Dieta cetogênica e álcool: Eles podem se misturar ?

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

Como eu sequer tento me manter em cetose, me contento em tomar 1 ou 2 taças de vinho por semana. Desce macio e reanima :-D

Uma ou duas vezes por ano, eu preparo o chá que a vovó não bebe e me dou aos prazeres de Baco.



por Craig



Tentar permanecer numa dieta cetogênica enquanto se festeja é algo que ninguém acha fácil de fazer. Há carboidratos em praticamente tudo o que você pode ver num bar. Cortar a cerveja e o vinho é um grande começo, mas ficar com os destilados na prática pode ajudar. Ainda que os destilados sejam feitos de açúcares naturais, grãos, batatas e frutas, durante o processo de destilação esse açúcar é convertido em álcool etílico.

Eu já li um monte de artigos que mencionam beber cervejas light e vinho seco para evitar carboidratos, mas não se enganem. Cerveja light pode ter algo entre 7-20g de carboidratos por copo e vinho seco, por mais que os websites das vinícolas queiram forçar a barra, podem ter na média 6g por copo.

Tenha em mente, então, que se você está tentando perder gordura – então tente ao máximo ficar longe do álcool. Enquanto você pode beber e permanecer em cetose, o álcool será queimado pelo organismo preferencialmente sobre todos os outros nutrientes consumidos. Em outras palavras, o álcool vai desacelerar o processo de perda de gordura porque uma pequena quantidade dos ácidos graxos livres será convertida em cetonas.

Sempre esteja atento às coisas que podem ter carboidratos, ao beber:

  • Cerveja
  • Vinho
  • Complementos (refrigerante, suco, xarope)
  • Licores e bebidas saborizadas
  • Coquetéis

Aqui vai a minha lista de destilados que têm zero carboidrato. Eles são bons para uma dieta cetogênica, mas não são bons para perda de peso. Eles contêm muitas calorias, então tenha isso em mente. 


Vodca


Vodca é geralmente feita de uma base de batata, centeio ou trigo, e tem entre 35-50% de álcool por volume. Quando você for escolher uma garrafa na prateleira, tente pegar vodca pura – nada com sabor.

Se você TEM que escolher uma vodca saborizada, várias são zero carboidrato – mas tente fazer a sua pesquisa primeiro! Muitas das saborizadas têm xaropes e açúcares adicionados.







Uísque


Uísque é feito de grãos fermentados, geralmente combinando centeio, trigo, milho ou cevada, e tem entre 35-50% de álcool por volume. Ainda que seja um líquido escuro, todos os uísques não tem qualquer carboidrato (ou açúcar) adicionado – o que faz dele uma boa bebida para alguém em dieta cetogênica.

Dependendo da origem do uísque é que se determina o seu nome: scotch, whiskey e bourbon são formas similares desse álcool. Alguns não gostam do sabor do uísque pela secura, então se você é esse tipo de pessoa, sugiro que fique com a boa e velha vodca.



Tequila


A maioria das tequilas é feita do agave, e comumente têm teor alcóolico beirando os 40% por volume. Não há muitas tequilas saborizadas no mercado, então você não precisa se preocupar tanto com açúcares adicionados ou carboidratos. Apenas seja cuidadoso ao bebê-la, pois ela é conhecida por te levar a fazer coisas loucas!

O agave é cultivado em muitos locais, mas dependendo do local de origem da planta, o sabor da tequila é diferente. Nas regiões mais elevadas, você pode ter sabores mais adocicados e aromáticos.







Rum


Rum é geralmente feito de cana-de-açúcar ou melado, e vem em uma variedade de estilos. Também é zero carb e zero açúcar, mas você precisa ficar de olho nas versões saborizadas. Normalmente, quanto mais escuro o rum, mais rico o sabor e mais envelhecida é a bebida. Na média, o rum tem  35% de álcool por volume.

Quando o rum é destilado, ele é um líquido claro. Ele é então armazenado em barris para adquirir o sabor de carvalho e a cor escura que estamos acostumados a ver.









Gin


Gin é feito com uma base de grãos, e tipicamente tem 35% de álcool por volume. É normalmente feito com cítricos como limão, laranja ou lima – mas tome cuidado com os saborizados.

Sloe gin é uma bebida saborizada feita na Inglaterra, que usa frutos de abrunheiro. Esse tem açúcar adicionado, e portanto carboidratos. A maioria das pessoas pensa em "gim tônica" quando pensa em gim, mas as bebidas doces que vão na maioria dos coquetéis tem carboidratos – então você deve ficar longe delas e tomar puro.









Beber álcool pode na prática aumentar seu nível de cetose, obviamente se você estiver bebendo destilados. A ingestão de álcool tem efeitos no metabolismo do fígado, produzindo mais cetonas à medida que você bebe. Quando o seu fígado está processando o álcool que você acabou de mandar para dentro, este está sendo convertido em um triglicerídeo que pode afetar positivamente a produção de cetonas.

Esteja alerta para o fato de que muitas pessoas (eu me incluo aqui) reportam que ficam bêbadas mais rápido que o normal quando em cetose. Embora isso possa ser bacana para alguns, você deve ter cuidado. Há um bocado de gente que também passam por ressacas piores quando em dieta cetogênica, então garanta que você permaneça hidratado. O conselho típico é beber 1 copo de água para cada dose de álcool ingerido.

Existe uma condição chamada cetoacidose alcóolica que pode ser fatal. Ela geralmente ocorre em pessoas que não comeram nada por longos períodos, e que beberam grandes quantidades de álcool num período curto. Isso pode levar a níveis perigosos de cetonas no sangue, que por sua vez podem induzir resultados mortais.


Calorias em 45mlCarboidratos (g)
Vodca960
Uísque1050
Tequila960
Rum920
Gin1020

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores