O que os laticínios fazem com a menstruação

Artigo traduzido por Juliana Whately. O original está aqui.

por Lara Briden

Caution with milkMais de 20 anos atrás eu descobri uma coisa: Quando eu parava de comer laticínios, parava de ter cólica menstrual. Desde então, tenho trabalhado com milhares de pacientes e vi a mesma coisa várias vezes. Parar de comer laticínios pode melhorar drasticamente a cólica menstrual, fluxo intenso, endometriose, acne e TPM.

Parar os laticínios pode melhorar problemas menstruais, mas não sempre. Depende da pessoa, e depende do tipo de laticínio.

Qual é o problema com os Laticínios?


Não é a gordura

Quando se trata de ovulação e saúde menstrual, a gordura é a melhor parte dos laticínios. De acordo com este estudo, leite integral é melhor do que leite desnatado para a ovulação e fertilidade.

Não é a Lactose

A lactose é o açúcar do leite e pode ser difícil de digerir, se você não produzir lactase suficiente (lactase é a enzima que quebra a lactose). Intolerância à lactose provoca diarréia e distensão abdominal, mas não causa problemas menstruais. Mudar para produtos sem lactose pode ajudar a sua digestão, mas não vai ajudar a sua endometriose.

Podem ser Hormônios

O leite naturalmente contém pequenas quantidades de mais de sessenta diferentes tipos de hormônios, incluindo testosterona, progesterona, insulina, hormônio de crescimento e um potente chamado IGF-1. Ainda há debate sobre o quanto esses hormônios externos nos afetam. Afinal de contas, nós produzimos uma quantidade maior dos mesmos hormônios. Alguns especialistas acreditam que os hormônios lácteos nos afetam e têm ligação com um risco aumentado de câncer de próstata e acne.

Provavelmente é a Inflamatória caseína A1

Como vimos no meu artigo sobre Leite A1, o maior problema com leite é uma proteína chamada caseína A1. Em algumas pessoas, a caseína A1 é quebrada no trato digestivo e forma uma molécula do tipo opiáceo, potente (chamada casomorfina ou BCM7) e que estimula a produção de citocinas inflamatórias.

É essa inflamação que causa problemas de menstruação. Como eu explico no meu livro Period Repair Manual (Tradução livre – Manual para Reparar a Menstruação), a inflamação perturba profundamente a função hormonal e reprodutiva.

Nem todo mundo

Felizmente, a caseína A1 não é inflamatória para todos. Algumas pessoas simplesmente não têm a enzima digestiva que quebra a caseína A1 (então eles não formam BCM7). Como saber? Há um teste de urina para BCM7, mas, infelizmente, não está clinicamente disponível. Para avaliar o problema da caseína, eu olho para os sintomas da infância de infecções recorrentes de amigdalite, no peito ou ouvido. Essas condições são um sinal de disfunção imune da caseína na infância, mas normalmente são superadas. A mesma disfunção imune da caseína manifesta-se em adultos como condições inflamatórias crônicas, como problemas de menstruação. Por favor, veja meu post do Leite A1.

Nem todos os tipos de laticínios

A caseína A1 só é encontrada no leite de vacas da raça Holandesa (Friesian), que são os rebanhos predominantes nos EUA, Canadá, Austrália e Reino Unido. Há muito pouca caseína A1 no leite de vacas da raça Jersey, de cabras e ovelhas. Também há muito pouca caseína A1 em creme de leite, manteiga ou ricotta (um queijo de soro de leite) – então esses alimentos são geralmente Ok.

Tente evitar laticínios normais


A melhor maneira de detectar um problema de laticínios é tentar evitar laticínios. Para ver os resultados, você vai precisar se comprometer por, pelo menos, três meses (ainda mais para acne) livre de produtos lácteos. Demora muito tempo para o seu sistema hormonal se recuperar dos efeitos inflamatórios de laticínios.

Considere evitar laticínios se você sofre de um ou mais dos seguintes problemas menstruais:

  • Cólicas
  • Fluxos intensos (especialmente em adolescentes)
  • Miomas
  • Endometriose
  • Acne
  • TPM

E o cálcio?


Era tudo muito simplista:

Laticínios contêm cálcio, portanto, laticínios são bons para os ossos.

Como se constata, era uma ilusão. Uma metanálise recente mostra que grandes bebedores de leite não têm ossos melhores. Na verdade, algumas pesquisas mostram que bebedores de leite podem realmente ter ossos piores. Isso faz sentido quando consideramos como produtos lácteos podem ser inflamatórios e que a inflamação é uma das principais causas da osteoporose.

Há uma abundância de outras fontes de cálcio, incluindo vegetais verdes, amêndoas, salmão com ossos e, é claro: produtos lácteos de cabra e de ovelha.

Laticínios Alternativos

Provavelmente, você pode comer laticínios de cabra ou de ovelha (como expliquei acima). Você pode experimentar alternativas de produtos não-lácteos, como leite de amêndoas e leite de arroz, mas você deve evitar muito o leite de soja (como vimos no último post). Você pode tentar ficar sem leite. A maioria das refeições podem ser preparadas sem laticínios (lembre-se, você ainda pode comer a manteiga e o queijo de cabra). Se você ama café, então por favor tome café preto ou experimente com leite de coco (muito popular nos dias de hoje) ou com um pouco de creme de leite.

Lição de casa


Eu não sou veementemente anti-laticínios. Para mim, e para muitos de meus pacientes, percebi que o laticínio A1 é um problema real. Dito isto, eu, pessoalmente, como laticínios integrais A2 (de cabra ou ovelha) e aconselho muitos dos meus pacientes a fazerem o mesmo.


Os laticínios têm alguns benefícios. São alimentos que satisfazem, por isso evitam que comamos em excesso. Eles também fornecem nutrientes valiosos, tais como proteínas e vitamina K.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores