Meu corpo é minha casa, meu templo

Sempre fui uma pessoa acima do peso: Aos 12 anos já tinha por volta de 100kg, e nunca tive um corpo magro. Tenho uma estrutura de pessoa bem grande o que me "ajudou" a aceitar minha condição. Porém, mesmo acima do peso sempre me amei acima de tudo – diferente de muitos outros gordos, sempre tive uma auto-estima bem elevada; o que me permitiu viver o que todas as pessoas tidas como “normais ou magras” vivem, como namorar bastante, vestir roupas legais, ter muitos amigos e sempre sair para festas. 

Mesmo conformada com minha situação eu sempre tentava emagrecer, porque achava que podia melhorar. Fiz todas as dietas da moda, tomei todos os remédios-porcarias como sibutramina, femproporex, amfepramona, xenical, entre outros. Houve um período que eu fiz lowcarb, o que me ajudou a reduzir 25kg na época, mas como não havia feito a reeducação alimentar, em dado momento cansei da dieta e larguei – voltando a engordar tudo de novo. 

Por volta dos meus 26 anos, tive algumas perdas consideráveis na minha vida que me abalaram bastante, e nesse mesmo período resolvi largar o cigarro. Me vi em uma situação de ansiedade tremenda e comecei a beber muita cerveja e a comer mais comida do que o normal. Digo "mais comida" porque eu nunca gostei de comer besteiras, doces, fast-food e coisas do tipo. Sempre tive uma alimentação "saudável", porém comecei a comer em grandes quantidades juntamente com o consumo elevado de álcool. Conclusão: engordei mais 30kg e me larguei mão. Perdi minha auto-estima, não ligava mais tanto para minha vaidade, não encontrava mais nenhuma roupa que fosse legal e tinha que me conformar com as roupas que apenas cabiam em mim e claro, os namorados sumiram, hahahaha.

Vivi dessa forma por quase 4 anos, mas no fundo eu sabia que eu não era aquilo ali e que um dia eu mudaria o jogo. Eu só precisava querer isso acima de tudo. 

Um dia, deitada em meu quarto, comecei a prestar atenção ao funcionamento do meu corpo: como ele estava com dificuldades de fazer a digestão, como eu tinha gases, como meu coração batia com dificuldade e como a minha coluna doía como a de um idoso, por conta do peso.

Pensei: “MEU CORPO É MINHA CASA, MEU TEMPLO. VOU CONVIVER COM ELE ATÉ O DIA DA MINHA MORTE, ENTÃO SE EU QUISER TER QUALIDADE DE VIDA EU PRECISO MUDAR”. Juntamente a isso eu havia conhecido um cara novo, que havia mexido com meus sentimentos, e era um homem do jeito que eu sempre sonhei. Então para eu voltar a me sentir segura comigo mesma, melhorar minha vida e conquistar o gato, me coloquei em desafio. Vou emagrecer e vou tomar posse da minha vida e dar um novo rumo.

Foi quando resolvi fazer a única coisa que eu nunca tinha feito: reeducação alimentar. Primeiramente porque eu precisava mudar a forma como me relacionava com a comida e fazer atividades físicas. Procurei uma nutricionista para me auxiliar com a alimentação e segui à risca tudo que o personal me mandava fazer. Eram 3 horas de atividades físicas diárias. 

Sabia que meu precisava emagrecer muito, mesmo assim nunca me passou pela cabeça fazer bariátrica. Sempre pensei que se tinha me metido naquela enrascada sozinha, seria capaz de sair dela sozinha também. Assim fui vivendo um dia de cada vez. Minha meta era emagrecer 55kg, e dividi esses quilos em fases e tempo. 

Estudei muito sobre alimentação e procurei orientação nutricional sobre cada alimento que eu estava incluindo nessa nova fase. Aprendi a dosar as coisas e que isso tudo não precisava ser uma penitência. Entendi que temos organismos e metabolismos diferentes e que sempre vou precisar estar em constante vigília, porque se não me cuidar voltarei a engordar.

Após todo esse processo que durou aproximadamente 4 meses, emagreci 22 quilos e me senti segura para voltar a fazer lowcarb. Não tinha recorrido a ela de cara por medo de acontecer como da primeira vez, mas é com esse tipo de alimentação que mais me identifico e me sinto bem. 

Emagreci mais 27kg em mais ou menos mais 4 meses e fiquei feliz da vida, me amando. Só que eu estagnei, ainda faltavam mais quilos para minha meta e meu corpo não queria ceder – o tal do "efeito platô". Fiquei aproximadamente 5 meses sem sair do peso, emagrecia 2kg e ganhava 2kg – porque eu desanimava pela falta de resultados e furava a dieta. Além disso, também fiquei um pouco cansada de nadar e nadar e não sair da praia. Eu não comia quase carbo nenhum. 

Até que em fevereiro de 2017 resolvi com aquela mesma garra de antes: agora isso ia acabar! Faltava pouco e eu seria vitoriosa. Voltei a me empenhar, colocar metas e prazos, e mudei um pouco minha estratégia alimentar incluindo “carbos do bem” na dieta, como batata-doce, abóbora, entre outras coisinhas. Resultado: consegui eliminar mais 5kg, de gordura e ganhar quase 2kg de massa muscular. A partir daí que eu aceitei que talvez o peso da balança seja o menos importante nesse momento. Ainda tenho aproximadamente 7kg de gordura extra no meu corpo, e estou na luta para eliminá-los. Mas com paciência, sabedoria e uma lowcarb não tão sofrida. Hahaha.

Minhas maiores dificuldades: 
  • largar a cerveja, que eu consumia em média 4 dias por semana, 6 garrafas por dia
  • diminuir as quantidades de alimentos 
  • aprender a ter paciência.
O que eu ganhei com isso tudo: 

  • 51kg a menos
  • o cara que eu queria conquistar hoje é meu namorado e estamos muito felizes :-D
  • minha auto-estima de volta
  • segurança, sensação que eu sou capaz de resolver esse problema e muitos outros
  • minha coluna quase não dói mais
  • tenho condição física de “quase uma atleta” rsrs.... 
  • passei do manequim 56 para o 42, fico linda em qualquer roupa
  • tenho um novo estilo de vida que eu amo e me encontrei
  • sinto meu corpo funcionar infinitamente melhor
  • e o melhor de todos: sei que estou garantindo uma velhice mais plena se Deus quiser.

Iniciei em agosto/2015 e entrei para academia em 01 de setembro de 2015, com 130kg (foi quando me pesei de fato para ver o estrago).


Comecei sozinha em agosto, cortando arroz, feijão, frituras, pães, açúcar, e troquei por legumes, verduras e carnes e crepioca no café da manhã. Em outubro/2015 resolvi procurar a nutri, o que ajudou muito a potencializar os meus resultados. Ela dava as orientações e as estratégias corretas em cada fase da dieta, porque tivemos que mudar várias vezes para evitar o efeito platô ao máximo.

Em relação as atividades físicas, faço musculação e exercícios aeróbicos todos os dias, orientados pelo personal – que troca a série a cada 3 meses. Mas não pensem que o cara fica lá do meu lado me mandando fazer: ele passa as séries e me ensina, e com o resto eu me viro.

De agosto de 2015 a agosto de 2016 eu eliminei 47kg e estacionei. De fevereiro a junho de 2017 eliminei mais 5kg de gordura e tive ganhos de massa muscular.

A alimentação lowcarb hoje é minha rotina. Claro que tenho meus dias de exceção, mas com ela sinto meu corpo muito mais leve com 78kg.



Ane Bernardo ((@ane___bernardo)

E você? Quer contar a sua história e ajudar a inspirar mais gente? Se sim, escreva um texto, junte fotos de antes e depois, e mande para paleodiario@gmail.com

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores