Efeitos colaterais das dietas low-carb, e como curá-los: Parte 4

Essa é uma série de artigos do Dr. Andreas Eenfeldt, para ajudar os iniciantes!

O original está aqui.


Mau-hálito


Em uma dieta low-carb estrita, algumas pessoas sentem um cheiro característico em seu hálito, um cheiro frutado que lembra a muita gente o de removedor de esmalte.

O cheiro é da acetona, um corpo cetônico. Esse é um sinal de que seu corpo está queimando muita gordura e convertendo-a em cetonas para abastecer o cérebro. Você é uma máquina de queimar gordura.

O cheiro pode às vezes pode manifestar-se na pele, especialmente durante a malhação ou se estiver suando demais.

Nem todo mundo que come uma dieta cetogênica low-carb passa por esse hálito cetônico – e para a maioria das pessoas que o apresenta, é algo temporário que some depois de 1 ou 2 semanas. O corpo então adapta-se e para de "vazar" cetonas no hálito e no suor.

Para alugmas pessoas ele não vai embora, entretanto, e pode ser um problema. Aqui estão soluções possíveis:

  1. Use um purificador de hálito regularmente
  2. Aguarde mais 1 ou 2 semanas e torça para ser temporário (com mais frequência, é)
  3. Reduza a cetose. Se o cheiro mostrar-se um problema de longa duração no seu caso, e você quiser livrar-se dele, o caminho fácil é reduzir a cetose. Isso significa comer um pouco mais de carboidratos – 50-70g por dia é geralmente suficiente para sair da cetose. É claro que isso vai de alguma maneira reduzir o efeito da dieta low-carb, no que diz respeito a perda de peso, diabetes, etc., mas para algumas pessoas ainda pode valer a pena. Outra opção é comer 50-70g de carboidratos por dia e adicionar um pouco de jejum intermitente. Isso pode te dar o mesmo efeito de uma dieta low-carb estrita... sem o cheiro.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores