Estou convicta que essa é a vida que quero para mim

Sempre tive uma alimentação desregrada: detestava comida de verdade e comia muita besteira. Bolachas, salgadinhos, leite era uma caixa por dia – com Nescau. Até os 11 anos eu era a amiga odiada por comer besteira e não engordar; chegava a ser estranha de magra... Era a exceção de uma família com histórico de obesidade e hipertensão. Depois dessa idade comecei a engordar e segui engordando cerca de 10 kg ao ano, exatamente como previam os médicos pelos quais passei.

As dietas eram sempre as mesmas: tudo sem gosto, integral, de 3 em 3 horas... Me deixava super ansiosa e eu comia cada vez mais, desistia no meio do caminho, me frustrava e comia cada dia mais.

Auto-estima já em existia: não tava nem aí pra mim.

Tomei muito remédio pra emagrecer, como sibutramina e outras fórmulas macabras... Junto com a obesidade, isso desencadeou uma série de problemas como início de hipertensão. Passava mal na rua e tinha que ser levada às pressas para o hospital com a pressão super alta.

Me lembro exatamente do dia em que, com 19 anos de idade, fui ao Pronto Socorro passando muito mal, com uma veia estourada dentro do olho e sem o movimento de um braço. Pressão em 20x18.

Ali o médico me disse que eu precisava fazer algo rápido, senão morreria... E eu sinceramente não tinha mais forças para fazer nada. Já estava totalmente depressiva e entregue à obesidade. Comecei uma pesquisa sobre a cirurgia bariátrica e aos 20 anos, com 133kg, passei pelo procedimento. 

Emagreci muito: 52kg pra ser mais exata. Fui de 133kg para 81kg. Auto-estima muito melhor, mais disposição apesar da anemia que agora era presente.

Porém, apesar da redução de quantidade que conseguia comer, a qualidade do alimento continuava não sendo das melhores e inicialmente achei que isso fosse o suficiente. Até que percebi que meu peso já havia se estabilizado havia meses e eu não perdeia mais. Ou seja, não chegaria ao meu peso ideal. Além disso engordei 3kg: fui para 84. Então cai na real que precisava fazer algo por mim... Nada nem ninguém poderia fazer o trabalho por mim. Era minha saúde, meu bem-estar. Eu precisava honrar a oportunidade que tinha tido quase 3 anos antes.
Já tinha ouvido falar de dietas que restringiam carboidratos, inclusive já havia feito quando obesa e emagreci – mas engordei tudo de novo porque fazia de forma errada, sem priorizar a saúde. Quando perdia o que queria, voltava aos velhos hábitos e engordava tudo de novo.

Dessa vez, comecei a estudar sobre o que até então eu chamava de "dieta". E fui me apaixonando casa dia mais. Através de blogs, grupos, livros, percebi que não tratava-se de uma moda, uma dieta boa pra perder uns quilinhos, e sim de um estilo de vida que proporcionava saúde, cura, controle e consequentemente perda de peso.

Venho investindo tempo em mim, lendo, aprendendo e com a mudança de hábitos já mudei minha disposição, melhorei em muito minha anemia, e perdi cerca de 10kg, desde 02/2016.

Ainda tenho um longo caminho a percorrer, peso a eliminar, percentual de gordura a baixar, livros para ler, alimentos a eliminar e pessoas a incentivar – e sinceramente, tenho pensado até em mudar de profissão. Estou apaixonada pela área.

Estou convicta que essa é a vida que quero para mim: me alimentar de forma saudável e prazerosa ao mesmo tempo, entender a função e consequência de cada alimento no meu corpo.



Fran



E você, quer contar a sua história e ajudar a inspirar mais pessoas ? Mande um email para paleodiario@gmail.com.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores