O Cangaceiro e as Éguas de Diomedes

Na obra "O Auto da Compadecida", o genial Ariano Suassuna criou algumas das personagens mais memoráveis da literatura brasileira. O livro virou um filme d'Os Trapalhões na década de 1980, e depois uma série em 4 partes na década de 2000 (que foi condensada em um filme posteriormente).

Entre as minhas personagens prediletas está o capanga, infelizmente sem nome, de Severino de Aracaju (Marco Nanini). Interpretado por Enrique Diaz, o capanga era o cangaceiro que "Não gostava de fazer tal coisa. Fazia, mas não gostava". É uma frase que adotei desde que assisti a mini-série, juntamente com "não sei, só sei que foi assim" (Chicó) e "ai,fome danada; ai, fome sem jeito" (João Grilo).

Pois bem, há mais ou menos 2 meses, eu esbarrei com o vídeo abaixo. Nele, cinegrafistas flagraram um veado comendo um filhote de passarinho. Vivo, cru e sem sal.



Um comentário no Quora.com me fez rir um bocado:

A única coisa que impede herbívoros de comerem carne, é que eles são péssimos caçadores. Eles vão comer carne se a encontrarem, e não cospem fora os insetos e vermes que mastigam junto com a vegetação que comem.

Ilustrando o artigo, tinha a foto singela de um veado mastigando um coelho morto.

Tá frio, mas tá gostoso


Fui fazer uma pesquisa na internet, e vi que os comentários sobre o caso eram algo do tipo "o veado deve estar com alguma deficiência nutricional" Deficiências de cálcio e fósforo podem levar herbívoros a comer animais mortos, para extrair tais mineirais a partir dos ossos. É um comportamento já relatado em vacas, por exemplo.

Alguns anos atrás, descobriram que uma vaca indiana chamada Lal também tinha por hábito comer pintinhos, quando ninguém estava olhando.


Em 2003, um outro biólogo reportou veados comendo filhotes de aves marinhas na ilha escocesa de Rum. Em 2007, veados foram flagrados comendo ovos. Outros estudos já reportaram veados comendo peixes e insetos. Há mais 20 anos que se relatam casos de elefantes desenterrando corpos humanos e comendo-os. Em 2011, uma comunidade indiana teve que tomar a decisão difícil de sacrificar uma elefanta, após o animal matar 17 pessoas. Quando foi feita a autópsia, descobriram que ela havia comido ao menos uma das vítimas. Em 1945, um elefante chamado Chang, do zoológico de Zurique, devorou uma mulher chamada Bertha Walt – incluindo a bolsa e os sapatos.

Mas um biólogo chamado Reg Rothwell acredita que a hipótese da deficiência de minerais não é bem assim. Em seus estudos a respeito do comportamento alimentar de veados e alces, Reg diz acreditar que o veado do vídeo simplesmente tomou proveito de uma fonte fácil de proteínas. É muito mais simples comer um passarinho que está dando bobeira, do que ficar horas e horas pastando – bem alinhado ao comentário do Quora.

Pam Pietz, outra bióloga americana, disse que alguns animais tidos como herbívoros na verdade são onívoros e vão se aproveitar de qualquer oportunidade.

Se eles acharem um ninho no qual a comida não se mova ou fuja, tiram proveito.

Isso tudo me lembrou a lenda grega das "Éguas de Diomedes", que representa o oitavo trabalho de Hércules. A lenda diz que o Diomedes, rei da Trácia, alimentou 4 éguas com carne humana desde que eram potrinhas – e obteve assim animais extremamente fortes (conseguiam até cuspir fogo, em algumas versões do causo) e que adoravam petiscar gente. Hércules, é claro, acabou com a bandalheira e serviu o próprio Diomedes de papinha para elas.

"Experimenta, boba! Tem gosto de frango!"

Parece-me uma estratégia evolutiva bastante esperta: qualquer produto de origem animal será sempre mais nutritivo, grama por grama, que um de origem vegetal. Se o seu sistema digestivo é capaz de processá-lo, por que não comer ?

Considerações éticas e/ou espirituais à parte, nutricionalmente não tem conversa.

Não gosto de comer coelho. Como, mas não gosto.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores