O açúcar é o "álcool das crianças", mas deixamos que ele domine a mesa do café-da-manhã

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

por Robert Lustig

O desjejum é considerado pela maioria dos especialistas em nutrição, incluindo a saúde pública da Inglaterra, como sendo a refeição mais importante do dia. Ela mantém o seu cérebro e seu metabolismo funcionando, e suprime o hormônio da fome no seu estômago para que você não coma demais no almoço. Mas em nossas vidas ocupadas, é fácil voltar-se para o que é rápido, barato, ou o que você pode comer em qualquer lugar. Cereais frios. Aveia instantânea. Para aqueles teimosos do tipo "eu vou servir algo quente no café da manhã", é sanduíche de microondas no café-da-manhã. Tenho que sair agora? Barras de granola. Barras de proteínas. Smoothies de iogurte.

Infelizmente, como a Pesquisa Nacional de Dieta e Nutrição descobriu, o que você está realmente fazendo é dar aos seus filhos uma enorme carga de açúcar ao enviá-los para as atividades do dia: metade da sua ingestão diária de açúcar, em média. Há uma razão pela qual a Organização Mundial da Saúde e o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos forneceram limites máximos de açúcar - porque o açúcar dietético frita o fígado e o cérebro dos seus filhos; exatamente como o álcool .

Álcool fornece calorias (7kcal/g), mas não oferece nutrição. Não há reação bioquímica que exija isso. Quando consumido cronicamente e em altas doses, o álcool é tóxico, não relacionado às suas calorias ou efeitos sobre o peso. Nem todos os que são expostos ficam viciados, mas é um número suficientemente grande para garantir a tributação e restrição de acesso, especialmente para as crianças. Claramente, o álcool não é um alimento - é uma droga perigosa, porque é tóxico e alvo de abuso.

O açúcar dietético é composto de duas moléculas: glicose e frutose. Frutose, enquanto fonte de energia (4kcal/g), é desnecessária para os seres humanos. Novamente, não há nenhuma reação bioquímica que a exija. Mas a frutose é metabolizada no fígado exatamente da mesma maneira que o álcool. E é por isso que, quando consumida cronicamente e em dose elevada, a frutose é igualmente tóxica e alvo de abuso, não relacionado às suas calorias ou efeitos sobre o peso. E é por isso que nossos filhos agora estão desenvolvendo as doenças do álcool (diabetes tipo 2, doença hepática gordurosa), mesmo sem ingerirem álcool. Porque o açúcar é o "álcool da criança". Também semelhantes ao álcool, as bebidas açucaradas estão ligadas a problemas comportamentais em crianças.

Em média, o cereal contém absurdos 12g de açúcar, todos adicionados, em uma porção típica. Nos EUA, o Grupo de Trabalho Ambiental (EWG) identificou, em 2011, 17 cereais matinais comercializados para crianças em que o açúcar adicionado constituía mais de 50% de calorias e 177 marcas nos quais o açúcar representava 40% ou mais. Apesar da notoriedade dessa divulgação, o estudo de acompanhamento do EWG em 2014 observou que nenhum desses cereais matinais na lista dos piores 10 tinha reduzido seu teor de açúcar.

Aqui estão dois exemplos da manobra corporativa para encher nossos filhos com açúcar. Considere Raisin Bran. Apenas passas e farelo, certo? Há 19g de açúcar em uma porção. Mas as passas só representam 11g. Isso é porque as passas são todos mergulhados em uma solução de açúcar para torná-las muito mais doces. Em segundo lugar, o meu favorito - Lucky Charms. Eles são "magicamente deliciosos". Por que há marshmallows na caixa? Porque a aveia custa mais do que marshmallows. Eles ocupam espaço na caixa, mas a empresa começa a cobrar mais. Uma ótima estratégia de negócios.

Mas não termina aí. Considere um pote de iogurte de romã, que tem 19g de açúcar. Um iogurte simples tem 7g de açúcar, toda a lactose (açúcar de leite), que não é um problema. Assim, cada iogurte de romã tem 12 g de açúcares adicionados. Além disso, a indústria oculta bem o açúcar. Existem 56 nomes diferentes para o açúcar. Ao escolher diferentes açúcares como o quinto, sexto, sétimo e oitavo ingredientes, o açúcar pode rapidamente tornar-se o ingrediente dominante. A Food and Drug Administration dos Estados Unidos prometeu mudanças na rotulagem para abolir essa prática, mas a UE ainda não seguiu o exemplo.

Talvez o perigo mais pernicioso seja o dos bebês e crianças até 3 anos. Em 2015, os Centros de Controle de Doenças dos EUA examinaram as informações nutricionais de 1.074 produtos alimentícios para bebês e crianças. Descobriram que 32% dos jantares para crianças pequenas, a maioria dos lanches orientados para crianças e sucos para bebês continham pelo menos uma fonte de açúcar – com 35% de suas calorias provenientes de açúcar.

Não deixe seus filhos ser um viciado por sucumbir aos interesses corporativos. Certifique-se de que eles comam um desjejum dos campeões de verdade.

Que tal fazer parte da lista de emails do Paleodiário e receber uma versão em alta resolução da Tabela Periódica de Alimentos Paleo?

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores