Efeitos do jejum à base de água sobre a força

Artigo traduzido por Antônio Junior. O original está aqui.

Trecho do livro "Jejum, hidropatia e exercício", por Bernarr Macfadden.

A descrição do meu jejum de sete dias, que apareceu em "Cultura Física" há algum tempo, provavelmente será de interesse para meus leitores. Durante os últimos quinze anos, tenho freqüentemente jejuado como uma cura para doenças que ameaçam até mesmo o mais cuidadoso nesta época de dieta civilizada ou melhor, incivilizada.

Tenho sido seriamente ameaçado por pneumonia e muitas outras doenças de menor importância, que rapidamente sucumbem a este meio eficaz de livrar o sistema de impurezas. Embora haja agora algumas obras valiosas sobre o assunto, quando eu primeiro adotei essas teorias, elas foram inteiramente baseadas em minhas próprias conclusões e instinto – e o fato bem conhecido que todos os animais em jejuam quando estão doentes.

Até esta última experiência, eu nunca tinha jejuado por mais de quatro dias, e mesmo assim eu normalmente comia uma maçã ou dava uma mordida ou duas em algo leve a cada dia – portanto, em nenhum momento anterior a esta última experiência foi que eu jejuei absolutamente. Frequentemente fiz comentários sobre o valor do jejum em "Cultura Física", e me determinei a testar os efeitos de um jejum absoluto de 1 semana, sobre a força e o peso. Eu não ingeri uma partícula de alimento, sob qualquer forma, embora tenha bebido livremente água pura.

Condição normal


Depois de sete dias de jejum. 
Mostra o quanto o rosto perde durante o jejum.


No primeiro dia do jejum, eu perdi 2.3kg, no dia seguinte 900g, e a perda diminuiu gradualmente a cada dia. No sétimo dia foi de apenas pouco mais de 450g. Ao todo, nos sete dias, minha perda total de peso foi de 6.75kg. 

Minha perda de peso foi muito maior do que é habitual quando se está em jejum. Isso foi causado pela grande quantidade de exercício que fiz diariamente. Na verdade, eu perdi tanto peso nesta semana como um normalmente teria perdido em duas semanas, se nenhum exercício fosse realizado. 

A cada dia eu andei cerca de 16km, e por mais surpreendente que possa parecer, eu me senti mais fraco no segundo dia do jejum do que em qualquer momento posterior.

Antes e depois de sete dias de jejum.

Eu fiz as minhas caminhadas pela manhã imediatamente após o nascer do sol, e geralmente me senti fraco no início. Esta morbidez no entanto, após andar por 2 ou 3km, desapareceria inteiramente e eu coneguia andar com passadas firmes; na conclusão sempre me sentia capaz de andar mais 20 ou 30km.

Muitas vezes, ao me levantar de uma cadeira depois de um breve descanso, me sentia bastante tonto por alguns momentos, mas isso rapidamente passava.

Os quatro primeiros dias foram os mais desconfortáveis. Eu não me sentia especialmente com fome, mas estava lânguido – exceto por um tempo após o exercício, momentos nos quais me sentia forte e energizado.

Eu cumpri aos meus deveres diários durante todo o jejum com a mesma regularidade, como de costume. Meu cérebro parecia especialmente claro, e o trabalho mental realmente demandava menos esforço do que quando comia regularmente.

Às vezes, senti dificuldade na indução do sono. A sensação de roer no meu estômago não cessava, apesar de uma oferta abundante de água pura e fresca parecer ajudar, e ter sido de ajuda valiosa para pegar no sono.

Os sexto e sétimo dias de jejum foram realmente de longe os mais confortáveis. Eu senti que seria necessário, mas pouco, esforço para continuar por 3 ou 4 semanas; mas o objetivo do jejum foi completado e eu não estava nem um pouco ansioso em continuar por mais tempo.

Levantando halteres de 45kg acima da cabeça 
com um braço, depois de 7 dias de jejum.


A maneira mais importante de diminuir os efeitos do jejum é manter a mente ocupada, de modo que não retorne continuamente ao desejo por comida. 

A única vez em que houve o menor perigo de me entregar ao meu apetite, foi no quarto dia. Neste momento particular, não havia nada de importante para eu fazer e depois de conversar num curto espaço de tempo com alguns amigos, saí com a intenção distinta de entrar no restaurante mais próximo. 

Depois de caminhar uma curta distância e dando ao assunto séria consideração, eu estava determinado a não quebrar o jejum. Ao invés do restaurante, visitei um ginásio e passei 30 minutos fazendo exercício vigoroso – e em conseqüência me senti muito melhor, e todos os pensamentos de desistir do jejum foram abandonados. 

As fotografias de comparação mostram como o corpo definhou durante o jejum. O rosto afinou-se especialmente e os olhos afundaram consideravelmente.

Erguendo um homem de 90kg apenas com 
a força dos braços, após 7 dias de jejum.

Mas o fato surpreendente em conexão com o jejum foi a força possuída no sétimo dia. A pessoa média imagina que ele se torna fraca, mesmo depois de perder uma refeição, e supõe que jejum de 1 dia vai lhe tirar toda a força. Nunca houve erro maior.

No quarto dia de jejum depois de testar a minha força, resolvi que usaria um halter de 22.5kg para ilustrar a minha força no sétimo dia do jejum.

Bem, o sétimo dia chegou finalmente, embora deva confessar a semana pareceu bastante longa. Eu visitei o ginásio depois da minha caminhada com a intenção de deixar instruções para que o haltere de 22.5kg fosse enviado à galeria do fotógrafo. Ao chegar lá, me senti tão forte que quis testar a minha força. Pensei que eu poderia ser capaz de levantar sem dificuldade um haltere mais pesado do que 22.5kg.

Eu levantei o halter de 22.5kg sobre a minha cabeça várias vezes, sem a menor dificuldade. Não parecia mais pesado do que quando e eu estava no meu peso normal. Eu tentei o haltere de 27kg, em seguida os de 31.5 e 38.25kg com resultados semelhantes, e imediatamente deixei instruções para enviarem o haltere de 45kg até a galeria – pois senti que minha força seria capaz de erguê-lo.

Músculos: condição normal e depois de 7 dias de jejum.


Eu sei muito bem que meus leitores vão se surpreender com essas proezas de força realizadas após este longo jejum, e ninguém poderia estar mais surpreso do que eu – pois, como disse antes, estava sob a impressão de que levantar um haltere de 22.5kg acima da cabeça com uma mão, depois de um jejum deste feitio, seria realmente algo do qual gabar-me, e fiquei espantado com a minha força diante das circunstâncias.

O haltere de 45kg foi enviado para a galeria, e os funcionários da Sarony que viram e fotografaram as façanhas vão atestar as declarações feitas e as ilustrações mostradas. Eu tive que levantar o haltere de 45kg  duas vezes antes de um negativo adequado poder registrar as proezas.

A segunda façanha, de levantar este homem de 90kg como mostrado nas fotos não foi fácil, como qualquer um vai descobrir se tentar, e seria bom lembrar que eu nunca a qualquer momento na minha carreira de atleta acreditei em usar pesos pesados, e que não tinha sequer tentado levantar um haltere de 45kg  do chão havia por pelo menos 2 antes dessas proezas.

Enquanto na prática ativa no trabalho atlético geral alguns anos antes eu pudesse levantar um haltere de 45kg onze vezes sobre a cabeça usando um braço, nessa altura eu raramente manipulei estes pesos pesados. Como não havia feito nenhum exercício pesado por alguns anos, mais de um ligeiro esforço seria necessário para levantar este haltere pesado, mesmo quando o meu peso estivesse em seu padrão habitual.

A lição é ensinada com clareza inquestionável por esta experiência. O povo americano está realmente comendo seu caminho para a sepultura. 99 em cada 100 levam de 5 a 50 anos de da duração de suas vidas enchendo seus estômagos. Eles comem, não para nutrir o corpo, mas apenas pelo prazer de se empanturrarem. O resultado é que de 2 a 5 vezes mais comida passa através do canal alimentar do que é necessário para manter o peso e força, e mente e corpo ficam na verdade enfraquecidos pelos grandes esforços feitos pelo sistema no esforço de livrar-se deste montante excessivo de comida.

Qualquer um pode ser beneficiado por um jejum tal como eu descrevo aqui. É claro que eu não aconselharia para alguém que comeu 3 refeições por dia durante toda a vida, tentar imediatamente total abstinência de comida por 7 dias – apesar de que esse jejum nessas condições seria produziria somente benefícios, desde que pudesse ser feito sem muito estresse mental e dado que grande cuidado fosse tomado para não comer em excesso quando os hábitos alimentares normais forem retomados. Na prática, a maior dificuldade ligada a jejuns de qualquer duração é a tendência ao excesso de comida após o jejum. Este erro frequentemente produzirá tanta lesão que todos os resultados benéficos de um jejum serão praticamente nulos.

Após o jejum que eu descrevi aqui, cometi o erro de eu mesmo comer muito entusiasmadamente em 2 ou 3 ocasiões e estou convencido de que muito dano resultou disto. No segundo dia após o jejum, eu comi 3 refeições grandes, quando 1 teria sido suficiente. Este foi, como antes mencionado, o primeiro jejum com tal duração pelo qual passei, e não estava preparado para atender condições com as quais não estava familiarizado.

Inquestionavelmente seria melhor em experiências com o jejum, começar por evitar uma refeição ao dia, ou jejuar um dia por vez. O resultado deste lhe dará confiança em seus benefícios, e então você poderá avançar gradualmente para uma adesão maior. O principal resultado do valor de tal adesão será que daquele dia em diante a independência absoluta de todos os conselheiros, médicos ou não, sobre uma doença de qualquer tipo que te ataque. O jejum será de uma só vez a parte principal de seu auto-tratamento, e para sempre, posteriormente, seu estômago vai estar livre do vício em drogas – e se você espera manter o mínimo respeito por si mesmo, deve primeiro aprender a respeitar o seu estômago.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores