Desculpe, não há nada de mágico sobre o café-da-manhã

Artigo traduzido por Juliana Whately. O original está aqui.

por Aaron Carroll.

Nossa crença no poder do cefé da manhã é baseada em pesquisas mal-interpretadas e estudos ruins.
Eu não tomo café da manhã. Não é que eu não gosto do que é oferecido. Dada a escolha de alimentos de café-da-manhã ou almoço, eu quase sempre escolho ovos ou torradas. É só que eu não estou com fome às 7:30, quando saio para o trabalho.

Na verdade, eu raramente tenho fome até cerca da hora do almoço. Portanto, além de uma xícara de café, eu não como muito antes do meio-dia. Este hábito me forçou a ser submetido a mais falatório sobre como eu estou me machucando, minha dieta, meu trabalho e minha saúde do que qualquer outra pessoa. Só um tolo pularia a refeição mais importante do dia, certo?

Tal como acontece com muitas outros itens do conselho nutricional vigente, nossa crença no poder do café-da-manhã é baseada em pesquisas mal-interpretadas e estudos tendenciosos.

Não é preciso muito esforço para encontrar pesquisas que mostram uma associação entre pular o café-da-manhã e problemas de saúde. Um estudo de 2013 publicado na revista Circulation descobriu que homens que o pulavam o desjejum tinham um risco significativamente maior de doença coronária do que os homens que não pulavam. Mas, como quase todos os estudos sobre café-da-manhã, isso é associação e não causalidade.

Mais do que na maioria dos outros domínios, este tópico é um que sofre de viés de publicação. Em um artigo publicado no The American Journal of Clinical Nutrition, em 2013, os pesquisadores revisaram a literatura sobre o efeito do café-da-manhã na obesidade para observar especificamente esta questão. Primeiro eles notaram que os pesquisadores de nutrição gostam de publicar resultados que mostram uma correlação entre pular o café-da-manhã e obesidade. Eles amam fazer novamente e novamente. Em algum ponto, não há razão para continuar publicando sobre este assunto.

No entanto, eles também encontraram falhas importantes na comunicação de resultados. As pessoas foram sistematicamente tendenciosas na interpretação de seus resultados em favor de uma relação entre pular o desjejum e a obesidade. Eles impropriamente usaram uma linguagem causal para descrever seus resultados. Eles erroneamente citaram resultados de outros. E eles também utilizaram indevidamente linguagem causal citando resultados dos outros. As pessoas acreditam e querem que você acredite que pular o café-da-manhã é ruim.

Boas revisões de toda a pesquisa observacional observam as falhas metodológicas neste domínio, bem como os problemas de combinar os resultados de estudos com viés de publicação em uma meta-análise. As associações devem ser vistas com ceticismo e confirmadas com estudos prospectivos.

Existem poucos ensaios clínicos randomizados. Aqueles que existem, embora metodologicamente fracos como a maioria dos estudos de nutrição, não apoiam a necessidade do café-da-manhã.

Outro campo confuso é um estudo de 2014 (com mais conflitos de interesses financeiros do que eu pensava ser possível) que descobriu que fazer com que pessoas que pulam o café-da-manhã tomem café-da-manhã, e fazer com que os comedores de café-da-manhã pulem o mesmo, não fez diferença no que diz respeito à perda de peso. Mas um estudo 1992 que fez a mesma coisa, descobriu que ambos os grupos perderam peso. A perspectiva equilibrada seria reconhecer que não temos idéia do que está acontecendo.

Muitos dos estudos são financiados pela indústria de alimentos, que tem um viés claro. A Kellogg's financiou um artigo altamente citado que constatou que o cereal no café-da-manhã é associado a ser mais magro. O Centro de Excelência da Aveia Quaker (parte da PepsiCo) financiou um estudo que mostrou que comer farinha de aveia ou flocos de milho reduz o peso e colesterol (se você comer em um ambiente altamente controlado durante 4 semanas).

Muitos estudos se concentram em crianças e argumentam que as crianças que tomam café-da-manhã também são mais magras, mas estas pesquisa sofrem das mesmas falhas que a pesquisa em adultos.

E quanto ao argumento de que as crianças que tomam café-da-manhã se comportam melhor e têm melhor desempenho na escola? As revisões sistemáticas acham que este é frequentemente o caso. Mas você tem que considerar que grande parte da pesquisa está olhando para o impacto dos programas de merenda escolar.

Uma das razões pelas quais o café da manhã parece melhorar a aprendizagem e progresso das crianças é que, infelizmente, muitos não têm o suficiente para comer. A fome afeta quase 1 em cada 7 famílias nos EUA, ou cerca de 15 milhões de crianças. Muito mais crianças recebem merenda escolar do que café-da-manhã escolar.

Não é difícil imaginar que as crianças que estão com fome vão se sair melhor se elas forem alimentadas. Isso não é o mesmo, entretanto, que testar se crianças que já estão bem-alimentadas e não querem tomar café-da-manhã devam ser forçadas a comer.

Verificou-se que as crianças que pulam o café-da-manhã são mais propensas a ter excesso de peso do que as crianças que comem dois cafés-da-manhã. Mas que parece ser porque as crianças que querem mais cafés-da-manhã estão passando fome em casa. Nenhuma criança que está com fome deve ser privada do café-da-manhã. Isso é diferente de dizer que tomar café-da-manhã ajuda você a perder peso.

A conclusão é que a evidência para a importância do café-da-manhã é uma confusão. Se você está com fome, coma. Mas não se sinta mal se você prefere pular o desjejum e não ouvir aqueles falam que é importante.

O café-da-manhã não tem poderes místicos.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores