Ressaca!

Durante um bom tempo da minha vida, digamos dos 14 aos 34, fui um bebedor considerável. 

A cachaçada constante ocorreu durante a faculdade (1994-1997), e foi reduzindo-se em frequência (mas não em volume, até poucos anos atrás) ao longo do tempo. 

Nunca tinha tempo ruim para mim: misturar cerveja, licor de menta e uísque ? Sem problemas. Misturar cerveja, licor de menta e uísque no mesmo copo ? Sem problemas também.

Como se diz, "a prática leva à perfeição". Dificilmente eu tinha ressacas, e era normal encher a cara na sexta à noite e acordar novo em folha no sábado – para começar de novo.

Uma coisa que me freava bastante era a capoeira: não dava para tomar todas na segunda e treinar pesado na terça.

Com o tempo, fui abrindo mão e bebendo cada vez menos, e com menos frequência. Depois que a minha filha nasceu (2010), ficou ainda mais raro. Quando adotei paleo, a cerveja foi sumindo de vez da minha vida

Atualmente, costumo tomar 1-2 taças de vinho no fim-de-semana. Ocasiões em que me permito enfiar o pé na jaca são a reunião anual dos formandos de 1997, e raros encontros de família. Mas nunca mais tomei cerveja: vou de chachaça, ou de destilados diluídos com água mesmo.

Ontem, foi um encontro de família. 

Como tinha um almoço agendado para antes da festa, comi bem e cheguei de bucho cheio. Escolhi beber vodca diluída em água com gás, com limão e muito gelo. Mais ou menos 1 parte de vodca para 3 de água. Tudo corria muito bem... até que apareceu uma garrafa de cachaça, produzida por um primo lá do norte de Minas. Deliciosa. Tomei uma. Duas. Três. Quatro. 

E acordei em casa hoje, me sentindo como se tivesse levado uma surra com um cano de borracha, e comido um gato vivo. A minha maravilhosa esposa meio que me pôs no carro desacordado, e voltou dirigindo (não, apesar desse meu passado de álcool, NUNCA dirigi bêbado).

Tinha me esquecido completamente do que era ficar COMPLETAMENTE destruído por uma ressaca. A última nesse nível já tinha alguns anos. Passei a manhã inteira botando as tripas para fora, a cabeça martelando feito zabumba.

Altamente desidratado, perdi 1kg de ontem para hoje. Tome-lhe água! Cheguei a pensar em fazer soro fisiológico, mas não quis me arriscar com o açúcar.

Optei por comer um pedaço de bife de fígado, e meia banana congelada (dica: experimentem!).

Agora já me sinto mais como um ser humano e menos como um pano de prato sujo. Estou fedendo a álcool de longe, apesar dos banhos e de escovar dentes.

Não vou dizer que nunca mais beberei, mas fica nítido que os "dias de glória" são coisa do passado.

Que tal fazer parte da lista de emails do Paleodiário e receber uma versão em alta resolução da Tabela Periódica de Alimentos Paleo?

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores