Não force a gordura

Artigo traduzido por Antônio Junior. O original está aqui.

por Kelley Pounds

Aprender que a gordura é saudável e que a gordura é nossa amiga, foi libertador para muitos. Não mais comer margarina sem sabor, omeletes de clara de ovos ou queijo magro. Mas só porque algo é bom para nós, isso significa que a resposta é comer montanhas do mesmo? Talvez não.

Algum tempo atrás, eu estava lendo um artigo sobre os benefícios do abacate para a saúde, e a sugestão era comer um abacate inteiro por dia. Então eu fiz isso por vários dias e não conseguia descobrir por que eu estava tendo dores de estômago horríveis. Eu não associei aos abacates. No entanto, eu parei com os abacates e assim que deixei de comê-los o desconforto no estômago foi embora. Alguns meses mais tarde, eu tentei novamente e tive os mesmos resultados. Comecei a pesquisar se outras pessoas tiveram problemas semelhantes com abacates e encontrei uma riqueza de informações. Algumas dietas eliminam abacates, devido ao seu conteúdo de polióis que podem causar a inflamação do estômago. Eu agora tenho experimentado a quantidade de abacate que eu posso comer e descobri que eu posso comer 1/4 a 1/2 de abacate por vez, mas não diariamente. Por que estou contando essa história? Para mostrar que ... às vezes, muito de uma coisa boa nem sempre é ... uma coisa boa. 

Existe "comer gordura demais" ? Em minha opinião, sim. Quanto é demais? Isso depende da pessoa. Quer dizer, olhe para os objetivos que você está tentando alcançar e, em geral, escute o seu corpo. Lembre-se que quando se inicia em um estilo de vida low-carb, a maioria das pessoas tem uma quantidade significativa de gordura corporal para perder. Embora possamos aumentar a nossa ingestão de gordura quando seguimos low-carb, precisamos nos lembrar de que se continuarmos dando ao nosso corpo grandes quantidades de energia (incluindo a gordura dietética) para queimar, ele não vai precisar queimar gordura armazenada para suas necessidades de energia.

Olhe para o gráfico seguinte do livro "Arte e Ciência de viver low-carb " do Dr. Stephen Phinney e Dr. Jeff Volek. (Estes não são sugerem necessidades calórica/macronutrientes para você especificamente, isto é apenas como exemplo.) Aviso previamente que no início dos estágios de perda de peso, a nossa gordura corporal representa cerca de metade das nossas necessidades energéticas diárias. Em outras palavras, podemos obter cerca de metade da "caloria" que nosso corpo precisa diariamente desde as nossas próprias reservas de gordura corporal. Então, à medida que avançamos em direção ao ponto em que queremos evitar qualquer perda de peso adicional (manutenção) a nossa ingestão de gordura pode ser aumentada gradualmente.

image

Quantos de nós já atingiram o ponto em que precisamos parar de perder gordura corporal? Provavelmente, não muitos. No entanto, existem muitas pessoas lá fora que ainda têm peso significativo para perder, que estão consumindo grandes quantidades de gordura, e se perguntando por que elas não podem alcançar os resultados desejados de perda de peso. Elas são mais propensas a ouvir o mantra "coma mais gordura, perca mais peso". O que isto significa é que uma percentagem mais elevada de nossas calorias devem vir da gordura. Isso é verdade. Se você estiver substituindo carboidratos de alto índice glicêmico no seu prato por gorduras saudáveis, sim, você pode esperar que ocorrerá a perda de peso. Mas só comer grandes quantidades de gordura indeterminadamente, nem mesmo relacionadas com fome? Vamos lá pessoal! Comer quantidades ilimitadas de qualquer tipo de alimento não irá resultar em perda de peso. Comer demais é demais. Já ouvi falar de pessoas por aí que, no final do dia, estão comendo colheradas de gordura para que elas possam "obter a sua ingestão de gordura" para o dia. Se você consegue "beliscar" um pneuzinho de uma polegada ou mais de gordura em torno da cintura, você já está "já tem a sua gordura".

Aqui está outro infográfico que demonstra como em uma dieta LCHF, a quantidade de gordura pode ser aumentada com o tempo, enqquanto a gordura corporal se esgota, mas a princípio, grandes quantidades de gordura na dieta não são necessárias – não se deseja queimar a gordura armazenada. Perceba que em todos os gráficos, cerca de 70-75% da dieta é a gordura, mas não de gordura na dieta. (Mais uma vez, estes não são recomendações calóricas para qualquer pessoa especificamente. Este é um exemplo.)

image


Observe a imagem abaixo, que é compartilhada em grupos low-carb. Embora ela possa ser correta na percentagem, o seu prato vai realmente parecer com isso? Você vai comer metade do seu prato do jantar em gordura? Eu duvido ... Se você olhasse para o meu prato do jantar, provavelmente pensaria que parecia 50% proteínas e 50% carboidratos. Porque na maioria das vezes, metade do meu prato são vegetais sem amido, com a outra metade contendo alguma fonte de proteína animal. Onde está a gordura? 

Abacates, ovos, azeitonas, bacon ou queijo na minha salada, manteiga em meus vegetais, gordura na carne, e o resto da gordura do meu corpo. Assim, o meu prato não se parece com isso, mas eu sigo LCHF. Minha fórmula é: baixo carboidrato + proteína + gordura moderada na dieta + gordura corporal = LCHF.

image

Meu ponto é este: não force a gordura. Embora seja libertador saber que a gordura é saudável e podemos apreciá-la, há uma grande diferença entre usá-la livremente, e forçá-la em sua alimentação. Agora, se você precisa de um pouco de gordura extra para estar saciado, e para lutar contra os desejos de carboidratos, por todos os meios, coma um pouco a mais. (Isto pode ser especialmente verdade no começo, quando se adapta às gorduras e se desintoxica dos carboidratos e lida com as compulsões. Mas, uma vez que essas questões sejam resolvidas, o corpo deve naturalmente sinalizar menor fome e desejos. Escute-o).

Por um tempo, eu me perguntei como eu poderia ficar em cetose nutricional, e não perder ... ou às vezes até ganhar peso. Como pode isso pode acontecer, se estiver queimando gordura corporal? Então percebi, eu estava apenas tomando meus velhos hábitos de comer demais e mudar a fonte. 

Enquanto eu mantinha meus carboidratos muito baixos e minhas proteínas moderada, eu estava empanturrado de gordura na dieta. Eu estava comendo demais. Não estava ouvindo os sinais de saciedade do meu corpo, e comia por prazer... Cheesecake low-carb... Preciso dizer mais? Eu realmente acredito que são padrões alimentares como este que levam às estagnações na perda de peso a longo prazo – as quais tenho experimentado.

Assim, enquanto a gordura não é algo a ser temido, também não é algo para se empanturar... A menos que você precise parar de perder peso. Isso soa como um bom problema para se ter... Eu vou cruzar essa ponte quando chegar até ela.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores