A fibromialgia é causada por SIBO e intestino permeável ?

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

por Chris Kresser


Fibromialgia é uma condição que causa dor muscular e fadiga. Pessoas com fibromialgia frequentemente experienciam sensibilidade em certos pontos do corpo, quando pressão é aplicada.

Os portadores de fibromialgia também apresentam outros sintomas, incluindo:

  • Insônia ou dificuldade de dormir
  • Rigidez matinal
  • Dor de cabeça
  • Sensação de dormência ou formigamento nas mãos e pés
  • Irregularidades menstruais e dor
  • Dificuldade de concentração ("nevoeiro cerebral")

De acordo com as estatísticas mais recentes, cerca de 5 milhões de americanos (aproximadamente 1 em cada 50) sofre de fibromialgia. É a segunda doença músculo-esqueletal mais comum, atrás apenas da artrite, e afeta mulheres muito mais que homens (é sete vezes mais comum em mulheres).

Como qualquer um com fibromialgia pode te dizer, é uma condição debilitante que afeta cada aspecto da vida. Por exemplo:

  • Pessoas com fibromialgia são de 3 a 4 vezes mais suscetíveis à depressão
  • 50% dos afligidos tem dificuldade de fazer tarefas do dia-a-dia
  • 30-40% dos afligidos tem que mudar de trabalho ou abandoná-lo completamente
  • Pessoas com fibromialgia são hospitalizadas uma vez a cada 3 anos, em média
  • O paciente de fibromialgia usa em média 3 a 4 drogas por dia para controlar os sintomas

Qual é a abordagem convencional à fibromialgia ?



Não há teste laboratorial que diagnostique a doença. Ao invés, os pacientes são diagnosticados com base nos sintomas e histórico, e após a exclusão de outras doenças que tem sintomas semelhantes, tais como artrite reumatóide, depressão intensa, esclerose múltipla e outras doenças autoimunes.

Não há consenso na comunidade médica sobre o que causa fibromialgia. Entretanto, a teoria corrente é que ela pode envolver uma variedade de fatores, incluindo:


  • Genética: fibromialgia corre nas famílias, então deve haver mutações genéticas que fazem algumas pessoas mais suscetíveis. 
  • Algumas infeções virais ou bacterianas parecem disparar ou agravar a fibromialgia.
  • Trauma físico ou emocional. Transtorno de estresse pós-traumático já foi ligado à fibromialgia.

Como a causa da fibromialgia é desconhecida, o tratamento convencional é focado no gerenciamento dos sintomas. Medicamentos comumente prescritos incluem analgésicos, antidepressivos e anticonvulsivos (que algumas vezes são úteis em reduzir certos tipos de dor).

Uma teoria alternativa sobre o que causa fibromialgia


Por muitos anos, eu suspeitei que a fibromialgia seja causada por uma disfunção intestinal. Percebia que a vasta maioria dos meus pacientes com fibromialgia também tinha problemas digestivos, e quando eu começava a fazer exames, descobria que muitos tinham infecções intestinais, disbioses, crescimento bacteriano excessivo no intestino delgado (SIBO) e intestino permeável.


É possível que um intestino doente seja a causa da fibromialgia ?


Então decidi dar uma olhada em se essa conexão já foi explorada na literatura científica. Bingo! Havia diversos estudos conectando a fibromialgia a problemas intestinais. Por exemplo:

  • 73% dos pacientes com fibromialgia reportaram sintomas gastrointestinais, comparados a 37% dos pacientes com osteoartrite (1)
  • Síndrome do Intestino Irritável (SII) está presente em 30-70% dos pacientes com fibromialgia (2)
  • 33% dos pacientes de SII encaixam-se nos critérios diagnósticos para fibromialgia, comparados a apenas 4% dos sujeitos de controle (3)
  • Até 50% dos pacientes de fibromialgia tem dispepsia funcional, que é um termo bonito para "indigestão sem causa conhecida" (4)

Ao mesmo tempo que fiquei intrigado por tais correlações, elas são apenas isso: correlações. E além do mais,  fibromialgia, SII e dispepsia funcional são simplesmente diagnósticos baseados em sintomas, então os artigos não jogaram muita luz sobre o que poderia estar na prática causando as condições.

Na medicina funcional, estamos sempre preocupados em achar o mecanismo subjacente ou causa, porque é o ataque a isso que vai levar ao tratamento mais efetivo e duradouro.

Então eu continuei cavando, e achei o pote de ouro. Encontrei diversos artigos associando a fibromialgia com mecanismos específicos da disfunção intestinal. Por exemplo:

  • Um estudo de 2008 encontrou uma relação entre alterações da microbiota intestinal e a fibromialgia (5)
  • Pesquisadores do Centro Médico Cedars-Sinai em Los Angeles descobriram que 100% dos pacientes de fibromialgia (42 em 42) tinham SIBO. Isso é impresionante (6)
  • Em um estudo de 40 pacientes com fibromialgia, 28 deles (70%) tinha permeabilidade intestinal. E importante: 12 dos 28 pacientes não tinham sintomas intestinais. Eu acredito que esta seja uma das razões pelas quais o intestino é ignorado enquanto potencial causa subjacente da fibromialgia (7)

Os problemas intestinais são a causa - ou o efeito - da fibromialgia ?


É claro, alguém pode perguntar "Estes problemas intestinais são a causa da fibromialgia, ou é o contrário ?"

Ao menos um estudo endereçou diretamente a questão. Um grupo de pacientes com fibromialgia, positivos para SIBO, foi dividido em dois outros grupos. Um deles recebeu antibióticos para tratar a SIBO, e o outro recebeu um placebo. Melhora significativa dos sintomas de fibromialgia foi observada nos pacientes que erradicaram a SIBO por antibioóticos, enquanto nenhuma melhora foi vista nos pacientes que tomaram placebo ou que testaram positivo para SIBO após os antibióticos (8). Isto sugere que SIBO tem papel causal na fibromialgia, ao menos para alguns pacientes.

Uma nova abordagem para tratar fibromialgia


Se problemas gastrointestinais como SIBO, disbiose, infecções e intestino permeável são a causa subjacente da fibromialgia, por conseguinte a cura do intestino é a chave da melhora a longo prazo para os portadores da condição.

Eu já escrevi extensivamente sobre como fazer isso no meu blog (livro eletrônico gratuito sobre saúde intestinal é um grande ponto de partida), mas aqui vai um breve sumário dos passos mais importantes:

  • Evite comidas, medicamentos (por exemplo, antibióticos) e químicos (por exemplo, bisfenol a) que irritam o intestino
  • Coma bastante fibra fermentável (batatas-doces, inhames, mandioca, etc)
  • Coma comida fermentada como kefir, iogurte, chucrute, kimchi, etc
  • Consuma caldo de ossos e comidas ricas em glicina (cortes de carne mais duros como músculo bovino, rabada, peito e acém)
  • Considere tomar um probiótico e/ou um suplemento prebiótico
  • Trate quaisquer patógenos intestinais (tais como vermes) que possam estar presentes
  • Controle seu estresse (com meditação e práticas correlatas)
  • Durma pelo menos 7 ou 8 horas por noite

Recomendado para você

2 comentários

Click here for comentários
16 de outubro de 2014 19:03 ×

Tenho fibromialgia e comecei a tratamento paleolítico há quase dois meses, mas minha fadiga ainda não cedeu. Há uma média de tempo pra notar uma melhora? Obrigada. Carmen

Reply
avatar
Teimosia
admin
17 de outubro de 2014 08:10 ×

Olá, Carmen

Você precisa ter em mente que dieta paleo não é "cura garantida" da fibromialgia. A minha, por exemplo, não desapareceu - embora tenha melhorado muito.

Você já leu algo sobre o protocolo paleo para doenças autoimunes ? Dependendo de como está o seu estado nutricional, ou da sua tolerância a carboidratos, pode ser uma alternativa. Confira:

http://www.thepaleomom.com/autoimmunity/the-autoimmune-protocol

Reply
avatar
Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores