Perda de gordura localizada?

Hoje temos um guest-post do coach Felipe Piacesi, criador do Treino Qualitativo.


É muito comum a busca de exercícios que supostamente reduzem medidas em locais específicos do corpo. Todo mundo que começa a treinar, quer derreter a gordurinha que fica abaixo do umbigo antes de mais nada! As mulheres querem, além da "pochete", queimar o "culote", a parte interna das coxas e "afinar" a cintura.

Vários estudos já foram conduzidos para verificar se isso é possível. Dentre eles destaco dois em que os voluntários fizeram somente abdominais. O de Katch et al. (1984) levou voluntários a fazerem diversos tipos de abdominais por 4 semanas. 

Antes e após a intervenção eles coletaram células adiposas através de biópsia em três regiões: abdominal, subescapular e glútea. Depois da intervenção, verificaram que houve redução similar no tamanho das células adiposas nos 3 locais. Vispute et al. (2011) levaram seus voluntários a fazerem flexões de tronco por 6 semanas e não houve perda de gordura, nem local, nem corporal. Agora vejam o estudo Ramírez-Campillo et al. (2013) intitulado "Mudanças na gordura local induzidas por estímulo de resistência na musculação". Os caras fizeram um estudo do tipo "ou vai ou racha". Isso porque usaram um exercício extremamente exigente, o leg press, que trabalha praticamente todos os músculos do membro inferior. Além disso, pasmem, levaram os voluntários a fazer uma série de 960 a 1200 repetições no membro não dominante. Ou seja, utilizaram a premissa de estímulo do aumento do fluxo sanguíneo passante no local, associado a um exercício de musculação que, devido ao protocolo super volumoso, certamente microlesionou muitas fibras musculares, mas ao mesmo tempo trabalhou a capacidade de endurance da musculatura e o sistema cardiorrespiratório. 

Experimente fazer uma "seriezinha" dessas na academia e depois me conte! Brincadeira. Não tentem isso em casa! rs Além disso, eram 3 sessões semanais, por 3 meses. Ah, o outro membro ficou parado, sem nenhum estímulo diferenciado durante o período de treinamento para servir de controle. Os pesquisadores utilizaram o DEXA (densitometria por dupla emissão de raios-X) para avaliar a proporção de massa magra e tecido adiposo antes a após a intervenção. Os resultados mostraram perda de gordura em tronco, braços e membro não-treinado. Isso mesmo! O membro que fez mais de 1500 repetições semanais não perdeu gordura discernível. 

Os autores concluíram que "o programa de treino foi efetivo na redução de massa gorda, mas essa redução não foi alcançada no segmento corporal treinado." 



Então pessoal, mais uma vez, a dica pra quem quer perder medidas é: treino inteligente e alimentação low carb. "Ah, mas eu não perco gordura na barriga". Perde sim! O problema é que você quer que a gordura de lá suma completa e rapidamente, e se isso não acontece, você fica cego e não percebe os bons resultados que está tendo. Há que se ter bom senso para não gerar uma expectativa surreal e consequente frustração.

Um abraço e bons treinos! 

Referências

  • KATCH, F. I.; CLARKSON, P. M.; KROLL, W.; MCBRIDE, T. Effects of sit up exercise training on adipose cell size and adiposity. Research Quarterly for Exercise and Sports, v. 55, p. 242-247, 1984.
  • VISPUTE, S. S.; SMITH, J. D.; LECHEMINANT, J. D.; HURLEY, K. S. The effect of abdominal exercise on abdominal fat. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 25, n. 9, p. 2559-2564, 2011.
  • RAMIREZ-CAMPILLO, R.; ANDRADE, D. C.; CAMPOS-JARA, C.; HENRIQUEZ-OLQUIN, C.; ALVAREZ-LEPIN, C.; IZQUIERDO, M. Regional fat changesinduced by localized muscle endurance resistance training. Journal of Strength and Conditioning Research,. v. 27, n. 8, p. 2219-2224, 2013.


Felipe Piacesi é mineiro de Barbacena, 32 anos, casado com a Mestre em Nutrição Débora Melo e pai da Valentina. Residente e apaixonado por Brasília há 16 anos. Bacharel em Educação Física pela UCB, pós graduado em Musculação e Treinamento de Força pela UnB, professor universitário, consultor, palestrante, coordenador técnico, personal trainer e praticante de musculação há 12 anos. Amante de ciências, é fascinado pelos resultados sustentáveis e seguros que a musculação e o HIIT trazem para seus alunos. Defensor destas modalidades na busca de uma vida mais saudável, longeva e autônoma. Devido a isso crê que quando uma pessoa se interessa em se exercitar, deve receber toda atenção e informação possível para incorporar definitivamente a prática em sua vida. É também defensor e praticante, desde 2013, de alimentação baseada em comida de verdade, no moldes das dietas Paleo e Primal.

Se você quiser conhecer o trabalho do Felipe como coach e ver os resultados dos alunos dele, clique aqui.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores