Diabetes - Como normalizar a sua glicemia

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

por Andreas Eenfeldt



Você é diabético, ou corre risco de tornar-se ? Você se preocupa com a sua glicemia ? Então você veio ao lugar certo.

A doença diabetes (de qualquer tipo) significa que você tem muito açúcar no sangue. Esta página vai te mostrar a melhor maneira de cuidar disso.

Você pode normalizar a sua glicemia naturalmente, conforme necessário - sem pílulas, sem contar calorias ou fome. Muitas pessoas já fizeram isso. Como bônus, a glicemia normalizada geralmente te deixa mais saudável e magro.

Uma epidemia desastrosa


O que está errado ? Por quemais e mais pessoas tornam-se diabéticas ?

No passado, antes da nossa dieta ocidental moderna, diabetes era extremamente rara. A doença agora está cada vez mais comum. Mais e mais pessoas mundo afora estão tornando-se diabéticas:


O númeor de pessoas com diabetes está aumentando incrivelmente rápido e indo na direção dos 500 milhões. Isso é uma epidemia mundial. Alguém da sua família vai ser o próximo afetado ? A sua mãe, pai, primo, seu filho ? Ou você ? Será que o seu sangue já não está muito doce ?

Aqueles afetados pela forma mais comum de diabetes (tipo 2) normalmente nunca recuperam sua saúde. Ao invés, nós tomamos por certo que eles vão ficar um pouco mais doentes a cada dia que passar. Com o tempo eles vão precisar de mais e mais remédios. E ainda assim, cedo ou tarde as complicações emergem. Cegueira. Diálise devido a rins falhando. Demência. Amputações. Morte.

A epidemia de diabetes causa sofrimento incocebível. Felizmente, há algo que pode ser feito. Nós simplesmente precisamos ver além do erro que levou à explosão da doença - e corrigi-lo. Isso pode normalizar sua glicemia. Muitos já tiveram sucesso praticando.

Se você já sabe que é diabético, pode pular direto para a seção "De onde vem o açúcar do sangue".

Se não, vamos ver se você está em risco.

A sua glicemia está normal ?



Aqui vai um curso-relâmpago sobre diabetes e glicemia elevada. 

Sintomas 


Sintomas comuns da diabetes:
  • Sede excessiva e produção de urina anormalmente alta. Isso é porque periodicamente o açúcar no sangue está tão alto (acima de 270mg/dL) que ele extravasa para a urina, removendo líquidos do corpo - o que causa a sede.
  • Uma visão piorando também é comum. Todo esse açúcar faz com que as lentes dos olhos inchem e você fica mais míope
  • Fadiga
  • Com a diabetes tipo 1, você pode inexplicadamente perder peso e seu hálito pode ter cheiro de acetona
Entretanto, note que em formas mais brandas de diabetes você frequentemente não experimenta nada disso. Ainda assim, todo o açúcar em circulação pode gradualmente danificar seu corpo.

Teste


Você é diabético ? Se você ainda não sabe, é simples testar em poucos segundos. Tanto no consultório do seu médico ou com o seu próprio medidor de glicemia. Espete o dedo e uma gota de sangue é tudo o que se necessita:
  • Um nível de açúcar normal vai até 108mg/dL em jejum, ou até 156mg/dL após uma refeição
  • Um nível marginalmente elevado pode indicar pré-diabetes
  • Acima de 126mg/dL em jejum, ou 220mg/dL após uma refeição, indica que você é diabético

Você também pode testar sua urina com "tirinhas" de teste. Glicose na urina usualmente indica que você é diabético.

Teste, e saberá.

Dois tipos de diabetes




O que causa a diabetes ? Há duas formas comuns:

Tipo 2

Diabetes tipo 2 é de longe a forma mais comum (cerca de 90% dos casos), e a que mais cresce. Ela afeta primariamente pessoas com sobrepeso, na meia-idade ou mais velhas. Não é incomum que as pessoas afetadas também tenham pressão alta e números de colesterol ruins. Diabetes gestacional é um caso especial e temporário de diabetes tipo 2.

Na diabetes tipo2, o corpo tem dificuldades cada vez maiores para gerenciar todo o açúcar no sangue. Grandes quantidades do hormônio redutor de açúcar, insulina, são produzidas - mas não são suficientes, porque a sensibilidade à insulina diminui. No momento do diagnóstico da diabetes tipo 2, os portadores geralmente tem dez vezes mais insulina no corpo que o normal. Como um efeito colateral, esta insulina armazena gordura e causa ganho de peso, algo que frequentemente progride por muitos anso antes do diagnóstico.

Por que mais e mais pessoas desenvolvem diabetes tipo 2 atualmente ? Você saberá o motivo quando acabar de ler esse texto. Uma dica: a doença já foi chamada, em muitos idiomas, de "mal do açúcar".


Tipo 1

A diabetes tipo 1 (diabetes juvenil) primariamente afeta crianças e adultos jovens. Pessoas que desenvolvem diabetes tipo 1 geralmente tem peso normal. Nos meses anteriores à descoberta ele usualmente perderam peso inexplicavelmente.

A diabetes tipo 1 é causada pela morte da maioria das células corporais que produzem insulina (por causas desconhecidas). Deficiência severa de insulina causa glicemia elevada e perda rápida de peso.

O tratamento consiste primariamente de administrar a insulina que você não produz, usando uma seringa. Além disso, uma dieta que não aumente a glicemia facilita dramaticamente a manutenção de um nível normal de açúcar no sangue.


De onde o vem o açúcar no sangue


O problema para diabéticos é que o corpo tem dificuldade de manter os níveis de açúcar baixo. O sangue fica muito doce. Então de onde esse açúcar vem ?

O açúcar no sangue vem da comida que comemos. As comidas que transformam-se em diferentes tipos de açúcar tão logo cheguem ao estômago, são chamadas carboidratos. Isso significa açúcar (como no refrigerante, suco de fruta, balas) e amido (como no pão, macarrão, arroz e batatas);

Carboidratos


O amido, por exemplo no pão, é quebrado em glicose no estômago. Quando a glicose entra na corrente sanguínea, ela é chamada glicemia.

Quanto mais carboidratos comemos em uma refeição, mais açúcar é absorvido para o sangue. E quanto mais açúcar é absorvido para o sangue, mais alta vai ser a glicemia.

Diretrizes dietárias reversas


O aconselhamento dietário em décadas recentes parece similar em todo o mundo ocidental. Enquanto mais e mais pessoas tornaram-se diabéticas, e enquanto os afetados tornaram-se mais e mais doentes, eles foram aconselhados a comer exatamente as comidas que aumentam a glicemia.

Aqui está um bom exemplo, o Modelo de Prato Sueco para diabéticos:


Quais seções do prato aumentam a glicemia ? Bem, aquelas que contem carboidratos (açúcar e amido).

O pão e as batatas consistem de amido, o leite contém açúcar (lactose) e as frutas contém açúcar (frutose).

Açúcar (Sugar) e Amido (Starch)

Assim, a comida mostrada acima aumenta dramaticamente a glicemia. Pessoas com diabetes, que tentam comer desta maneira não vão normalmente ficar mais saudáveis ou magras. Ao contrário, elas vão geralmente precisar de mais e mais medicação e ficarão mais e mais obesas à medida que os anos passarem.

O aconselhamento acima é então não apenas ilógico, mas também funciona mal. A ele falta completamente suporte científico, de acordo com uma investigação de especialistas suecos. Ao contrário, em anos recentes, o aconselhamento por dietas ricas em carboidratos demonstradamente aumentou o risco de desenvolver diabetes e piorou as taxas de glicemia a longo prazo em pessoas que já eram diabéticas. O aconselhamento não melhora a saúde de diabéticos de qualquer maneira que seja.

A única razão para continuar a dar esse direcionamento ruim é o medo constante da gordura natural. Se você vai evitar a gordura, então precisa comer mais carboidratos para ficar saciado. Mas em anos recentes, a antiga teoria sobre a gordura ser perigosa já foi provada ser incorreta e atualmente caminha para o esquecimento. Produtos sem gordura são simplesmente desnecessários. Então esta razão não se mantém também.

Há uma alternativa que vai resultar em melhor saúde e peso ? Comidas que não elevem a glicemia ?

Is there an alternative that will produce a better health and weight? Foods that don’t raise blood sugar?

Normalize o açúcar no seu sangue


O que acontece se você remover as comidas que elevam a glicemia ? O que é que sobra então ?

Por exemplo, sobra isso:

Comidas que não elevam a glicemia


Mais e mais diabéticos na Suécia tem experimentado comer comidas que não elevam a glicemia. Comidas com menos carboidratos e uma proporção maior de gordura. Comidas LCHF.

Elas geralmente notam que logo na primeira refeição, a sua glicemia melhora. A necessidade por medicação, especialmente insulina, é dramaticamente reduzida. Perda de peso substancial geralmente se segue. Finalmente, eles frequentemente sentem-se muito melhores, mais alertas e melhoram muitos marcadores de saúde.

Mais e mais médicos (eu estou longe de ser o único) aconselham similarmente, com excelentes resultados. Mais emais pessoas questionam o antigo aconselhamento rico em carboidratos, elevador da glicemia, mesmo na mídia.

Desde o outono de 2011, o Comitê Nacional de Saúde e Bem-Estar da Suécia tem recomendando uma dieta pobre em carboidratos para tratar diabetes. Há uma grande mudança no ar hoje em dia, e você não tem que esperar.

Histórias espetaculares sobre nova saúde:

É a sua vez agora ? Experimente: LCHF para iniciantes.

Conhecimento antigo


Você acha que uma dieta de baixo carboidrato para diabéticos é uma nova invençaõ ? Não é. Há experiências de longa data sobre os efeitos positivos.

No passado, antes de termos medo da gordura e antes das drogas modernas para baixar a glicemia, o aconselhamento dietário era diferente do de hoje. Naquela época, dieta era tudo o que havia disponível para ajudar os diabéticos.

Aqui estão figuras de um livro de receitas para diabéticos de 1917. Você pode adquirir a versão em português do livro aqui. Abaixo está uma imagem das páginas 12-13, na qual há um sumário do que os diabéticos devem ou não comer.

Vamos começar com o que os diabéticos não deviam comer 100 anos atrás.

Comidas estritamente proibidas



O título da página é "Comidas estritamente proibidas". Ela começa com açúcar e "comidas farináceas e amidos" - em outras palavras, farinhas e amidos. Exemplos dados:
  • Pão
  • Biscoitos
  • Arroz
  • Massas
  • Bebidas doces
  • Etc.

Estas comidas absolutamente proibidas agora são parte da dieta recomendada para diabetes, de acordo com o Modelo do Prato Sueco. Elas agora são a maior parte do prato do diabético. Isso, enquanto mais e mais diabéticos surgem, que precisam de mais e mais drogas e ficam mais e mais doentes. Dificilmente é coincidência.

Comidas especialmente valiosas




Aqui está a lista de comidas ricas em nutrientes, recomendadas para diabéticos: manteiga, azeite de oliva, queijo, carne, peixe, ovos...

Isso soa familiar. Se acrescentarmos porções generosas de verduras e legumes, seria comida LCHF. É o conselho que dou a meus pacientes diabéticos, em meu trabalho como médico da família.

Este é o aconselhamento que os diabéticos recebiam 100 anos atrás. Mesmo na Suécia, com uma dieta rica em gordura com cortes gordos de carne de porco, manteiga e repolho verde. E quando diabéticos começavam a comer desta maneira hoje em dia, acontece o mesmo que acontecia no passado. A sua glicemia melhora dramaticamente a partir do primeiro dia. Logicamente é claro - porque eles evitam comer aquilo que eleva o açúcar no sangue.

A maioria das pessoas com sobrepeso vai então gradualmente perder uma quantidade substancial de peso e será capaz de ficar bem com menos medicação.

Então por que mais pessoas não aproveitam a chance ?

Nova ciência


A recomendação dietária atual para diabéticos, rica em carboidratos, é baseada no medo antigo de comidas naturalmente gordurosas. Não há estudos de qualidade mostrando que uma dieta rica em carboidratos seja benéfica.

Então, quando os especialistas suecos recentemente examinaram isso, eles não encontraram quaisquer evidências científicas para o aconselhamento de uma dieta com pouca gordura e rica em grãos integrais.

Quando chega-se a dietas mais estritas em carboidratos, como LCHF, há apenas estudos científicos limitados até o momento. Mas os estudos que já foram feitos mostram que o aconselhamento LCHF produz um efeito melhor na glicemia e peso do que aconselhamento atual.

Desde então, o Comitê Nacional de Saúde e Bem-Estar da Suécia publicou as suas diretrizes para profissionais da saúde. Eles tornaram-se receptiso a diversas opções no que diz respeito a dietas para diabéticos, e agora recomendam alegremente uma dieta low-carb como primeira escolha.

Além disso, por volta de 2008 o Comitê examinou e aprovou o aconselhamento sobre LCHF dentro do sistema público de saúde. A recomendação de LCHF, segundo a revisão feita, está de acordo com a ciência e o conhecimento provado. Em outras palavras, profissionais de saúde certificados, que dão tal direcionamento (por exemplo, eu mesmo) podem sentir-se completamente confiantes.

Mesmo a Associação Americana do Diabetes (ADA) aprova, desde 2008, o aconselhamento para uma dieta pobre em carboidratos para diabéticos.

Estudos sobre dietas low-carb e diabetes



Um conto de duas refeições


Quanto a sua glicemia é afetada pela comida que você come ? Muito. Aqui está um exemplo de quão significativa a diferença pode ser:


Na foto da esquerda, uma refeição LCHF que eu fiz alguns anos atrás, quando medi a minha glicemia. Bife passado na manteiga, vegetais fritos na manteiga e molho béarnaise caseiro (manteiga derretida e gema de ovo). Muita gordura, grande quantidade de proteína, mas quase sem carboidratos.

Na foto da direita você pode ver o inacreditável almoço que me serviram no 11o Congresso Internacional sobre a Obesidade em Estocolmo, 2010. Essa é uma das grandes conferências internacionais para médicos e cientistas que estudam a obesidade. A comida contém energia vinda quase que exclusivamente de açúcares e amidos, coisas que são quebradas em açúcares simples no estômago.

Vamos ver qual o impacto destas duas refeições na minha glicemia:

Um nível de glicose sanguínea de aproximadamente 70-100mg/dL é típico em jejum. Ele pode subir após uma refeição, dependendo de quanto carboidrato você come.

Como você pode ver, nada aconteceu com a minha glicemia quando comi a refeição LCHF. Não é surpresa. Se você não come muitos carboidratos, pouca glicose vai chegar à corrente sanguínea, e consequentemente a glicemia vai ficar onde estava.

Em contraste, o lanche na conferência sobre obesidade mandou a minha glicemia para o espaço, direto para 180mg/dL em apenas 1 hora. O relatório completo está aqui: Choque de açúcar! (traduzido diretamente do sueco via Google).

Quer fazer um teste similar em si mesmo ? Compre um medidor de glicemia simples e tiras para teste aqui.


Quem ganha com uma glicemia perigosamente alta ?


Em destaque, o logo da Pfizer
"Comidas que aumentam a glicemia lentamente são boas"
(impresso pela Pfizer)

Dentro do sistema de saúde, os diabéticos ainda são frequentemente orientados a comer comidas que elevam a glicemia. Não é incomum receber folders bonitos e coloridos, como o folder sueco acima. Nele, afirma-se que comidas que elevam a glicemia lentamente são boas para você. Exemplos dados de tais comidas são frutas, arroz, massas, batatas e pão!

Por que é bom para diabéticos comer comidas que elevam a glicemia ? Quem se beneficia disso ? Quem é que está distribuindo todos esses folders de graça ?

Tipicamente, como nesse caso, é uma companhia farmacêutica que imprime o folder. Elas vendem drogas que baixam a glicemia. E então distribuem folders com aconselhamento dietário que eleva a glicemia e faz os diabéticos precisarem de mais medicamentos.

As indústrias farmacêuticas estão fazendo mais dinheiro ao prover aconselhamento dietário que torna os diabéticos mais doentes. Isso não é uma teoria da conspiração. É simplesmente economia de mercado.

O direcionamento para comidas ricas em carboidratos, por exmeplo, pode fazer um diabético tipo 2 requerer o início do tratamento com injeções de insulina. Um único ano de consumo de insulina pode custar facilmente US$2000 ou mais. Multiplique esse número pelos 366 milhões de casos diagnosticados mundo afora, e você vai ver o enorme interesse econômico disso.

Torne-se sua própria evidência


Um número cada vez maior de pessoas não confia mais na propaganda da indústria famacêutica ou nos especialistas desatualizados. Elas estão tomando o comando da própria saúde. Há uma grande mudança em andamento que pode levar a um futuro mais saudável para muitas pessoas.

Você está confuso e não sabe o que pensar ? Tudo bem. Há uma maneira simples de descobrir qual o efeito de uma dieta pobre em carboidratos sobre você.

Experimente. Tente você mesmo por umas poucas semanas e monitore o efeito. Aqui estão alguns exemplos do que você pode esperar.

Tome o controle da sua própria saúde e experimente você mesmo!

E se a minha palavra de médico não te convencer, ouça o que um médico brasileiro tem a dizer sobre isso.


Recomendado para você

4 comentários

Click here for comentários
Aline Keila
admin
11 de agosto de 2014 09:39 ×

Super interessante sobre o livro de 1917 !!! Otimo post !!

Reply
avatar
eloigonc
admin
11 de agosto de 2014 11:05 ×

Parabéns por nos oferecer mais esse conteúdo de qualidade. Agora me restou uma grande dúvida, por favor não me bata kkk.... Tem a receita do molho ?

Reply
avatar
Teimosia
admin
11 de agosto de 2014 13:58 ×

Olá, Eloi

Molho béarnaise não é segredo não... Achei essa aqui no Google: http://www.petiscos.com/receita.php?recid=9704&catid=24 (mas tem várias outras).

Reply
avatar
Teimosia
admin
11 de agosto de 2014 14:22 ×

E não me entenda mal: o que não tem mistério é a receita. Agora, fazer o resultado ficar perfeito, leva anos (palavras dos chefs franceses :-).

Reply
avatar
Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores