Hoje eu sei novamente o que significa ter saúde

Hoje eu sei novamente o que significa ter saúde. Até meus 20 anos eu tinha peso normal, de aproximadamente 80kg, e com 1,82m. Nunca recusei um prato de comida quando criança ou adolescente; era daqueles que comia bem, repetia, mas ainda assim, me mantinha magro. Era devorador de biscoitos recheados principalmente, mas também bolos, e outras sobremesas. A janta era, na maior parte das vezes, lanche. Comia alguns mistos-quentes. Passei muitos anos com esse tipo de alimentação. Com o tempo, acrescentei tortas, pizzas, comida de fast-food ocasionalmente, e refrigerantes. À medida que os anos passavam, ia aumentando de peso vagarosamente, até chegar a uns 90kg mais ou menos – aos 30 anos. Comia sobremesa com muita frequência e continuava engordando. Ao longo do tempo, eu já não era muito chegado a subir numa balança, pois não queria saber da terrível verdade.

Em 2010, já com 43 anos, comecei a tomar remédio para pressão, após ir ao cardiologista e constatar que minha pressão estava alta. Quando me olhava no espelho, achava que meu problema era apenas uma barriga avantajada, mas que no restante, eu não era assim tão gordo. Ledo engano...

Tinha que usar roupas GG, XGG ou XL, e calça tamanho 52. Às vezes, era difícil encontrar. Cheguei a ter um entorse de grau 3 no tornozelo. Após dois anos, foi a vez de mais um entorse no mesmo tornozelo e com fratura. Se tivesse sido um pouco mais grave, teria que fazer uma cirurgia e minha recuperação dos entorses foi demorada.

Quase aos 45 anos, fui a um gastroenterologista que, após breve exame, me disse que eu estava com o estômago inflamado. Foi aí que comecei a buscar informações sobre saúde na Internet e encontrei o site "Uma Outra Visão", do Dr. José Carlos Peixoto. Li muitos artigos deste site e notei que muitas coisas ali publicadas faziam muito sentido para mim. Nunca achei normal que qualquer pessoa hoje com 40 a 50 anos tenha que ficar tomando remédio para pressão ou colesterol. Antigamente não era assim. Mas eu queria mais e continuei com minhas buscas. Encontrei alguns vídeos do dr. José Roberto Kater, no YouTube, que continuava a dizer as mesmas coisas que eu já havia lido – até que li uma entrevista com o Dr. William Davis sobre o livro "Barriga de Trigo". Juntando todas essas informações, comecei a montar um quebra-cabeças muito interessante. Mas eu precisava de mais... e pesquisava mais... tinha que continuar montando esse quebra-cabeças...

Aos 47 anos, fui a um cardiologista, e ele me falou que eu estava pesando 119,8kg. Meus exames, na época, mostravam colesterol total no limite, HDL baixo, triglicerídeos altos e glicose no limite. Procurei não me preocupar muito com isso, até mesmo porque o médico não falou muita coisa de meus exames, apenas que eu continuasse tomando o remédio para a pressão, mas que, se não me cuidasse, já iria começar a tomar sinvastatina. Minhas dificuldades quando obeso eram: cansaço ao subir escadas e ladeiras, dificuldades em amarrar o sapato; não conseguia caminhar rápido como antes, ficava ofegante e tinha uma dor no joelho direito, que me incomodava mais ao descer escadas e quando fazia frio. Comecei, então, a fazer uma dieta por conta própria, retirando o glúten e perdi 3kg. Era Abril de 2015. Continuei com minhas pesquisas e até outubro, engordei mais um, chegando a 117,8Kg.

Vendo vídeos no YouTube encontrei o blog do Dr. Souto. Procurei se tinha algo no YouTube, e achei uma palestra de 2013. Assisti e isso foi o que mudou a minha vida. Então, achei o blog do Dr. Souto e comecei a ler tudo o que encontrava, aprendendo cada vez mais. Com isso, descobri também outras fontes de informação, como o Paleodiário, Primal Brasil, Menos Rótulos, Resistência à Insulina, Código Emagrecer de Vez, dos sites e blogs do Chris Kresser, Dr. Hyman, Marika Sboros, Jason Fung, David Ludwig, Mark Sisson, Andreas Eenfeldt, e muitos outros, além de ter comprado e começado a ler vários livros, como "Porque Engordamos", de Gary Taubes, a "Dieta da Mente", de David Perlmutter, "Barriga de Trigo", de William Davis, "Amigos da Mente", de David Perlmutter, entre outros. Também tenho acompanhado os vídeos do YouTube com a Paty Ayres, Lara Nesteruk, Djulye Annie Marquato, Jason Fung, Andreas Eenfeldt, além dos Podcasts da Tribo Forte, com o Dr. Souto, Rodrigo Polesso, e convidados.

E assim, em 06/11/2015, já com 48 anos, comecei a minha dieta low-carb por minha própria conta e risco, e comecei a perder peso de maneira maravilhosa. No primeiro mês, foram eliminados praticamente 10kg, numa média de 2 ou mais quilos por semana. Estava radiante, e deixando muitas pessoas à minha volta, espantadas com meu emagrecimento e melhora. Claro que, com o tempo, o ritmo de perda de peso diminuiu. Já era 1kg por semana. Fui me adaptando aos poucos, lendo muito, pesquisando muito. Algumas vezes, cheguei a um estágio de platô, mas não desanimei, pois estou consciente que hoje eu não faço uma dieta, eu me alimento com comida de verdade – e após um tempo de adaptação (1 mês) à low-carb, comecei a experimentar, por conta própria, alguns jejuns de 16 horas. Comecei devagar, fazia uma vez na semana, e me senti bem. Após um tempo, fiz duas vezes na semana, sempre me sentindo ótimo. Após um tempo, experimentei fazer apenas um JI de 24 horas na semana, também me sentido bem. Claro que, durante esse tempo, dei algumas escorregadas, mas sempre consegui manter o foco e pensei que não havia pressa para nada.

Com isso, começou a troca de roupa. Algumas que não me cabiam mais, passaram a caber e depois até mesmo chegaram a ficar grandes. Continuo a me alimentar dessa forma, e tenho certeza de que continuarei a viver de maneira saudável.

E até hoje, após praticamente 1 ano, emagreci no total 40kg e posso dizer que já atingi meu primeiro objetivo, que era a perda de peso. Minhas taxas melhoraram muito: a glicose caiu, HDL começou a subir, triglicerídos caíram vertiginosamente e penso em continuar estudando muito sobre isso, pois sou muito movido à curiosidade e a compreender o funcionamento de nosso organismo. Após a perda de muitos quilos e novos exames, voltei a consultar um médico que já me conhece e, considerando essa alimentação, já não é mais necessário tomar o remédio para pressão – uma vez que ela já está normalizada.

A dor nos joelhos passou, me sinto bem mais leve e ágil. Comecei a enxergar no espelho alguém que eu não via há 30 anos. É uma sensação um tanto estranha. Muito obrigado a você, Hilton, ao Dr. Souto, Paty Ayres, Rodrigo Polesso, Regiany Floriano, Lissandra Bischoff, Vinícius Possebon, Lara Nesteruk, Nanda Muller, José Neto, José Carlos Peixoto, José Roberto Kater. Todos vocês fazem um trabalho espetacular de divulgação do que é realmente ciência de verdade e me ajudaram muito! Obrigado! Sinceramente,



Sinceramente,
André

E você ? Que tal contar a sua história e ajudar a inspirar outras pessoas ? Se quiser, escreva um texto, junte umas fotos de antes e depois e mande para paleodiario@gmail.com.

Que tal fazer parte da lista de emails do Paleodiário e receber uma versão em alta resolução da Tabela Periódica de Alimentos Paleo?

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores