La dolce vita

Na semana passada, a minha sogra foi para o sítio na quinta-feira. Me ligou na própria quinta, dizendo que a minha casa havia sido invadida (gelei!)... por abelhas!

As danadas acharam uma fresta no forro, e como ficamos sem visitar a casa por 3 semanas, se sentiram donas do pedaço.

Quem olhava de fora achava que era só um punhado de abelhas...



Mas quem entrava na casa, tomava um susto :-)





Eu falei para a minha sogra não se preocupar, que eu ia dar jeito de ir ao sítio no final de semana seguinte e tirava as inquilinas. Ela foi bem mais valente que a maioria das pessoas, improvisou uma armadura com uma capa de chuva, acendeu tochas e encarou o desafio.

O resultado foram milhares de abelhas mortas, o chão besuntado de mel e cera, e roupas de cama defumadas.

Acabei indo eu mesmo ao sítio no domingo, para tentar dar jeito no pós-guerra. Ainda tinha muitas abelhas por lá, e a guerra continuou. Eu fui munido de casaco, luvas, touca e óculos de natação, e não tomei nenhuma picada (mas elas bem que tentaram). Uma pena não ter tirado foto do quão ridícula a minha roupa estava :-)

O resultado do combate foi mais de 1kg de mel em favo, que derreti  e guardei. 



Como eu nunca tinha derretido favo antes, errei a mão e 
ficou um bocado de cêra misturado. O jeito é cuspir 
um "chiclete" de vez em quando...


A casa continua caótica - acho que vai precisar de mais umas duas visitas para limpar - e estou contando que as formigas não tenham aparecido nesse meio tempo para lamber o mel do chão...

O mel extraído é MUITO mais claro e gostoso do que o que tenho hábito de comprar. Provavelmente porque foi feito a partir das flores locais (bem variadas) ao invés de 100% flor de eucalipto, como é o padrão.

Fiquei realmente sentido pelo mundaréu de abelhas mortas, mas o risco era grande - se tivesse sido a minha filha a entrar na casa e a esbarrar com a colméia, nem quero pensar no que poderia ter acontecido.

Em resumo, posso imaginar o motivo de o mel não ter sido um alimento constante no cardápio dos nossos ancestrais paleolíticos... Gostoso ? Sem sombra de dúvida! Agora vá lá buscar uma quantidade capaz de te fazer mal (que é o que tenho em mãos agora, por exemplo), e veja se é fácil. Ou brigava com um enxame, ou com um urso...


Recomendado para você

2 comentários

Click here for comentários
17 de novembro de 2014 13:32 ×

Por que você não chamou um apicultor ou pesquisou uma forma ecologicamente correta de expulsá-las do local? Parece-me que esses animais são protegidos por lei. Não é por nada não, mas se elas voltarem, seria melhor pesquisar antes.

Um abraço!

Reply
avatar
Teimosia
admin
17 de novembro de 2014 14:37 ×

Olá, Ádilon

Concordo plenamente!

Reply
avatar
Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores