US News & World Report classifica a paleodieta: 2014. Déjà vu de novo!

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.

por Robb Wolf

Olá, pessoal!

Perdão por ficar tanto tempo sem postar nada. Meu tempo foi todo consumido pela certificação e com o trabalho na clínica. As coisas estão andando, mas simplesmente toma tempo. Junte-se aí aulas de jiu-jitsu e a paternidade, e não tive mesmo muito tempo para escrever ultimamente. Tenho uma IMENSA lista de tópicos para o blog que quero endereçar assim que conseguir sair do sufoco... Honestamente, detesto projetos grandes como um livro ou essa certificação, porque simplesmente me tira do rumo para todo o resto.... mas o que um homem das cavernas pode fazer ?

Ano novo, noticías novas mesma baboseira

Meu Twitter e Facebook tem estado mais cheios que nunca. O tópico ? O ranking 2014 da US News das "Melhores Dietas", que coloca a velha, fossilizada e caduca paleodieta... em ÚLTIMO. A paleodieta não foi apenas a última, mas também figura depois de concorrentes científicos tais como a Slim Fast e a Medifast! (Essas são dietas baseadas em shakes, pessoal...)

Se eu posso fazer uma analogia com MMA aqui, a paleodieta é o Anderson Silva... aparentemente invencível até que não apenas estilhaçamos nossa tíbia nas protuberâncias ósseas de abordagens "nutricionais" baseadas em shakes, mas a onda de desapontamentos resultante causou uma implosão coletiva de escrotos e ovários na cena de Saúde Ancestral! Nos recuperaremos um dia ? Teremos outra chance ao título ?

A dieta paleo, pobre em cálcio, foi claramente a causa da fratura de Silva.

Se você está tentando descobrir o que está acontecendo, esse é o relatório anual de bajulação que a US News & World Reports (USNWR) fornece para coisas tais como os planos de shakes mencionados anteriormente, bem como a "competidores" fortes como a dieta do "Biggest Loser". Para usar uma linha de Battlestar Galactica (N.T.: seriado de TV): Tudo isso já aconteceu antes, e vai acontecer novamente. Esse link é para a conversa anterior sobre esse ponto, na qual a USNWR afirmava que um grupo de experts classificou a dieta paleo em último, mas que quando colegas desses experts os questionaram sobre a classificação dada, pareceu que a USNWR poderia ter aplicado alguma "licença poética" às notas. Já se vai um longo tempo desde que o jornalismo era sobre acurácia e não hipérbole, então acho que precisamos dar às boas pessoas da USNWR uma chance (os padrões são "duros"). Se esse chute na boca não é suficiente para você, por favor veja o meu mentor, Prof. Loren Cordain, e os seus pensamentos sobre a classificação 2014. Cada vinheta de notícia, da CNN ao observatório de radiação de Chernobyl, pegou o caso e proclamou: "A dieta paleo já era!".

Bem, não estamos mortos ainda. E pelo menos a USNWR consegue soletrar "Dieta Paleo" corretamente, o que ajuda com as tendências do Google - chego lá num instante.

Para onde vamos agora ?


As refutações mencionadas são bastante técnicas e detalhadas, não vou revisar esse material, mas quero prestar atenção em algumas das afirmações jogadas na listagem da USNWR:

1 - A dieta paleo provê nutrição inadequada

Esse não é um errinho, é um erro crasso. Por favor, veja o artigo anterior do Prof. Cordain e o trabalho do Dr. Mat Lalonde sobre densidade de nutrientes. Não tenho certeza sobre o que dizer sobre isso a não ser que as pessoas que tem essa opinião não se mantém atualizados com a literatura OU são péssimos em matemática.


2 - A dieta paleo é difícil

Algumas pessoas fazem mudanças de dieta e de estilo de vida facilmente, outras preferem fumar através de um tubo de traqueostomia e assustar criancinhas com suas vozes sintetizadas, ao invés de mudar de comportamento. Para mim (opinião, pura e simples) o que é difícil é me sentir consistentemente horrível e viver uma vida sub-ótima. Já fiquei muito doente e não gostei realmente da experiência, mas talvez outros sejam diferentes. Tudo isso posto de lado, se alguém como a USNWR está afirmando que a paleodieta é "muito difícil", pode ser bacana ter algo que justifique tal posição. Eu até discutiria que se o programa fosse realmente difícil ou não-efetivo para uma série objetivos (perda de peso, questões de saúde), então veríamos um interesse inicial e subsequente declínio. Você sabe, como aconteceu com a dieta "The Zone"

Talvez possamos usar o Google Trends para mudar essa informação claramente errônea ?

Está na moda!


3 - Não há ciência suportando a Dieta Paleo

Essa acaba comigo... é demais pedir que as pessoas acessem o PubMed e pesquisem por "Paleo Diet" ? Acredito que eu deveria encarar isso não como incômodo, mas como estabilidade de emprego. Bem, as refutações são uma boa fonte de recursos para literatura revisada por pares sobre esse assunto, mas aqui está um trecho de um email que recebi do Prof. Cordain:

Já houve 8 estudos clínicos randomizados controlados da dieta paleo. Os assuntos endereçados, incluindo riscos de doença cardiovascular, saciedade e perda de peso, indicam que paleo é superior à dietas convencionais para diabetes, dieta mediterrânea e mais rica em nutrientes que a pirâmide alimentar tradicional. As referências estão abaixo:

1. Frassetto LA, Schloetter M, Mietus-Synder M, Morris RC, Jr., Sebastian A: Melhorias metabólicas e fisiológicas ao consumir uma dieta paleolítica. Eur J Clin Nutr 2009.

2. Jönsson T, Granfeldt Y, Ahrén B, Branell UC, Pålsson G, Hansson A, Söderström M, Lindeberg S. Efeitos benéficos de uma dieta paleolítica em fatores de risco cardiovasculares na diabetes tipo 2: um estudo piloto cruzado e randomizado. Cardiovasc Diabetol. 2009;8:35

3. Jonsson T, Ahren B, Pacini G, Sundler F, Wierup N, Steen S, Sjoberg T, Ugander M, Frostegard J, Goransson Lindeberg S: Uma dieta paleolítica confere sensibilidade mais alta à insulina, proteína C-reativa mais baixa e menor pressão sanguínea que uma dieta baseada em cereais em porcos domésticos. Nutr Metab (Lond) 2006, 3:39. 

4. Jonsson T, Granfeldt Y, Erlanson-Albertsson C, Ahren B, Lindeberg S. Uma dieta paleolítica é mais saciante por caloria do que uma dieta tipo mediterrânea em indivíduos com doença cardíaca isquêmica. Nutr Metab (Lond). 2010 Nov 30;7(1):85

5. Lindeberg S, Jonsson T, Granfeldt Y, Borgstrand E, Soffman J, Sjostrom K, Ahren B: Uma dieta paleolítica melhora a tolerância à glicose mais que uma dieta tipo mediterrânea em indivíduos com doença cardíaca isquêmica. Diabetologia 2007, 50(9):1795-1807.

6. O’Dea K: Melhora pronunciada no metabolismo de carboidratos e lipídios em aborígines australianos após reversão para estilo de vida tradicional. Diabetes 1984, 33(6):596-603.

7. Osterdahl M, Kocturk T, Koochek A, Wandell PE: Efeitos de uma intervenção de curto prazo com dieta paleolítica em voluntários saudáveis. Eur J Clin Nutr 2008, 62(5):682-685.

8. Ryberg M, Sandberg S, Mellberg C, Stegle O, Lindahl B, Larsson C, Hauksson J, Olsson T. Uma dieta tipo paleolítica causa fortes efeitos específicos em tecidos em depósitos de gordura ectópicos de mulheres obesas pós-menopausa. J Intern Med. 2013 Jul;274(1):67-76

Então nós provemos material como esses aos detratores e ganhamos como resposa "Isso não é muita pesquisa, não podemos tirar conclusão ALGUMA disso". Hummm, ok. Então continuamos a fazer o que não está funcionando ? Outra dissidência comum nessa história é que muito do que falamos na paleolândia é anedótico. Sim, a maioria das descobertas clínicas é observacional. A maioria de todas as descobertas científicas COMEÇA observacionalmente, ao fazer com que alguém diga algo do tipo "Hum... o que diabos está acontecendo aqui ? Me pergunto se é isso o que está acontecendo". Observação à Hipótese à Teste à Aceita/Rejeita/Refina. O pessoal da Medicina Baseada em Evidências de alguma forma esquece desse processo... mas de uma maneira inteiramente seletiva e que serve a seus propósitos. Quando eu finalmente tiver essa certificação pronta, terei pelo menos seis LOOOONGOS artigos para esmiuçar isso. Por hora, temos o que já foi feito e mais algumas coisas na linha de produção:



Esse estudo vai tapar alguns dos buracos no estudo original do Prof. Lindenberg da dieta paleo em humanos. O Prof. Cordain tem um estudo extenso que examina a eficácia da dieta paleolítica para várias condições auto-imunes, para as quais os dados preliminares são muito excitantes.

Mas é uma inspeção retroativa! Cientistas maus! Sem 

Bem, para os bajuladores que querem dados, esse é o processo para consegui-los. Observacionalmente, PARECEMOS ter benefícios notáveis para pessoas com auto-imunidade (e várias outros problemas). Dado que o nosso sucesso atual com terapias convencionais para auto-imunidade varia entre "não funciona" e "é pior que a doença", parece interessante investigar isso mais a fundo, certo ? Talvez a dieta paleo funcione para auto-imunidade e outras condições melhor que uma dieta convencional, talvez não - mas novamente, esse é o processo que vai ajudar a responder a questão. Eu acho que muito do crescimento que vemos com paleodieta nasce do resultado que as pessoas tem... ou talvez tenhamos um fantástico show de TV do qual eu não ouvi falar ainda.

Muitas ironias existem no caso, entre o surgimento forte da saúde ancestral na mídia e a reação violenta típica da mídia. A maioria dos quais eu consigo ligar à ignorância, inércia e, bem, mais ignorância - mas uma pequena ironia que certamente faz cócegas no meu "osso da risada" calcificado é que muitas pessoas que participam da cena paleo recentemente participaram em um chat do Twitter promovido pela... US News & World Reports Health. A conversa acabou sendo uma dos assuntos fortes no Twitter.




Então, tudo isso incomoda ? Sim, mais ou menos. Vai afetar o crescimento e o sucesso do modelo de saúde ancestral ? Não, nenhum um pouquinho. Nós conseguimos compartilhar informação muito rapidamente, as pessoas podem experimentar e compartilhar experiências e de uma maneira muito baseada em mercado, a coisa que funciona melhor VAI se tornar o paradigma vigente.

Recomendado para você

Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores