a me “dedicar” mais às dietas e exercícios e fiz de tudo que se possa imaginar: dietas das revistas da moda, dietas de nutricionistas, de endocrinologistas, da sopa, da lua, medicamentos naturais, chás, medicamentos controlados... me matriculava em todas as aulas possíveis de ginástica e assim, no final da adolescência e início da fase adulta (dos 18 aos 22 anos mais ou menos) consegui ficar num peso que considerava bom, não era magra, mas estava satisfeita com o resultado.

Com o passar do tempo, o peso lentamente foi voltando de mansinho e cada vez ficava mais difícil de perdê-lo. Academias, mais médicos, mais dietas e pílulas milagrosas. Mas nada surtia um efeito definitivo ou a longo prazo que pudesse ser mantido na “vida real”, no momento tinha o resultado, mas passado um tempo o reganho de peso vinha com força total e até dobrado. Era muito triste.

Busquei me fortalecer emocionalmente me aceitando como era, me amando. Desta forma por um tempo me “conformei” com a situação de sobrepeso, achando que era algo que eu não podia mudar; que eu era assim e pronto, e até fui atrás de uma agência de modelos plus size, que inclusive me recrutou para seu casting. 

Minha auto-estima começou a mudar, me aceitando como era, mas mesmo assim, sabia que precisava melhorar minha saúde, só não sabia como. Eu tinha um sonho de fazer uma mamoplastia de aumento, e mesmo bem gordinha, fiz (estava com 98 kg na época). Fiquei faceira da vida! Mas um ano após a cirurgia, ganhei mais 10 kg. Estava com 108 kg, foi o auge da obesidade.

No momento, em que o ponteiro da balança marcou 108 kg – 30 kg a mais do que eu deveria ter – foi um choque e uma tristeza incrível. Eu estava deprimida demais com minha situação, começava atividade física e não tinha energia para continuar; não sabia mais o que fazer. Tinha apenas 33 anos mas me sentia velha, desgastada e doente. Foi então que em mais uma busca por uma dieta que pudesse me “salvar”, me deparei com a Dieta do Dr. Atkins e a partir dela comecei as pesquisas e me descobri o termo Low Carb. Daí uma luz se acendeu na minha vida e um mundo de possibilidades que eu não conhecia se abriu na minha frente. Comecei a pesquisar na internet tudo o que podia sobre Low Carb Hight Fat e no início foi muito difícil quebrar o paradigma da gordura, do comer de 3 em 3 horas, dos cereais saudáveis, de tudo o que os profissionais de saúde haviam me ensinado até meus 33 anos (comer menos, exercitar mais), enfim... Mas comecei a testar e fui radical mesmo, cortei tudo de uma vez, fiz uma limpa nos armários e comprei tudo o que precisava. Estudei muito.

Muitas horas de áudios, muitos documentários assistidos, muitos e muitos livros lidos, e cada vez mais eu ficava encantada por toda aquela ciência e me perguntava: Como não encontrei isso antes? Por que nunca nenhum profissional de saúde me falou isso? Comecei a entender como era a dinâmica das taxas de glicemia e insulina caso ingeríssemos muitos carboidratos e isso por si só me convenceu. E pensei: Pronto, achei, é isso, esta é a chave!

As primeiras semanas foram terríveis (tamanha a minha dependência do açúcar/carbos), tive abstinência, tremores, febre, sonhava com pizza, bolo e sorvete. No começo ir ao mercado era um sacrifício. Mas passadas as primeiras 3 ou 4 semanas já estava completamente adaptada. 

Nos primeiros 3 meses, foram 19kg perdidos, passou-se um ano e perdi mais 3kg. Agora, 2017,  até o momento foram mais 2kg, contabilizando os 24kg eliminados. No início foquei apenas na dieta, em eliminar os pães, refrigerantes, grãos, frutas com maior teor de açúcar, tubérculos e me alimentando com os alimentos permitidos à vontade e até a saciedade (ovos, carnes, gorduras naturais dos alimentos, vegetais de baixo amido e frutas com baixo teor de açúcar). A atividade física iniciei apenas 1 ano depois. Hoje pratico atividade física 3x na semana (yoga e pilates). A prática do Jejum Intermitente veio, mas de forma tardia, há uns 6 meses aproximadamente. 

Comecei a me dedicar mais à cozinha, elaborando receitas que pudesse usar na lowcarb, e meu esposo e alguns amigos me incentivaram a montar um grupo de receitas low carb no face – que se tornou o Receitas Low Carb da Andressa e já bateu a marca 28 mil membros! Isso ainda é muito surreal para mim! Gosto de compartilhar o que me ajudou e me fez e faz tão bem, além de que me motiva a continuar firme nos meus objetivos!

Não posso dizer que foi ou é fácil mas também não é difícil, basta um pouco de pesquisa, organização, vontade de mudar, cercar-se de pessoas que possam te apoiar e o principal: partir para a ação! Depende de muito empenho pessoal, pois cuidar de si mesma faz com que olhemos para dentro, faz com que precisemos ir atrás de informação de qualidade, de priorizar a si mesma, de fazer compras, de preparar o alimentos e de lavar a pilha de louças... mas vale muito a pena. Sou outra pessoa, mais equilibrada, mais feliz, com mais energia.

A maior liberdade que sinto é de não depender da comida, de não ter mais compulsão alimentar, de poder comer quando e se sinto fome e não precisar contar calorias... isso não tem preço!

No momento atual, faço coaching com o Hilton que está me ajudando a refinar as coisas, buscar melhorias para atingir ainda mais resultados (os quilinhos finais!) e ficar cada vez mais saudável.

Low Carb é vida pessoal! Eu posso dizer que é possível, você também consegue... 

Sucesso a todos e agradecida por contar minha história aqui, e continua...



Abraços,
Andressa

E você? Quer contar a sua história e ajudar a inspirar mais pessoas? Se sim, escreva um texto, junte umas fotos e mande para paleodiario@gmail.com.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores