Faltam ZERO milhas - e os papéis do divórcio ainda estão intocados!

A aventura do Sami e da Meredith atravessando o Pacífico a remo, comendo apenas comida de verdade, chegou ao fim. Em um dos posts do blog do casal, o Sami estimou que o gasto calórico nos dias mais puxados equivaleu a correr DUAS MARATONAS POR DIA. Pelo cálculo inicial do gasto calórico, não é muita surpresa - mas ainda assim, deixa a gente pensando em todo mundo que acha que para fazer esforço prolongado, é preciso se entupir de açúcar...

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui



"Isso também vai passar", disse um dos nossos apoiadores em um comentário do blog. A frase tornou-se o nosso mantra para aproveitar o momento, a dor, a alegria, a vida ímpar longe da costa, enquanto remávamos o mais forte que conseguíamos.

Pensamos um bocado em tal mantra, na última semana, quando estávamos a ponto de quebrar enquanto remamos até 21 horas por dia (cada um). Queríamos muito terminar, ainda que estivéssemos tristes em pensar tudo o que iríamos abandonar. No sábado, 02 de agosto, por volta das 07h30 (horário do Havaí), depois de uma noite tempestuosa e de vento, finalmente aportamos em Honolulu, na praia de Waikiki. Eu praticamente não tinha dormido nas últimas 24 horas, e Meredith menos ainda. Dois dos nossos dias de maior velocidade (cerca de 80 milhas náuticas por dia!) foram feitos nesse final, dando o gás máximo. Estávamos esgotados, mas felizes. Excedemos todos os nossos objetivos e consideramos a jornada, que não teria sido ppssível sem o apoio de estranhos, amigos e muitos experts em remo oceânico - um imenso sucesso:

  1. Continuamos casados! (os papéis do divórcio estão intocados em um recipiente à prova d'água, no fundo do Pacífico)
  2. Levantamos mais de US$200.000 para a luta contra o açúcar e inspiramos estranhos a mudar suas dietas baseados na ciência moderna (aquelas histórias foram muito inspiradoras durante a travessia - obrigado!)
  3. Quebramos o recorde mundial de remo em dupla da Califórnia para o Havaí. O nosso objetivo eram 60 dias, terminamos em 45.
  4. Terminamos saudáveis, fortes e seguros. E esperamos ter dado um exemplo de que a vida e os esportes de resistência sem açúcar (e carboidratos processados) é possível, provavelmente ainda melhor.
E agora ? Um dia após ter passado 45 dias no mar:

  • Primeira caminhada: ainda trêmula. Eu perdi 11.7kg e um bocado de alguns músculos das pernas. Está difícil subir escadas.
  • Primeiro café-da-manhã: ovos com ovos mexidos e ovos cozidos
  • Primeiro jantar: salada gigante de legumes e verduras frescas com peixe, tortas de carangueijo, manteiga e maionese
  • Primeira guloseima ao aportar: copo enorme de água co gás e gelo
  • Primeiro choque: gente demais, por toda parte... Eu preciso de espaço, por favor!
  • Primeira malhação: na manhã seguinte, pedalando. Preciso recuperar a força muscular!

Obrigado a todos vocês que nos apoiaram em espírito, doaram para as caridades que escolhemos ou simplesmente decidiram considerar o que o açúcar pode estar fazendo ao seu corpo e saúde. Todos os comentário, emails e pequenos incentivos foram imensamente poderosos para animar nossos espíritos e nos empurrar para a frente em meio ao Oceano Pacífico. Vocês nos inspiraram, e não o contrário!

E o que vem a seguir ? Fácil - nós dois precisamos recuperar o sono.










Recomendado para você

1 comentários:

Click here for comentários
5 de agosto de 2014 10:46 ×

Que demais isso, parabéns a toda coragem do casal!!!!

Congrats bro Marcos Guerrero you got PERTAMAX...! hehehehe...
Reply
avatar
Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores