Sobre frangos não-comestíveis...

Em novembro de 2013, uma repórter da Revista Época entrou em contato comigo perguntando se eu gostaria de participar de uma matéria. Aceitei, e ela me ligou uns dias depois. Conversamos durante mais de 1h, ficou combinado que na semana seguinte um fotógrafo ia entrar em contato para fazer as imagens.

Acabou que o tempo passou, e não entraram mais em contato - fiquei desapontado, mas a água continuou passando por baixo da ponte.

Uns 15 dias atrás, entraram em contato de novo, e fiz a tal sessão de fotos. A revista foi publicada nesse domingo, e gostei bastante do viés dado - sem exortar, mas também sem dar pauladas, como é de praxe. Além de mim, entrevistaram também o Dr. Souto e a May Ishii - criadora da maior comunidade sobre paleo no Facebook.


Eu, em carne, bacon e osso

May Ishii
May Ishii


Tudo muito bom, tudo muito bem, mas uma coisa me deixou chateado... Poucos dias antes da publicação, me ligaram perguntando se podiam usar o diagrama que fiz para ilustrar a matéria (Editado em 11/02/2014: coloquei uma versão nova do diagrama online hoje). Disseram que iam dar os créditos e tal - ao que eu respondi que se não quisessem, não tinha problema. Afinal,  de contas, toda a informação que usei está livre na internet.

Pois é... Transformaram o diagrama num infográfico, me deram os créditos e... deixaram passar um erro grotesco :-)


É um cogumelo ou fungo ?


É um cogumelo ou frango ?

Frango ? Frango ? FRANGO ??? Existem frangos que não são comestíveis ? 

Espero que ninguém mais tenha percebido :-D


Recomendado para você

13 comentários

Click here for comentários
thathy
admin
11 de fevereiro de 2014 09:51 ×

relaxa, nem deu pra notar...tem coisas muito piores nessa reportagem, como dizer que atkins morreu de ataque cardiaco heheheh

Reply
avatar
Jussara
admin
11 de fevereiro de 2014 13:53 ×

Hehehe, só se forem aqueles frangos de borracha, que a gente dá para filhotes de cachorros brincar (eu não tinha visto o erro, mas como disse a Thathy, acima, tem erros piores na matéria. ;D).
Parabéns, novamente, pela sua participação. O seu emagrecimento e também o da May foram incríveis, pelas fotos não parece que tinham tanto peso assim para perder.

Reply
avatar
Teimosia
admin
11 de fevereiro de 2014 14:55 ×

Eu era o chamado de "skinny fat" - o gordo magrelo :-) Peso ideal para a altura (em termos de IMC), mas 27-28% de gordura. Agora estou abaixo do peso (novamente, em termos de IMC), mas com 13-14%.

A minha massa não-gordurosa praticamente não se alterou: 56kg (e crescendo, nos últimos meses)

Reply
avatar
Jussara
admin
11 de fevereiro de 2014 15:19 ×

Não conhecia essa expressão. :D Eu sempre fui falsa magra, com peso também dentro do ideal para a minha altura, mas com muita gordura , e massa magra abaixo do esperado (provavelmente causada pelos carbos refinados e açúcares da dieta de antes). Realmente, você é bem magro, e tem hoje o peso que eu tinha quando alcancei o auge do meu sobrepeso, ou seja, é realmente um galgo. rs
O interessante é que você sempre teve bastante massa magra, e conseguiu mantê-la mesmo eliminando bastante peso, agora é só trabalhar para ganhar mais, se quiser. Ô invejinha branca. :D

Reply
avatar
Teimosia
admin
11 de fevereiro de 2014 15:59 ×

Eu só engordo na barriga, desde sempre... A massa magra, realmente eu já tinha um pouco. Desde adolescente, exatamente por ser magro demais, eu ficava querendo ser bombadinho - e malhava em casa mesmo. Depois, na faculdade, engordei muito (fui de 55 para 72 em menos de 2 anos).

Resolvi emagrecer virando "quase" vegetariano e fazendo capoeira. O quase-vegetarianismo durou 1 ano, a capoeira já dura 17 (embora nos últimos 5 eu tenha estado parado por causa das cirurgias no ombro).

Em breve, com quilos a menos e músculos a mais, pretendo voltar...

A história da "sanfona" está aqui: http://www.paleodiario.com/2013/10/foto-historia.html

No momento, acredito que estou muito melhor fisicamente do que estava quando treinava capoeira 6x por semana :-D

Reply
avatar
André Luis
admin
11 de fevereiro de 2014 20:09 ×

Concordo. Num trocadilho muito infame, ele certamente morreria de rir se
visse isso...

______
42

Reply
avatar
André Luis
admin
11 de fevereiro de 2014 20:13 ×

Revisores... o corte de custos dá nisso.

Obrigado pelo seu trabalho, Hilton!

_______
42

Reply
avatar
Jussara
admin
11 de fevereiro de 2014 22:16 ×

Você está muito bem mesmo, certamente melhor que muitos de 20 por aí. Eu já havia lido esse post, mas não lembrava direito. Você era beem magro mesmo.
Nem me fale em barriga, eu engordo bastante nela também (e nas coxas e quadril). Mas a barriga é a que mais me incomoda. :D
Nesse post do link você cita sua esposa, que o apoiou com a páleo; hoje ela também segue esse estilo de alimentação?

Reply
avatar
Teimosia
admin
11 de fevereiro de 2014 22:27 ×

A minha esposa "aderiu parcialmente" :-) Segue por umas semanas, depois volta pros carbs, e assim vai. Ela tem consciência de que não são bons, mas não consegue evitar... Por sorte, ela é uma das que tolera bem os carbs - apesar de comer bastante deles, engorda pouco.

Reply
avatar
Jussara
admin
11 de fevereiro de 2014 22:55 ×

Eu acho que quem não tem problemas com peso nem metabolismo pode continuar a comer carbos mesmo (ou então fazer como ela faz, on e off) embora não sejam a melhor opção e etc. Como vocês são mineiros fico só pensando que deve ser difícil resistir a um bom pão de queijo (que de todo modo é menos prejudicial que o trigo). ;D

Reply
avatar
Teimosia
admin
11 de fevereiro de 2014 23:01 ×

Eu amo/amava pão-de-queijo, mas nos últimos anos, bastava comer um para ter azia pelo resto do dia... Acho que o meu corpo estava cansado dos carbs.

Em 1 ano de paleo, NUNCA mais tive azia. Nenhuma vezinha. Nem de leve. E antes era TODO dia...

O pão-de-queijo morreu por uma boa causa, e será sempre lembrado como um herói!

Reply
avatar
Jussara
admin
12 de fevereiro de 2014 14:41 ×

"O pão-de-queijo morreu por uma boa causa, e será sempre lembrado como um herói!" Hahaha :D Mas isso do corpo estar cansado dos carbos faz sentido.
Eu quando coloco um pedaço de pão de queijo na boca, sinto um gosto estranho e o corpo refuga, esse gosto eu acredito ser do óleo vegetal. Mas já comi uns feitos em casa, com manteiga e desceram bem. :D
Eu tinha uns problemas de estômago quando comia trigo, que eu jamais imaginava que fossem causados por ele, mas depois da retirada simplesmente sumiram. Já com o polvilho eu respondo bem, mas com o óleo vegetal não. Já tive uns episódios terríveis por ter comido fritura em óleo vegetal ou açaí que já vem adoçado (tudo isso na viagem das férias).

Reply
avatar
fabrina
admin
15 de fevereiro de 2014 12:11 ×

hahahaha como vegetariana até achei legal... pra mim, nenhum frango é comestível! ^^

Reply
avatar
Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores