Meu filho deveria puxar ferro ? Parte 2.1: Princípios para desenvolver o condicionamento em crianças para o esporte e a vida

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

Nota: Esse artigo é gigantesco, por isso tive que quebrá-lo... Depois tem mais!

por Joy Victoria

Na parte 1 eu cobri o suporte científico para que crianças participem de exercícios de força. Também defini os termos usados para descrever diferentes categorias de exercício de força tais como levantamento olímpico, powerlifting, fisiculturismo, treino de força e categorias de movimentos. Se você não leu a parte 1, clique aqui.

Nesse artigo eu quero cobrir alguns princípios importantes a se compreender sobre treinamento físico em geral, e treinamento de crianças para esporte ou condicionamento.

Um conhecimento desses princípios vai responder a maioria das questões que você possa ter sobre treinar "fitness" em crianças. Eu me sinto confortável em dizer isso, porque enquanto eu poderia te dizer sobre quais exercícios fazer ou qual programa é "bom" para isso ou aquilo, na prática isso não é útil para você - a menos que me contrate. Um monte de coaches sente-se assim. Você não pode simplesmente entregar um papel com um programa a uma pessoa e dizer "isso aqui resolve". Um programa é na verade uma série organizada de boas idéias, baseadas em princípios e leis que sabemos que funcionam para o desenvolvimento de diferentes aspectos de "fitness", tanto para o esporte quanto para a saúde, mas mais importante: um bom programa é tão individual quanto possível.

A boa notícia é que compreender os princípios você mesmo vai te mostrar que você pode responder suas próprias questões ou estreitar sua busca muito mais precisamente, por conta própria. Isso vai te ajudar a fazer questionamentos melhores como pai ou coach, que é a única maneira de ter respostas melhores.

Em primeiro lugar


Crianças não são adultos pequenos. Elas estão crescendo. Esse é outro momento "dããã" para você, mas é engraçado como às vezes as coisas mais óbvias são esquecidas quando chega a hora de aplicar certas coisas. Embora crianças possam treinar força, o "como" e o "o quê"  precisam ser muito apropriados para eles. É nisso que vamos cavar mais fundo aqui.

Para ser clara, quando me refiro a crianças e adolescentes, estou falando de idades que vão de 0 a 16 anos. O desenvolvimento varia, então isso é uma generalização. Mas depois dos 16, o corpo (tanto estruturalmente, hormonalmente e mentalmente... bem isso é discutível - mas em termos de ser capaz de processar, focar-se e executar movimentos e instruções mais complexos) está próximo do desenvolvimento completo ou mais próximo da sua estrutura adulta permanente. Então para nossos propósitos, essa faixa etária é apropriada.

Crianças e seus estágios podem ser divididas frouxamente em categorias, com cerca de 1 ano de discrepância entre homens e mulheres (as mulheres desenvolvem-se mais rápido). Depois de revisar diversas fontes, por questão de simplicidade aqui estão as faixas etárias básicas.

  • 0-7: Muito jovem
  • 8-10: Jovem
  • 11-13: Pré-adolescente
  • 14-16: Adolescente
  • > 16: Adulto

Ao ler sobre qualquer parte deste conselho, por favor aplique a idade ao contexto.



O Princípio Geral do Condicionamento Físico (GCF) e a brincadeira


Aqui está um bebê fazendo uma prancha. Exceto que esse bebê não precisou ser ensinado a fazer uma prancha. É algo que ocorre naturalmente em sua jornada para aprender a andar. O processo pelo qual isso acontece é chamado aprendizagem motora do desenvolvimento. Esse é também o bebê mais bonitinho do Facebook. Do tipo que me faz "descurtir" suas fotos só para ter o prazer de "curti-las" de novo. Ele é fofo.

Continuando.


"Durante os primeiros 2 anos de vida, bebês desenvolvem-se de uma bolinha que só faz movimentos esporádicos a criaturas que podem rolar, sentar, engatinhar, agachar, andar, manipular objetos e deixar os pais malucos. A taxa de aprendizagem motora é extremamente rápida e muito impressionante. Crianças que acabaram de aprender a andar agacham com a perfeição de levantadores olímpicos. Sua postura agradaria qualquer fisioterapeuta. E seus movimentos têm a a graça e a simplicidade de um monge zen. O incrível é que esses padrões de movimento otimizados emergem sem qualquer instrução" (1) – Todd Hargrove, A Guide to Better Movement

Aposto que você gostaria de fazer uma prancha como essa, não é ? Fato é: se você faz prancha, na prática está tentando voltar à "facilidade" com que isso acontecia. Exceto que agora você está mais velho, mais pesado e fazer prancha requer mais força relativa às suas habilidades motoras. Esse bebe não é mais forte que você em termos absolutos, mas ele é mais forte que você relativamente. Ele pode controlar seu peso corporal e em breve estará agachando de maneiras que te fariam chorar e desejar ainda poder chupar o dedão do pé para ter conforto.

É daí que a espressão "agachar como um bebê" vem, exceto que o conceito subjacente fica perdido no reducionismo. Pessoas acabam argumentando sobre se "todo mundo deveria agachar como um bebê". você não é mais um bebê, então essa é uma questão idiota.

Uma questão melhor é: Por que bebês agacham com tanta facilidade, e como nós podemos aplicar o que sabemos sobre o desenvolvimento dos movimento dos nossos corpos de bolinhas a pequenos corredores, de maneiras que consigamos melhores movimentos para nós mesmos e então aceleremos/sobrecarreguemos esse movimento para ficarmos mais fortes ou mais rápidos ?

De volta ao ponto: bebês não precisam ser "ensinados" a se movimentar, eles só precisam receber a oportunidade de se mover e um ambiente variado e motivador para fazer isso. É assim que todos os corpos aprendem o movimento - nós apenas aprendemos mais rápido, mais facilmente e melhor quando somos crianças. A infância e adolescência são o melhor tempo da vida para aprender. E mover-se é aprender. Alfabetização física.

O chão é nosso início! Então alcançamos o escorredor de pratos da cozinha para causar o caos. Balançar-se no playground ? Um irmão mais velho para lutar ? Chutar bola ?

Controle motor é definido como "o processo pelo qual humanos e animais usam seu sistema neuromuscular para ativar e coordenar os músculos e membros envolvidos na performance de uma habilidade motora" (definição da Wikipedia).

Uma atividade motora é "um movimento intencional que envolve um componente muscular, que precisa ser aprendido e voluntariamente produzido para executar proficientemente uma tarefa com objetivo, de acordo com Knapp, Newell e Sparrow" (definição da Wikipedia).

  • Tocar guitarra: habilidade motora
  • Tirar meleca do nariz: habilidade motora
  • Driblar como o Neymar: habilidade motora desenvolvida pra cacete
  • Agachar: habilidade motora
  • Agachar completamente errado: ainda é uma habilidade motora
  • Flexionar o bíceps sob demanda: controle motor do bíceps
  • Twerking: controle motor dos glúteos, controle motor para realizar enquanto agacha-se

Meu exemplo favorito disso é o filme "Karate Kid". O filme novo, com o filho do Will Smith. Quando ele tem que colocar e tirar a jaqueta 1000 vezes antes que o mestre mostre que isso se traduz em uma habilidade de kung fu. Essa parte mostra a essência do que é aprendizado e habilidade motora. Muito bacana quando você pensa no assunto. Não há maneira do Dre ser capaz de desenvolver força e velocidade em seu padrão motor "tira a jaqueta" (que revelou-se ser kung fu), a menos que ele primeiro praticasse o suficiente e criasse o "mapa do movimento" em sua cabeça.


Crianças começam com controle motor ruim, e à medida que crescem, desenvolvem melhor domínio da musculatura que movimenta seus membros. Elas fazem cocô na calça, babam, batem na sua cara acidentalmente e então crescem e fogem de casa, te tiram do sério ou dançam loucamente em boates. Avanços claros nas habilidades motoras.

Estou brincando.

Para um exemplo prático, pense: crianças não conseguem segurar o xixi e o cocô até que os músculos do quadril e abdomen estejam desenvolvidos o suficiente para tanto, e que a força é desenvolvida à medida que eles aprendem a agachar e depois ficar de pé. O agachamento literalmente "tonifica" os músculos do assoalho pélvico, pernas e quadris de maneira que possam voluntariamente "segurar" a ida ao banheiro!

Eles começam a "aprender" o padrão de agachamento ao tentar enfiar o pé na boca, enquanto ainda estão deitados. Até que uma criança possa agachar e depois ficar de pé, os músculos que seguram o xixi e o cocô não são fortes o suficientes para fazê-lo. O agachamento desenvolve os músculos que eventualmente permitirão que eles controlem seu intestino. Então não faz muito sentido tentar ensiná-los a usar o penico muito cedo, não é ? Também pode te falar um bocado sobre incontinência urinária em mulheres após gestações (e mesmo sem elas) e o motivo de agachamento bem-feito ser uma "cura". Eu sempre quis compartilhar essa dica.

Continuando, a taxa à qual as crianças se desenvolvem é muito variável. Algumas andam mais cedo, outras mais tarde. Isso é irrelevante, mas é também o motivo de o seu pediatra ter um mapa com as médias para comparar à sua criança. Atrasos severos podem indicar que algo está errado.

Todo mundo provavelmente pode pensar em exemplos de alguma criança atlética e que arrancava elogios admirados. Aquela que corria mais que todas as outras e parecia tão coordenada. Você também pode imaginar as crianças menos atléticas, os "bananas motores". Aqueles que tropeçavam sozinhos e que eram atingidos na cara por uma bola porque não conseguiam pegá-la rápido o suficiente.

Isso realmente não faz muita diferença. Você não consegue controlar a formação genética da sua criança, então não vale a pena estressar-se com isso. Mas você pode controlar o ambiente e a exposição ao estímulo, e é aí que as sementes da força e do atletismo começam.

TODAS AS CRIANÇAS precisam mover-se, brincar e de ser divertidamente desafiadas, mesmo aquelas que acabam se tornando atletas famosos. Na prática pode ser mais importante para eles, uma vez que frequentemente eles são os que machucam-se com mais frequência devido à especialização prematura nos esportes e aos pais e treinadores rígidos. Mas isso fica para a próxima seção.

Quais são alguns exemplos de habilidades motoras que aprendemos (idealmente) quando somos crianças pequenas ?

O livro “Developmental Physical Education for all Children” (N.T.: em tradução livre, "Educação Física do Desenvolvimento para todas as crianças") diz "nós podemos ver todo o período da infância como um período sensível para o domínio das habilidades fundamentais de movimento e para ser apresentado a uma grande variedade de habilidades esportivas. Especialmente importante é o período da prmeira infância – grosseiramente, dos 3 aos 8 anos. O desenvolvimento de habilidades motoras fundamentias, maduras, é um pré-requisito ao aprendizado e domínio de habilidades esportivas" (2)

Então todo esse "domínio de habilidades esportivas" significa que seu filho precisa brincar, e brincar de muitas maneiras diferentes! Aqui estão alguns gráficos para te dar uma idéia visual. Enquanto observa, você pode facilmente perceber como esportes e brincadeiras recreacionais cobrem praticamente tudo.
Fonte: “Developmental Physical Education for all Children”
Categorias de habilidades motoras fundamentais
Habilidades de estabilidade do movimento: abaixar-se, alongar-se, torcer, virar, balançar, suporte invertido, rolar, aterrissar, parar, desviar-se, equilibrar-se
Habilidades locomotoras: andar, correr, pular, saltar, saltitar, galopar, escorregar, escalar
Habilidades manipulatórias: arremessar, pegar, chutar, bater, rebater, quicar, rolar bola

Fonte: From “Canada LongTerm Athlete Development Resource Paper” FUNdamentals

Continua...

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores