Desafio das dietas: Mais evidências experimentais


Mais algumas evidências experimentais sobre dietas low-carb...


2006: Johnson et al. compararam a perda de peso e alterações em biomarcadores em adultos seguindo dieta cetogênica low-carb (KLC) ou uma dieta low-carb não-cetogênica (NKLC) por 6 semanas [1]. Os principais achados foram:

  • A perda de peso foi de 6.3kg em KLC e 7.2kg em NKLC, respectivamente (P=0.324)
  • A perda de gordura foi de 3.4kg em KLC e 5.5kg em NKLC, respectivamente (P=0.324)
  • De maneira geral, a sensibilidade à insulina e o gasto energético em repouso aumentaram, e as concentrações de gama-glutamiltransferase (GGT) diminuíram em ambos os grupos (P < 0.05)
  • O risco inflamatório (proporção ácido araquidônico/ácido eicosapentaenóico em fosfolipídios plasmáticos) e as percepções de humor/vigor foram mais adversamente afetados por KLC do que por NKLC 

2009: Hession et al. conduziram uma meta-análise de ensaios controlados randomizados (RCTs) sobre dietas pobres em carboidratos (LC) e ricas em proteína (HP), versus dietas pobres em gordura (LF) e ricas em carboidratos (HC), que duraram no mínimo 6 meses [2]. Em 13 estudos (n=1222) examinados, concluiu-se o seguinte:
  • A perda de peso foi significativamente maior no grupo LCHP depois de 6 e 12 meses, comparado ao grupo LFHC
  • Houve uma melhora significativa no colesterol HDL e nos triglicérides aos 6 e 12 meses, favorecendo o grupo LCHP, mas isso não foi significativo aos 17 meses
  • Houve uma tendência em direção à melhora da pressão arterial aos 6, 12 e 17 meses, favorecendo o grupo LCHP
  • Aos 6 meses, houve uma tendência na direção de melhoria da glicemia em jejum que favoreceu levemente o grupo LFHC
  • Houve uma taxa maior de desistências no grupo LFHC, comparado ao grupo LCHP

2012: Hu et al. compararam os efeitos de dietas de baixo carboidrato (4-45% de energia obtida de carboidratos) versus dietas pobres em gordura (30% ou menos da energia obtida de lipídios) sobre fatores de risco metabólicos em uma meta-análise de RCTs [3]. Em 23 estudos analisados (n=2788), os principais achados foram:


  • Comparadas às dietas LF, pessoas em dietas LC experimentaram uma leve mas estatisticamente significativa redução no colesterol total
  • Dietas LC causaram maior redução no colesterol LDL, maior aumento no colesterol HDL e maior diminuição nos triglicérides
  • Reduções no peso corporal, circunferência abdominal e outros fatores de risco metabólico não foram significativamente diferentes entre as 2 dietas.
Referências

  1. Johnston et al. Ketogenic low-carbohydrate diets have no metabolic advantage over non-ketogenic low-carbohydrate diets. Am J Clin Nutr. 2006 May;83(5):1055-61
  2. Hession et al. Systematic review of randomized controlled trials of low-carbohydrate vs. low-fat/low-calorie diets in the management of obesity and its comorbidities. Obes Rev. 2009 Jan;10(1):36-50
  3. Hu et al. Effects of low-carbohydrate diets versus low-fat diets on metabolic risk factors: a meta-analysis of randomized controlled clinical trials. Am J Epidemiol. 2012 Oct; 176 Suppl 7:S44-54

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores