Como ser um bom convidado, quando se é paleo

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

por Stefani Ruper



Eu escrevo um bocado nesse blog sobre questões psicológicas para mulheres em dieta paleo, mas acontece que questões sociais podem ser tão importantes quanto – se não mais importantes!

Ser paleo em um jantar na casa de alguém ou em um restaurante pode ser uma bagunça enorme e cheia de ansiedades, se você não fizer direito – especialmente nas festas de fim de ano! Confie em mim, já passei por isso... torcendo as mãos e brincando com um guardanapo no canto, me preocupando sobre deixar minha anfitriã triste quando eu lhe disser que não posso comer a costela de porco com molho cheio de açúcar.

Também, me sentindo com fome o tempo todo.

Eu já fiz isso um bocado de vezes, e acumulei estratégias ao longo do caminho. Aqui vão as dicas que tenho. Se você tiver as suas, eu adoraria ler nos comentários!

1. Se for uma festa do tipo "cada um leva o seu", providencie algo que você possa comer


Talvez nem precise dizer isso, mas levar o seu próprio prato é uma maneira excelente de garantir as próprias necessidades no jantar – quaisquer que sejam elas.

Se você antecipa que não será capaz de comer muito do que os outros vão levar, verifique se você pode preparar um dos pratos principais, como um assado. Se não puder ou não quiser, talvez possa levar algum prato rico em proteína para servir de guarnição, como iscas de frango ou carneiro.

2. Se não for uma festa desse tipo, ainda assim leve algo que você coma!


Todo anfitrião adora um convidado que contribui! Certamente há ocasiões nas quais levar comida é inapropriado (como um casamento), mas na maioria das ocasiões, eu acho que o anfitrião ficará mais que feliz em adicionar um prato à mesa!

E você não precisa dizer "estou trazendo uma entrada saudável, diferente do resto do lixo que você está servindo". 

Não.

Ao invés, diga algo do tipo "eu experimentei fazer essa deliciosa receita de carne de porco... você gostaria de uma mão com o jantar ? Eu adoraria levar algo!"

É uma maneira amável de ser legal com outras pessoas enquanto garante que você vai conseguir comer direito.

3. Não vá achando que vai comer de tudo

Se você está em uma festa e apenas 10% das pessoas são paleo ou o que quer que sejam, você pode esperar razoavelmente que 10% dos pratos atendam as suas necessidades.

Sei que isso não soa particularmente legal, mas o ponto que quero realçar é que é um pouco injusto esperar que a festa gire em torno das suas necessidades, quando as de todo mundo são diferentes. Você gostaria que 100% dos pratos da festa fossem vegetarianos se houvesse um vegetariano presente ?

Bem, talvez. Eu gostaria :-D

Mas nem todos no mundo são tão folgados quanto você e eu.

Então baixe suas expectativas sobre a variedade da comida que será capza de comer. É claro, completamente dependente da situação, você poderia esperar que seu anfitrião gostaria de fazer a maioria dos pratos comestíveis para você... e ainda assim, em outras situações (como as listadas no item 1) isso é simplesmente despropositado.

Ajuste as suas expectativas alimentares ao evento e pessoas específicos, e parta daí.

4. Se os anfitriões perguntarem sobre alergias alimentares, diga a eles!


Se seu anfitrião quiser saber sobre alergias, diga a ele sobre o seu caso. Se aquilo com o qual você luta não é uma alergia específica – digamos, talvez você ache que é intolerante a glúten, ou tenha espinhas por comer laticínios – então diga a ele que você não pode comer aquela comida. Pode até explicar o motivo.

Honestidade é realmente o melhor. Todo mundo já ouviu sobre alergia a amendoins, mas ninguém ouviu sobre pessoas serem alérgias a potássio. Ainda assim, eu não posso comer potássio! Então eu sempre dou uma mini-explicação sobre meus problemas renais. Quanto mais você puder relatar sobre o motivo de evitar certo alimento, mais compreensivas as pessoas serão.

5. Ao contar ao anfitrião sobre seus problemas, deixe claro que você não quer impor nada


Quando eu digo às pessoas sobre meus problemas com potássio, nunca exijo que o brócolis seja removido do menu.

É claro, eu às vezes deixo claro que ficaria grata se pudesse ter algo para comer – porque certamente ficaria grata! – mas eu prefiro considerar isso como uma boa surpresa do que como uma demanda.

Eu digo ao anfitrão "sim, eu poderia comer um prato inteiramente feito de legumes, mas não dos verdes. Eu adoraria, mas por favor não se preocupe em ficar cozinhando um monte de pratos diferentes por causa das minhas especificações".

Eles normalmente gostam do quão previdente eu estou sendo, e respondem garantindo que ao menos alguns pratos serão feitos.

E isso fará ambos sentirem-se respeitados, seguros e felizes.

6. NÃO PROSELITIZE!


Esse é, de longe, o ponto mais importante que farei aqui.

Dieta, atualmente, é a nova religião e política. Todo mundo tem uma opinião forte sobre ela, em algum aspecto. Discussões amigáveis sobre os detalhes de defumar carne de porco podem tornar-se uma discussão acirrada sobre a ética do consumo de carne em poucos segundos. Mencionar manteiga pode trazer o debate sobre gordura saturada. Fritas feitas com batata-doce podem fazer as pessoas discutirem sobre dietas low-carb.

É tudo muito sério, sensível e intenso, e na minha opinião, se você tem uma opinião, o melhor na atualidade é guardá-la para si mesmo.

Se você começar a pregar sobre paleo em um jantar, as pessoas vão se sentir julgadas, na defensiva e alienadas. Elas vão sentir-se condenadas. E podem ir embora da festa lembrando-se de você como o panaca que não calava a boca sobre paleo. Isso é exatamente o oposto do que você gostaria que acontecesse.

O que eu faço é simplesmente ficar de bico fechado. Se as pessoas me perguntam o motivo de eu evitar um alimento particular, eu digo sobre a escolha pessoal que fiz pela minha saúde. Não prego paleo, mas falo sobre minhas demais necessidades e como eu as supro.

Aqui estão alguns exemplos:

Trigo não me faz bem na maior parte do tempo, então eu vou passar longe do pão só por precaução.
Eu tenho um problema renal, então preciso ter cuidado com a quantidade de vegetais verdes eu como.
Laticínios me dão espinhas, e como sou muito vaidosa eu tento evitá-lo a todo custo.

Se as pessoas tentarem te empurrar alguma comida, apenas insista que é uma coisa pessoal que você está fazendo, e que não precisam sentir-se afrontados.

E se as pessoas perguntarem, então fale sobre paleo o quanto quiser.

Eu apenas não começaria a falar sem ter certeza de que estou sendo cuidadosa com as palavras – usando frases de opinião tais como "eu acho" ao invés de frases de verdade como "isso é correto", para não pisar nos calos das pessoas.

Depois, pode ir adiante e brigar sobre política o quanto quiser :-D

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores