AB Strap

Uns dias atrás, vi um vídeo de um tio dos seus 81, fisiculturista. O vídeo por si me impressionou e deu origem a uma postagem.

Mas outra coisa que me deixou encucado foi um equipamento que ele usava para fazer abdominais suspenso no ar. Fiz uma pesquisa rápida e descobri que o negócio é conhecido como "ab strap" (alça para abdominais) ou "suspension strap" (alça de suspensão). 

Não, não sou eu.


Procurei no MercadoLivre, e até achei alguns produtos, mas a faixa de preço (na casa dos R$80) não me agradou. Então, seguindo o meu próprio exemplo do TRX caseiro, resolvi fazer o meu ab strap. O material necessário é:


  • Alguns metros de corda resistente. Paguei R$0,70 por metro aqui em BH. Segundo o cara da loja, a corda suporta 400kg. Se eu cair e quebrar algum osso, já sei a quem processar.
  • 2 mosquetões de rapel. Paguei R$5,50 em cada um, no MercadoLivre. Cada um suporta 250kg
  • 2 pedaços de PVC, serrados e com as bordas lixadas para não cortar a corda
  • 1 mãe talentosa na costura. Por sorte, tenho uma dessas desde que nasci. Na verdade, ia costurar eu mesmo (e não tenho dúvidas de que ficaria resistente, embora tosco). Com a mamãe na parada, ficou resistente e bonito.
Dei uma passeada pelo mundo dos nós (conhecido como Google), e aprendi dois nós que me resolveram:
  • Bowline: não importa quanto peso você ponha nele, NUNCA escorrega e desata. E se você quiser, consegue desatá-lo com facilidade (não fica impossível de desatar depois de ter sido submetido à pressão)
  • Adjustable grip hitch: é um nó corrediço que consegue manter a tensão. Mais fácil ver do que explicar, mas garanto: parece mágica.
Com tudo isso em mãos, saiu a minha nova geringonça para malhar em casa!


Mosquetão, bowline e adjustable grip em ação - a altura é regulável :-)

Olha o cano de PVC por dentro da faixa de tecido.
É para evitar que a corda desgaste o pano


Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores