Como expor seus filhos à sujeira com segurança

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

por Mark Sisson


Se você lê esse blog há um tempo razoável, sabe que sou um grande proponente do ato de sujar-se. Ao supervalorizar a esterilidade e temer a sujeira – em nossas casas, nossos intestinos, mesmo em nossos hospitais – nós prejudicamos nosso sistema imune, nossa saúde intestinal e digestiva, e mesmo nossa saúde mental. O mundo é um lugar sujo, e precisamos aceitar isso. Precisamos abraçá-lo, com razão, especialmente se somos os guardiões de humanos pequeninos, ainda em desenvolvimento, para os quais a exposição à sujeira  tem benefícios sólidos e importantes. Você tem os benefícios à função imune atual e futura, sobre os quais falei anteriormente. Tem os micróbios do solo, como o Mycobacterium vaccae, que aumenta os níveis de serotonina e pode ser responsável pela disposição positiva que parece ser universal em jardineiros. É provavelmente o motivo pelo qual as crianças têm uma inclinação natural a brincar no chão, colocar as mãos na terra e fazer contato com a mamãe natureza. Eu digo para que os deixemos fazer isso.

Mas temos que fazer direito. Há sujeira boa e há sujeira ruim. E às vezes a sujeira boa pode estar contaminada com a ruim. Precisamos promover uma exposição razoavelmente segura à sujeira. Como fazer isso ?

Deixe-os brincar na terra. Não entre me pânico se eles comerem uma ou duas colheres de chá de terra (você não precisa dar as colheres a eles, é claro!). Encoraje a confecção de poças de lama, para facilitar uma cobertura maior. Na prática, encorajamento é desnecessário porque as crianças naturalmente se inclinam para a lama e a terra.

Evite sabonetes com triclosan. Triclosan é um agente bactericida, um antibiótico. Ele mata algumas bacatérias mas promove resistência a antibióticos naquelas que sobrevivem. E não se esqueça de que nós temos bactérias comensais, benéficas, em nossa pele, que ajudam a manter os patógenos ao longe. Se o triclosan mata esses carinhas, os patógenos ganham uma área limpa para crescer. Sabão comum e água são tudo o que você precisa.

Evite lavar as mãos demais. Se você vive em um lugar como Karachi, no Paquistão, onde esgoto corre a céu aberto, lavar as mãos constantemente pode melhorar o bem-estar e a saúde geral de uma criança. Eu não tenho tanta certeza que a obsessão em lavar as mãos, nos ambientes pristinos de nações mais industrializadas, seja tão necessário – e suspeito que seja contraproducente. Um pouco de terra debaixo das unhas raramente faz mal a alguém.

Teste seu solo por contaminantes. Terra pode acumular metais pesados como chumbo e arsênico. Eu gostaria de poder fazer afirmações sobre o solo em geral, mas não posso; o conteúdo de metais pesados varia enormemente de país para país, de estado para estado, de cidade para cidade, e até mesmo de quintal para quintal. Casas mais antigas provavelmente têm mais chumbo devido à tinta usada na pintura. Faça uma busca por "metais pesados solo [nome da sua cidade]" para encontrar informações sobre a sua área específica. Outra opção é testar o seu quintal por contaminação; aqui está um bom guia para colher amostras de solo.

Cate o cocô de cachorro, gato e animais selvagens regularmente. "Tem merda para todo lado", é um dos factóides que as pessoas adoram dizer umas às outras. Mas quantidades microscópicas de matéria fecal são uma coisa, fezes inteiras são outra. Além disso, animais selvagens como guaxinins (que quer você veja ou não, provavelmente vivem por perto de você) quase sempre carregam um parasita mortal que pode disparar inflamações perigosas em crianças. Dar uma dieta crua para seus gatos e/ou cachorros tem os benefícios de tornar as fezes mais fáceis de catar.

Trate das ervas-daninhas sem usar agrotóxicos – use as mãos, água quente ou vinagre. Em artigos anteriores, eu discuti os perigos de controlar ervas-daninhas usando produtos como Roundup, o herbicida baseado em glifosato que inibe vias metabólicas em plantas e bactérias (mas não em mamífereos). Dado que nós mamíferos dependemos das bactérias nos nossos intestinos para manter e promover boa saúde, o Roundup nos atinge indiretamente. A idéia geral de expor as crianças à terra é "semeá-los" com bactérias benéficas, de maneira que encher a terra com bactericida Roundup, cuja meia-vida no solo é de quase 100 dias, é contraproducente. Um pouco de trabalho para os cotovelos, um pote de água fervendo (talvez dois potes; e tome cuidado com crianças correndo em volta), e/ou um pouco de vinagre aplicado diretamente sobre as ervas vai dar conta delas sem colocar seus pimpolhos em risco.

Prefira parques "livres de pesticidas". Parques públicos são um grande lugar para as crianças brincarem, correrem sujarem-se, conhecerem-se e em geral agirem como crianças. Mas se elas forem brincar na terra – e elas vão – foque-se em parques cujo solo não é encharcado diariamente de pesticidas. A cidade de Eugene, no estado do Oregon, tem um programa de “parques sem pesticidas”, e eu imagino que outros lugares também tenham. Pesquisa por listas similares na sua área. Não havendo, contacte a prefeitura da sua cidade e faça a lista você mesmo.

Experimentar é normal, mas comer montes é suspeito. Se uma criança está comendo montes de terra, realmente saboreando o solo e deixando a comida de lado, algo está errado. Você pode querer dar uma olhada na sua dieta e procurar por deficiências nutricionais. Alguns candidatos:

Arranje um bichinho peludo. Cães e gatos têm efeitos diferebtes. Embora eu goste de gatos (apesar de que eles nos matariam se tivesse o peso de um labrador), cães parecem ser mais benéficos ao desenvolvimento da função imune geral em crianças. Em um estudo, exposição a gatos na primeira infância não teve efeito sobre a dermatite atópica, mas exposição a cães foi protetor. Em outro, a exposição a cães na primeira infância levou a grandes melhorias na resistência geral a resfriados; exposição a gatos também foi protetora, mas menos. Entretanto, um estudo de 2008 descobriu que exposição a gatos era protetora contra asma, enquanto exposição a cães não era. O que tiramos disso ? Se eu tivesse que chutar, diria que ter um cão e um gato seria a medida mais protetora contra uma gama ampla de desordens imunes.

Seja cuidadoso com a areia do gato, especialmente se você permite que seus gatos saiam de casa. Gatos que caçam fora de casa podem ter o parasito Toxoplasma gondii, que o seu filho (ou você) pode contrair ao manipular a areia. T. gondii já foi ligado à depressão e suicídio (N.T.: o Sisson esqueceu-se de citar o risco de problemas de visão causado pelo parasito, e do risco ainda maior para grávidas: má-formação do feto). Ainda que seu gato não tenha o Toxoplasma, Mesmo que seu gato não tenha o parasito, fezes de gato não contêm muitos micróbios benéficos e devem ser sumariamente evitadas. 

Faça muitas trilhas, vá acampar e brinque em rios, riachos e córregos. O quintal é bacana, e uma grande maneira de introduzir os acampamentos com barracas. É prático, está logo ali, e é seguro. Mas não é suficiente. Há um mundo inteiro de terra que está implorando para ser explorado engatinhando. Para uma exposição ótima, leve a sua criança para o mato. Vá fazer trilhas. Pare para observar formigueiros e cogumelos. Cruze riachos. Pare para olhar girinos. Visite desertos, florestas, pântanos. Onde quer que vá, você nem precisa se esforçar para que seus filhos "fiquem sujos o suficiente". Eles vão achar um jeito. (N.T.: considerando algumas áreas do Brasil que são endêmicas para Schistossoma mansoni, que ancilostomíase não é nada incomum em áreas sem saneamento básico e que nossos rios e riachos podem ser bastante poluídos, tome cuidado ao escolher onde brincar!)

Como você pode ver, a maioria dos conselhos é bom-senso. No geral, equivale a "deixar seus filhos fazerem o que crianças fazem" e "seja razoável". Um bocadinho de terra. Um bigode de lama e um pouco de sujeira sob as unas, provavelmente ok.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores