8 passos para deixar de auto-sabotar a sua dieta

Artigo traduzido por Allan Spencer. O original está aqui.

por Stefani Ruper

stop self sabotaging your diet

Uma das perguntas mais comuns que recebo de leitores e clientes é sobre auto-sabotagem:

“Como você se mantém numa dieta saudável?”, perguntam.

Para ser honesta, isso pode ser um verdadeiro desafio para muitas pessoas. Eu pessoalmente lutei muito contra a auto-sabotagem: Eu fui e voltei nessa ideia de ser “bom” e “ruim” por décadas. Finalmente, por volta dos meus 20 anos, me estabeleci numa rotina suave, feliz e balanceada para minha dieta.

Como fiz isso?

Como ajudar outras mulheres a fazê-lo?

Aqui estão os passos mais eficazes que encontrei para parar de auto-sabotar sua dieta, e finalmente ser fiel a uma vida saudável e intuitiva:

1. Limpe a sua despensa


O ambiente é crítico para o sucesso.

Pense o quanto é mais fácil evitar um sonho (doce de padaria) enquanto se está, por exemplo, numa floresta, do que sentado num Krispy Kreme (rede de confeitarias americana). Não há nem o que discutir. É muito mais fácil ser “bom” na floresta, onde você não vai achar nenhum sonho nenhum sequer. 

Você nem pensa sobre ele.

E mesmo que pense, deixa de pensar com mais facilidade, porque não tem nenhum por perto.

Quanto mais livre de alimentos tóxicos e aditivos estiver seu ambiente, mais fácil é para você evitá-los.

Então, limpe sua despensa. Livre-se das “delícias”. Vá em frente. Jogue tudo fora. Doe-as às instituições de caridade.

Saia e faça isso, depois, volte aqui.

Siga uma rota maior e passe longe dos corredores de guloseimas nos supermercados.

Fique longe dos restaurantes que você sabe que te influenciam a fazer escolhas insalubres.

(E, pensando nisso, amigos que também te influenciam dessa maneira.)

Agora, obviamente, essas coisas não podem ser perfeitas - mas você pode fazer um bom trabalho se tentar.

Caso tenha um marido em casa ou amigos que preferem não comer tão bem, veja se pode fazer a sua refeição longe deles, e condicione-se a evitar o tanto quanto possível seus armários.

Você pode ajudar ainda mais dando uma arrumada na casa. Compre algumas plantas ou sua obra de arte favorita. Quanto mais espiritualmente nutritiva for sua casa, menos você se verá tentada a deixar alimentos nocivos entrarem na sua despensa.

2. Faça escolhas, não regras

Este ponto é incrivelmente importante. Talvez o mais importante de todos.

No tópico acima eu o adverti sobre o ambiente que o cerca. Isso é muito importante - é muito útil ajustar o seu ambiente para o sucesso. Faça seu ambiente tão condutor a uma mudança positiva e alimentadora quanto possível.

Porém você não pode fazer disso uma desculpa para se punir e se restringir.

Eu nem dizer quantas mulheres eu conheço que limparão completamente suas casas, as arrumarão, meditarão muito, olharão fixamente seus armários vazios, e fingirão não estarem famintas.

Isso não é o que eu quero que você faça quando digo “arrume a casa, evite alimentos 'nocivos' e limpe sua despensa.”

Não. Eu quero dizer que é útil mantê-los afastados, o que ajuda a mantê-los esquecidos, mas isso não o proíbe de tê-los outra vez.

Seguir regras duras e rápidas, e militares, é a maneira errada de parar de se auto-sabotar. Eu sei que isso pode soar contra intuitivo num primeiro momento, mas me escute.

Quanto mais estritas forem suas regras, mais você se sentirá privada de todos seus deleites favoritos.

Esta é uma coisa que acontece com as pessoas com quem trabalho a todo momento.

Mesmo que você não seja constantemente obsessiva pela comida que eliminou da sua dieta, há uma boa chance de que uma parte de você, mais profunda, se sinta restrita, e presa, e cheia de vontade de se esbaldar em alguns Twinkies ou Ho Hos o mais rápido possível.

É por isso que a melhor coisa que você pode fazer por sua fidelidade à dieta saudável é criar diretrizes, não regras. Escolhas, não punições.

Quando você come alimentos saudáveis, escolha comê-los. Não se force. Lembre-se de todas as razões pelas quais você quer ser saudável (discutido abaixo), e escolha saúde. Tudo bem quando você escolhe algo pouco saudável. Tudo bem mesmo.

O pouco saudável não o matará de uma vez. Não o matará nem mesmo duas vezes, ou mil vezes. Seu corpo é resiliente. Ele pode lidar com algumas escolhas que não são perfeitas 100% do tempo.

Na verdade, eu diria mesmo que você deve escolher alimentos “insalubres” algumas vezes, porque isso satisfaz as necessidades psicológicas e lhe dá liberdade, poder e controle.

Apenas certifique-se de que é uma escolha, não a regra.

3. Desenvolva compromisso com a saúde


Quanto mais comprometida você estiver com sua saúde, mais fácil será comer bem.

Há uma relação muito clara entre dieta e como você se sente diariamente: sua energia, seu humor, sua vitalidade... todas essas coisas dependem da qualidade do alimento que você come.

E todos os sintomas que você pode ter, como dores de cabeça, dor crônica, letargia, infertilidade ou pele ressecada... provavelmente serão aliviados à medida em você se torna mais saudável.

Isso pode não se dar imediatamente, claro, mas com nutrição, algumas experimentações e paciência, você pode ver algumas melhorias espantosas na sua qualidade de vida.

E então - você acaba escolhendo alimentos saudáveis ao invés de se forçar a comê-los, porque você sabe e experimentou em si mesma o quão bem os alimentos saudáveis fazem você se sentir.

Se você tentou comer de forma mais saudável, mas não o suficiente para ver resultados - ou se você nunca tentou - então o momento é agora! Quanto mais dados você recolher sobre os efeitos positivos que experimentou devido a sua dieta saudável, mais fácil será se manter na dieta.

4. Desenvolva comprometimento com sua saúde futura e outros


Um dos mais poderosos motivadores que eu pessoalmente uso para ser leal a minha dieta saudável é O Futuro.

Claro, numa base diária, eu posso não observar uma diferença significativa nos meus sintomas ou bem-estar devido ao que como.

Mas, eu também sei, sem dúvida, que minha dieta atual afetará minha saúde futura.

Quanto melhor eu comer agora, menos a chance de eu desenvolver doença do coração, diabetes, câncer, ou, o mais importante para mim, a doença de Alzheimer, quando eu envelhecer.

Eu não quero perder minha sanidade (outra vez). E eu farei de tudo para impedir isso, incluindo, comer o melhor possível (sem ser obsessiva) hoje.

Eu também sei que quanto mais saudável eu for no futuro, menor a chance de colocar uma carga nas costas das pessoas que eu amo, ficando doente ou morrendo cedo. Isso destruiria completamente meus pais.

Se eu tivesse que chamar minha mãe e lhe dizer eu tenho uma doença do coração ou diabetes ou câncer, isso a destruiria completamente.

Se eu comer bem, também haverá menos chance das pessoas que eu amo, como meus irmãos e meus futuros filhos, terem que cuidar de mim enquanto eu envelheço. É muito, muito importante para mim que eu tome conta das pessoas ao meu redor.

Porque eu me importo com meu futuro e com as pessoas na minha vida, eu escolho consistentemente uma vida mais saudável hoje.

5. Desenvolva uma força-motriz sobre sua saúde


Às vezes as mulheres vêm me dizer: “Eu realmente quero mudar, e eu sou leal a minha saúde! Mas…”

“Mas o quê?” Eu pergunto.

“Mas meus amigos me pressionam a comer batatas fritas.”

Bem. Você pode comer batatas fritas ou não, eu não vou te julgar. Eu acho que qualquer escolha é válida desde que você a faça conscientemente.

Mas se você quer dizer “não”, mas está com medo, é hora de desenvolver uma força-motriz.

Pense profundamente sobre seus compromissos, e porquê você os está fazendo. Liste cada razão na sua mente. Agrupe suas defesas. Quando for a hora de dizer não, lembre-se delas. Se a situação pedir, explique-as aos seus amigos, firmemente porém com gentileza. Agradeça-os por sua consideração e amor… mas você apenas tem que "fazer isso" agora. 

Apenas lembre-se de focar em si mesmo e no que você quer. Seus amigos irão respeitá-la se você lhes disser que está fazendo uma escolha para sua própria saúde.

6. Pratique dizer “não”


Quanto mais você diz “não” a ambos, você mesma e seus amigos, mais fácil fica.

Às vezes o ato de dizer “não” parece tão assustador que nós nunca o fazemos. Mas não é assim tão mau… você tem que apenas tentar e verá.

Caso esteja numa reunião de trabalho e te ofereçam bagels, apenas diga: “Já comi, obrigado. ”

Se você estiver numa festa e te oferecem bolo, fale: “Eu não acho que isso não me cairia bem no momento. ”

Caso esteja numa confeitaria e queira comer algum chocolate, mas sabe que se começar você não vai parar, lembre-se do quão terrível é sentir atração por açúcar, e apenas corte o pensamento de comer antes que passe por sua mente.

Pratique dizer “não” a você mesma e seus amigos, e eu prometo que você não vai achar isso tão difícil como parece, e vai ficando mais fácil com o tempo.

7. Pratique dizer “sim”


Da mesma forma que lhe falei para dizer “não”, no tópico acima, é igualmente importante às vezes dizer "sim."

“Sim” significa que você está no controle. “Sim” significa que você está fazendo escolhas. “Sim” significa que você pensou sobre o assunto e sabe as consequências, e está escolhendo comer algo fora de sua “lista boa” por alguma razão.

O ponto é que você faz isso livremente e como uma mulher no controle da sua alimentação - não de outra maneira. Você escolhe os momentos em que quer dizer não, e os momentos que acha razoáveis e seguros o bastante para dizer “sim. ”

A comida não é assustadora. Ela não te controla. Pratique às vezes dizer “sim” a um alimento que não seja ideal, e eu acho que você vai ver que pode ainda ser leal a sua dieta saudável.

Na verdade, você provavelmente achará mesmo mais fácil, porque está fazendo escolhas saudáveis, ao invés de se forçar seguir regras estritas.

8. Pratique paciência e perdão


Talvez o aspecto o mais importante de qualquer dieta individual seja o perdão.

Você não tem que ser “perfeita”.

Você não tem que estar “alerta” toda hora.

Você não tem que encontrar uma determinada relação de macronutrientes ou contagem de calorias.

Mas sim, você pode realmente se aproximar na maioria das vezes, e ser perfeitamente saudável e feliz.

A vida é dura e instável. Esperar a perfeição é se preparar para o fracasso. Perfeição neste caso é toda maneira burrice - não há realmente tal coisa, comer uma dieta “perfeita”.

O melhor que você pode fazer é o seu melhor, e fazer isso sabendo que a vida trará obstáculos. Em vez de se punir após uma "má" refeição, simplesmente diga “ok, acontece”, e siga em frente, siga com a vida normalmente.

Não entre num ciclo vicioso. Não se mate de fome. Essas coisas se tornarão mais duras a longo prazo.

Ao invés disso, use cada dia como uma oportunidade para aprender algo sobre si própria (por que você comeu um pote de pasta de amendoim?) e evolua para uma pessoa mais consciente e dona de si. Investigue sua ralação com o alimento. Descubra por que tem que ser dessa maneira. Perdoe-se por isso, e por qualquer comportamento que possa resultar.

Então siga em frente e sorria. É um novo dia e você tem algumas grandes escolhas a fazer.

Resumindo…


É muito fácil auto sabotar uma dieta saudável.

Das propagandas de fast-food aos bagels na sala de reuniões, aos bolos de aniversário e cereais na despensa, as tentações são muitas. É muito fácil sair da linha.

Tudo bem. Mesmo. A única maneira de estar verdadeiramente “fora da linha” é se você permanece derrubada.

Se você deixar um, dois, três ou uma centena de “más escolhas” tirarem você do jogo, você estará fora do seu jogo.

Mas você não tem que estar. Você não tem que permanecer derrubada. Simplesmente dê a volta por cima e continue no jogo.

Cada refeição é nova, e uma nova oportunidade em que você pode escolher o que quer comer.

Escolher a opção mais saudável é uma ótima ideia, mas não perfeição não é necessária.

Saber e internalizar estas coisas podem lhe ajudar enormemente quando você tentar ser fiel a uma dieta saudável.

Lembre-se de que você e seu corpo são uma equipe, são vocês contra o mundo!

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores