Rótulos alertando sobre transgenia ? Para quê ?

Ontem um leitor me mandou uma notícia do site da Câmara de Deputados Federais, informando que foi aprovado e tramitou para o Senado o projeto de lei que permite à indústria alimentícia eliminar dos seus rótulos a indicação de que um produto contém ingredientes transgênicos – que já sabemos bem quais são: grãos (os únicos com rentabilidade suficiente para justificar investimento de bilhões em engenharia genética).

A mim, não preocupa muito – já que eu como comida e não produtos alimentícios. Mas para o mundaréu de gente que continua consumindo comida-lixo industrializada, é mais uma armadilha.

Assim como a indústria já não explicita o quanto de açúcar-elevador-de-insulina-causador-de-obesidade-e-diabetes há em cada rótulo (tente achar o teor de açúcar – só vai constar o teor de "carboidratos totais". São raríssimos os rótulos que explicitam o quanto de sacarose adicionada tem o alimento), vai passar a não explicitar que há na composição alimentos-transgênicos-cujos-efeitos-do-uso-a-longo-prazo-não-são-conhecidos. Mas dane-se o consumidor, né ? 

Afinal de contas, se não morrer por alguma zebra do transgênico, vai morrer por alguma mazela do açúcar – então para quê avisá-lo ?

Por outro lado, dada a incoerência atual dos rótulos frente a outros veneninhos, a opinião de um dos digníssimos deputados nem fica tão absurda assim: 

“Por que a diferença entre corante, conservante, agrotóxico e transgênico na embalagem? Se é para colocar letra grande para transgênicos, por que estão usando dois pesos e duas medidas?”

Tem razão, deputado! Mas deviam é colocar MAIS letras alertando, e não MENOS...

Não que faça diferença. Pesquisas recentes dizem que rotulagem como "transgênico" NÃO espanta os consuidores. Quando a educação ruim e a mídia se juntam, não há informação e bom-senso que consigam vencer uma briga.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores