Dieta e vida social: 20 dicas para lidar com quem convive com você

Hoje temos um guest-post da Mariana Montezzana, autora do blog "Vida LowCarb". A Mariana emagreceu 30kg comendo comida de verdade (e sem malhar :-), e escreveu um livro muito bacana que serve como belo guia para quem quer embarcar no estilo de vida paleo!

por Mariana Montezzana



Mudar a alimentação de uma dieta convencional para uma dieta low carb não é nada fácil: requer muito estudo, auto-observação, pesquisa de receitas e planejamento de cardápio.

Para muitas pessoas, um outro componente bem complexo também entra nessa equação: equilibrar dieta e vida social e administrar o impacto que as mudanças na sua alimentação causam nas pessoas que convivem com você.

A alimentação é uma parte muito importante e presente na nossa cultura, e é essencial aprendermos a lidar com as reações de pais, mães, filhos, amigos e colegas de trabalho.

A ideia desse post é compartilhar algumas dicas sobre como lidar com o mundo à sua volta quando você começar sua vida low carb.

1. Você em primeiro lugar


Primeiro de tudo, tenha em mente que o que está em jogo é a sua vida, só sua. Por mais que a pressão seja forte, não dá para você viver postergando o que quer por conta da reação de outras pessoas ao que você está fazendo.

Mais importante do que convencer os outros é VOCÊ estar convencido e determinado. Se estiver, ficará mais ainda ao ver os primeiros resultados em emagrecimento e energia.

Se você está disposto a tentar se alimentar melhor, não ceda e aprenda a lidar de uma maneira tranquila com a oposição, afinal você já vai precisar dedicar muita energia ao processo de aprendizagem nesse novo jeito de se alimentar.

2. Não tente converter o mundo


De repente, você encontrou uma dieta sem cardápios prontos, que te permite comer alimentos gostosos até a saciedade, sem se preocupar com as calorias, e ainda emagrecer para nunca mais voltar a engordar.

É natural que você queira contar para todo mundo e convencer seus familiares e amigos de que eles precisam mudar também.

Talvez você, como eu, fique analisando os carrinhos das pessoas no supermercado e fique morrendo de vontade de chegar e dizer: “Olá jovem casal, teriam dois minutinhos para ouvir sobre a comida de verdade?”

Uma vez eu mandei um pdf do livro do Dr. Atkins para um colega no trabalho. Ele respondeu agradecendo, tudo bem.

Mas depois eu fiquei pensando: e se esse colega não quiser emagrecer? E se estiver feliz gordo? E se tiver se ofendido? Quem sou eu pra chegar pra alguém e dizer que ela tem um problema que precisa ser resolvido?

A própria pessoa precisa querer a transformação – qualquer transformação na vida.

Você querer mudar a pessoa sem a vontade dela, mesmo que cheio de boas intenções, só desgasta a relação. O que nos leva para a próxima dica…

“A senhora teria um minuto para falar sobre a sua alimentação?” Não seja essa pessoa

3. Só dê conselho quando o seu conselho for bem-vindo


Se um colega de trabalho vier procurar você curioso sobre o seu processo de emagrecimento e perguntando o que fazer para emagrecer dessa forma, daí sim ensine o que sabe, ofereça ajuda, indique leituras.

Seja aquela pessoa que fez falta quando você começou e precisava de suporte. Dessa forma você muda o mundo de uma maneira positiva e a pessoa que você ajudou lembrará sempre com carinho de você.

Muita coisa ruim vem de pessoas que acham que o mundo tem que viver do jeito delas.

A única exceção são os filhos: nesse caso você tem uma séria responsabilidade em ser o mentor alimentar e não criar outra pessoa que vê nos comerciais de margarina uma fonte confiável de informação sobre alimentação.

4. Escolha bem as palavras


Uma dica que faz MUITA diferença é escolher bem as palavras que você vai usar para descrever o estilo de alimentação low carb.

Repare a diferença nos dois discursos abaixo:

1) Comecei uma dieta nova! Nessa dieta eu posso comer bacon e manteiga todos os dias que vou emagrecer. Que louco, né? Espero conseguir entrar naquele vestido até abril!

2) Estou experimentando um estilo de alimentação novo! A ideia central é eliminar alimentos pobres em nutrientes como açúcar e grãos e alimentos processados, e focar no consumo de alimentos em seu estado natural.

As duas frases descrevem a alimentação low carb, mas a segunda é uma abordagem muito mais suave do que a primeira.

Quando me perguntam, prefiro dar uma resposta nessa linha mais suave e evito usar termos que podem ser gatilho para polêmicas, como Atkins, Paleo, cetogênica, sem glúten e outros.

5. Não seja o chato da turma


Pense: você era o recordista do número de fatias no rodízio de pizza e sempre oferecia um brigadeiro de colher quando recebia gente em casa, de repente tudo mudou.

Por mais que você esteja estudando cada vez mais, não vale dar uma palestra toda a vez que o seu amigo comer um pão francês.

Confie no poder do bom exemplo, quando seus resultados saltarem aos olhos todo mundo ao seu redor vai querer fazer como você.


6. Cuidado para não colocar nos outros uma culpa que é sua


Momento honestidade bruta:

Eu recebo por volta de 100 comentários por semana aqui no blog, acabei me tornando expert em detectar se o projeto de emagrecimento tende a dar certo ou não: quando a pessoa coloca nos outros a culpa por estar gorda (no trabalho, na família, nos colegas, na rotina) é meio caminho andado para o fracasso.

Já quando a pessoa assume uma postura de responsabilidade pelos seus atos e escolhas (em tudo na vida!) daí sim eu vejo firmeza e chances reais de sucesso.

Eu juro que eu tento não comer, mas todo mundo come!

Veja a diferença nesses dois discursos:

1) Hoje mais uma vez eu fiz escolhas ruins, me senti ansiosa e compensei comprando um pacote gigante de Doritos, uma Coca e um chocolate. Comi deitado no sofá assistindo um filme, na mesma semana em que por pura preguiça fiz exercício só um dia, e mesmo assim um treino meia-boca.

2) Essa semana rolaram duas festinhas de aniversário no escritório e então como todo mundo estava comendo eu acabei comendo também – sou amiga dos aniversariantes. Na sexta uns amigos se reuniram no boteco e eu acabei não resistindo a uma porção de batata frita. Como todo mundo lá em casa come pão no café eu acabo não conseguindo evitar, por isso não consigo ficar firme na dieta!

No primeiro discurso a pessoa assume o protagonismo na vida e sabe das consequências de suas decisões. Quando come mal, SABE que é culpa dela.

No segundo discurso, a pessoa põe a culpa no mundo, nas férias, nas festas de final de ano, nos aniversários de criança. Ela bem que tenta emagrecer, mas a cruel carbolândia não permite que ela consiga.

Então minha amiga, meu amigo: reflita com atenção, olhe para dentro de si e responda: será mesmo que são os outros que estão sendo um obstáculo para você atingir seus objetivos? Ou será você que está usando a sociedade como desculpa para continuar se sabotando?

7. Não delegue sua alimentação saudável para terceiros


Recebo alguns comentários assim:

“estou pesquisando sobre essa dieta porque o meu marido está muito acima do peso e quero receitas (…)”

ou

“queria fazer low carb mas lá em casa quem cozinha é a minha mãe daí fica impossível”

Oi? No primeiro comentário, cadê o marido que não está pesquisando, perguntando em blogs e fóruns, invandindo a cozinha?

No segundo, por que a pessoa não consegue preparar uma refeição para si, nem que seja um omelete bem básico?

Cozinhar comida de verdade é lindo, relaxante e um ato de amor e conexão com a natureza. Aprenda a cozinhar e assuma responsabilidade sobre a sua saúde, vai fazer muita diferença na sua vida.

8. Aprenda a dizer NÃO sem se explicar


Quer uma balinha? Não, obrigada. Quer um Oreo? Não, obrigada. Come um pedaço de bolo fresquinho! Não, obrigada.

Simples assim, não precisa pedir desculpa ou achar que a pessoa vai sofrer se você não aceitar a comida que ela oferece.

Quando eu comecei low carb eu trabalhava em escritório de grande empresa, onde o tempo todo tem alguém de aniversário ou coffee break de algum evento. Ou tem viagem e no avião servem sanduíches na faixa.

Diga não sem se justificar e se habitue a dizer não. No começo sem dúvida será sofrido, mas com o tempo você vai ficar só de longe impressionado de ver como a turma come O TEMPO TODO, e cada vez mais seguro da sua opção de evitar tudo isso.

Só se for a sua vozinha que você visita uma vez por ano oferecendo aquele pudim de leite com sabor de infância. Daí aceite

9. A maneira como você come não é tão importante assim


Quando alguém me fala que a família toda está contra ela, que todos os colegas estão comentando e que toooodos os amigos estão reclamando do seu novo estilo de alimentação eu penso “Amiga, menos.”

Em geral as pessoas estão mais preocupadas com elas mesmas, então relaxe e faça o que for melhor para você.

10. Não tenha medo de ser diferente


Quem diria que se alimentar com alimentos da maneira como eles saem da natureza significasse ser diferente!

Mas com a presença massiva de comidas industrializadas e propagandas vendendo esses produtos como parte de uma “dieta equilibrada”, junto com a mania light (também fomentada pelo mercado de alimentos processados), parece que comer comida de verdade virou um ato revolucionário. Que seja!


11. Estude


Se você não sabe como e porque low carb funciona, fica difícil responder quando você for questionado na mesa do almoço de domingo.

Então não comece sem antes estudar o essencial. Quando você entende o processo que está por trás as chances de sucesso aumentam e você ganha conhecimento para fazer uma das coisas mais legais da vida: falar sobre comida!


12. Mencione seus resultados, em números e em benefícios


Quando vierem para você perguntando sobre mitos infundados como “você vai morrer comendo tanta gordura!” ou “ouvi falar que essa dieta é péssima para X”, fale de quanto peso já perdeu, como suas roupas estão mais largas.

Fale sobre como se sente melhor, menos dependente da comida, como seus exames estão 100%.

13. Converse com a sua família


Se você não mora sozinho, ao decidir fazer low carb converse com a sua família, explique de maneira suave (como o exemplo da dica número 4) o que está fazendo.

Peça ajuda para que alimentos dos quais você sentirá muita falta nos primeiros dias fiquem dentro dos armários e peça para não oferecerem as coisas que você está evitando.

14. Cozinhando pra todo mundo


Se você faz a comida da família toda, isso não impede você de tocar uma alimentação low carb normalmente.

É só focar bastante na combinação carne-arroz ou batata-feijão-salada e comer a carne e a salada. Não é fácil no início, mas com o tempo os hábitos se firmam e você tira de letra.

Lá em casa comecei assim e hoje em dia a batata e o arroz sobram, por mais que eu faça pouca quantidade.



15. Para ser respeitado, respeite


Se quer ser respeitado, aprenda a respeitar o outro também – não existe estilo de alimentação que sirva para todo mundo, então respeite quem come peito de frango com batata-doce, vegetarianos, dukanianos, consumidores de whey protein, e pessoas gordas que estejam satisfeitas.

Não trate dieta como disputinha de time ou como oportunidade de dar opinião não solicitada.

16. Vá procurar sua turma!


Já ouviu aquele ditado “você é a média das 5 pessoas com as quais você mais convive”? Se as cinco pessoas com quem você mais convive comem pão e macarrão todos os dias, nem tudo está perdido.

Se você está sozinho na empreitada low carb, vá procurar sua tribo na Internet.

Participe de grupos no Facebook, siga pessoas no Instagram. Vai servir para você aprender novas maneiras de preparar a comida e se inspirar diariamente.

Siga Vida Low Carb no Instagram @vidalowcarb

17. Em ocasiões sociais, tente não chamar atenção para as suas escolhas alimentares


No boteco com a turma, quando pedirem chopp, diga que hoje você está afins de uma cachacinha ou uma cuba de coca zero.

Quando pedirem batatinha, peça uma tábua de frios.

No almoço de domingo na casa da vó, simplesmente sirva-se da carne e da salada e coma normalmente.

Fazendo a egípcia no boteco


18. “Eu não posso comer” x “Eu não como”


Quando você fala que não pode comer determinada coisa você se coloca em uma posição de vítima e pode até se sentir mais tentado do que deveria porque se proibiu de comer algo.

Já quando você fala que não come determinada coisa, está implícito que você não come porque não quer, não importa por qual motivo.

19. Não sirva de válvula de escape de outros


Algumas pessoas parecerão muito preocupadas com a sua saúde, mas no fundo elas estão mesmo é com ciúmes porque você está fazendo algo para mudar para melhor, enquanto elas seguem se alimentando mal.

As críticas, comentários como “come só um pedacinho, a dieta precisa ser equilibrada”, ou “segunda feira você recomeça” disfarçadas de boas intenções podem ser uma tentativa desesperada de justificar a própria falta de ação na vida – não caia nessa.

Apenas sorria e gentilmente mude de assunto. Mas também não deixe seus ouvidos servirem de penico, o que nos leva para a próxima dica…


20. Se a pessoa for malvada com você, pode ser a hora de repensar a relação


Tinha essa moça que trabalhava comigo, normalmente almoçávamos com um grupinho no refeitório da empresa.

Quando comecei low carb almoçava com essa turma de vez em quando, e essa moça fazia um monte de mini-comentários super sem graça sobre o meu prato, no início eu ainda me preocupava em explicar e tudo mais.

Com o tempo eu percebi uma certa maldade (tipo bullying mesmo) nos comentários dela e passei a solenemente ignorar o que ela dizia. Não fazia nem “uhum”, continuava como se ela não estivessem falando comigo. Afinal de contas, eu não sou obrigada.

E você, conta com apoio das pessoas à sua volta? Tem alguma técnica especial para lidar com o mundo?



Para comprar o livro "Low Carb Sem Mistérios", clique na imagem abaixo:



Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores