Comer uma dieta paleo vai causar gota ?


Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.









Esse artigo é parte de um relatório especial sobre carne vermelha. Para ver os outros artigos da série, clique aqui.

Uma questão comum que recebo de leitores é se uma dieta paleo vai aumentar o seu risco de gota. Gota é um tipo de artrite inflamatória causada por níveis elevados de ácido úrico no sangue, formando cristais que se depositam nas articulações, tendões e tecidos circundantes.

A gota tipicamente afeta os pés em geral e o dedão específicamente, causando dor severa e inchaço. No passado, a gota era chamada de "doença do rico", porque afetava tipicamente a classe superior e a realeza, que podiam comprar comidas "ricas" como carne, açúcar e álcool.

Ácido úrico é um subproduto do metabolismo de purinas, uma das duas bases nitrogenadas que forma a estrutura básica do DNA e do RNA. Enquanto as purinas estão presentes em todas as comidas, elas são tipicamente mais concentradas em comidas enfatizadas por uma dieta paleo densa em nutrientes, tais como carne vermelha, peru, órgãos e certos tipos de peixes e frutos do mar. Pacientes com gota são frequentemente aconselhados a reduzir ou eliminar essas comidas ricas em purina, com o objetivo de prevenir a produção excessiva de ácido úrico - e por conseguinte, reduzindo os sintomas da gota. Pesquisas já confirmaram a associação entre alta ingesta de purinas e ataques agudos de gota, sugerindo que aqueles diagnosticados com gota se beneficiariam de uma dieta reduzida em comidas ricas em purinas (1, 2)

Então, precisamos reconsiderar nossas recomendações de comer comidas como fígado, sardinhas, carne vermelha, mexilhões e outras comidas tradicionais ? Essas comidas densas em nutrientes, ricas em purina, causam gota ? Aqueles de nós que seguem uma dieta paleo estão se colocando em grande risco para essa condição dolorosa e debilitante ?

Inflamação como causa de ataques de gota


Enquanto alta ingesta de purinas está associada com ataques de gota naqueles que já tem hiperuricemia, ou níveis altos de ácido úrico no sangue, a ingesta de purina sozinha não é suficiente para disparar os ataques. Na verdade, os níveis de ácido úrico frequentemente diminuem durante ataques de gota (3), às vezes chegando à faixa da normalidade. outro fator associado com os ataques de gota é o aumento na proteína C-reativa (CRP) e a interleucina-6 (IL-6), citocinas produzidas durante inúmeras condições inflamatórias (4). Essas citocinas inflamatórias ficam aumentadas no fluído das articulações e no soro sanguíneo de pacientes com atrite aguda por gota (5, 6)

Entretanto, inflamação sistêmica é provavelmente um fator-chave afetando a probabilidade de ataques de gota, e até onde sabemos, a dieta exerce um papel significativo na inflamação. Enquanto comidas como gado alimentado com pasto, sardinhas e cavala são ricas em purinas, elas também são ricas em ácidos graxos ômega-3 e pobres em ômega-6. Uma vez que o equilíbrio O3/O6 na sua dieta modula a resposta inflamatória, uma dieta com gorduras ômega-3 de cadeia longa tais como EPA e DHA vai reduzir a inflamação sistêmica e podem reduzir o risco de formação dos cristais de ácido úrico que causam a dor articular.

Frutose: um jogador importante no desenvolvimento de gota


Enquanto a frutose em quantidades naturalmente ocorrentes é relativamente benigna, pesquisas mostraram que ingestas mais altas de frutose podem mediar muitas das anormalidades vistas na síndrome metabólica, incluindo triglicérides elevado, devido a aumentos na produção de ácido úrico (7). Um estudo recente confirou o potencial de elevação do ácido úrico pela ingestão de frutose, tanto ao produzir ácido úrico em excesso quanto em reduzir a sua excreção na urina (8)

Ao mesmo tempo que algum ácido úrico no sangue é normal e provê proteção antioxidante, ácido úrico em excesso é pró-oxidante e o maior fator causal da gota. Alguns pesquisadores sugerem até mesmo que ácido úrico em excesso no sangue é um grande fator no desenvolvimento de resistência à insulina e doenças metabólicas (9). Então se você está evitando o excesso de frutose a partir de xarope de milho de alta frutose (HFCS) e da sacarose (açúcar de mesa), você terá menos risco de gota do que alguém que engole seu hamburguer com uma lata de coca-cola.

Uma palavra sobre a correlação epidemiológica entre carne e gota


Uma das principais razões pelas quais quaisquer médicos convencionais e profissionais de saúde veem o consumo de carne vermelha como fator de risco significativo para gota é que a carne vermelha é tipicamente um componente de uma "dieta ocidental padrão", um padrão que também é alto em açúcar, enquanto é baixo em frutas e vegetais (10). É quase impossível para epidemiologistas separar o consumo de carne desse padrão geral de alimentação quando estudando culturas modernas - afinal de contas, a maioria dos  comedores "conscientes sobre a saúde" da nossa geração acredita que a carne não é saudável e tipicamente come menos dela. Enquanto a maioria dos estudos epidemiológicos tentam controlar esses fatores de confusão, a verdade é que a maioria dos altos consumidores de carnes são também propensos a outros hábitos pouco saudáveis tais como fumar e beber, e tipicamente tem mais sobrepeso que os consumidores de pouca carne, nesses estudos. É claro que isso não nos diz nada sobre sobre os comedores paleo, que são ativos, tem consciência de saúde, evitam HCFS e ácidos graxos Ômega-6, bem como outras comidas inflamatórias tais como grãos refinados, e não bebem muito ou fumam.

Comer uma dieta paleo não vai causar gota!


Da próxima vez que seu médico ou melhor amigo disser que você vai desenvolver gota por causa da dieta paleo, pode direcioná-lo para esse artigo. Fique tranquilo, que uma dieta cheia de comidas densas em nutrientes tais como gado alimentado com pasto, fígado, crustáceos e peixes oceânicos gordos não vai te colocar em risco de desenvolver essa condição dolorosa. Maior probabilidade de causar gota tem os alimentos básicos da dieta americana tais como refrigerantes, óleos refinados a partir de grãos, carboidratos refinados e álcool excessivo (cerveja em particular). A dieta padrão ocidental é um fator de risco para gota; uma dieta paleo densa em nutrientes, não!

Recomendado para você

5 comentários

Click here for comentários
Farad
admin
30 de janeiro de 2014 00:28 ×

Em sessenta dias de paleo meu ácido úrico foi de 9 (já um pouco alto) para 11,6. Mesmo me alimentando melhor (paleo) esse ácido úrico não está meio alto?

Reply
avatar
Teimosia
admin
30 de janeiro de 2014 15:26 ×

Olá, Farad!

Não muito comum, o seu caso...

Em 8 meses de paleo, o meu ácido úrico ficou estável na casa dos 5mg/dL (exames a cada 2 meses).

Nos últimos 4 meses, exagerei nas carnes embutidas e também comecei a fazer jejum intermitente - ambos coisas que sabidamente alteram o ácido úrico - e ele subiu de 5.3 para 6.4mg/dL (ainda está na faixa da normalidade).

Reduzi drasticamente o consumo de embutidos e comecei a tomar 1g de vitamina C por dia, tem cerca de 1 mês. A vitamina C, talvez você tenha visto no outro post sobre gota (http://paleodiario.blogspot.com.br/2013/12/risco-de-gota.html), pode aumentar a excreção de ácido úrico.

Daqui a mais 1 mês, vou fazer os exames novamente e ver se algo mudou.

Um colega estava com 8.5mg/dL (risco de gota), e com 6 meses de paleo baixou para 7.5mg/dL - ainda está acima do normal, mas já foi uma grande melhora...

Assim que os meus resultados saírem, eu posto !

Atenciosamente,
Hilton

Reply
avatar
Luhhh =D
admin
17 de outubro de 2014 19:14 ×

Muito bom! Eu ando muito inchada e com constipação, aumentei em 4 kg o meu peso devido a esse inchaço. Faz 1 mês e meio que estou na pelo. A minha alimentação é rica em gordura como azeite de oliva e óleo de coco. Também como bastante vegetais e abacate, mas, mesmo assim ando inchada. Não sei o que está promovendo isso ? Aumentei o consumo de água também. Não sei se há alguém q já inchou muito fazendo a paleo ?

Reply
avatar
Teimosia
admin
19 de outubro de 2014 10:17 ×

Você conferiu os artigos sobre "perda de peso para mulheres" ? Cortar carboidratos DEMAIS pode ter efeitos indesejados, principalmente em mulheres...

Reply
avatar
Luhhh =D
admin
19 de outubro de 2014 12:10 ×

Oi! Sim eu li, obrigada =)
Sim, para mim foi horrível, meu peso aumentou 4kg e fiquei com o intestino preso. Daí, qdo perguntava se estava fazendo algo errado, diziam para eu diminuir mais os carbs e tomar mais água e mais gordura. Minha alimentação era só folhas verdes,óleo de coco,nata,azeite de oliva e carnes. Fiz durante 1 mês e 15 dias, e ainda fazia ginástica todo dia, apesar disso o meu peso só aumentava e minhas medidas na fita métrica também. Imagina a frustração, neh? Foi um alívio qdo percebi que o aumento dos carbs seria uma ideia boa e vi outros relatos de meninas que desenvolveram hipotireoidismo devido o baixo consumo de carbs. Fiquei bem assustada, ainda bem que parei a tempo. Agora aumentei os carbs e já consegui ir ao banheiro e já estou menos inchada :) Vou manter nos 50-100gr, como batata doce,abóbora,inhame, algumas frutas as quais me ajudam no inchaço. Também farei uso do amido resistente (polvilho) para ajudar a melhorar a flora intestinal, porque com o excesso de gordura, também li que para algumas mulheres faz mal para a flora intestinal. Muito bom os artigos, as pessoas precisam saber,principalmente as mulheres, que a diminuição de carbs não é para todo mundo e tb ñ é um dogmatismo da paleo. A gordura boa, está sempre o macronutriente principal, só que agora com o aumento dos carbs, meu organismo está melhor. O inchaço melhorou muito :) Obrigada pelos artigos !!! =D

Reply
avatar
Thanks for your comment

Sobre o autor

Mineiro de Teófilo Otoni, morador de Belo Horizonte. Gosto muito de comer, e depois de alguns anos chafurdando na comilança de bobagens, decidi tomar tento e passar a comer comida de verdade. Descobri o modo de alimentação paleo/LCHF em meados de 2010, mas só comecei a por em prática em fevereiro/2013.

Hoje, sou mais feliz - e os exames de laboratório estão TODOS melhores :-D

Acompanhe minha trajetória em fotos aqui.

Aviso!

Este blog é composto por minhas opiniões pessoais, baseadas em auto-experimentação com dieta paleo, e também por artigos traduzidos - estes produzidos por estudiosos do assunto. As opiniões expressas aqui, minhas ou de outros autores, não podem substituir as de seu médico. O que funciona bem para mim, pode não funcionar para outras pessoas. Se você escolher seguir alguma das opiniões aqui publicadas, faça-o com o conhecimento do seu médico!

Visualizações

Seguidores